sicnot

Perfil

Economia

BE questiona Governo sobre despedimento coletivo de 49 trabalhadores da Parvalorem

O BE questionou hoje o Ministério das Finanças sobre o despedimento coletivo de 49 trabalhadores da Parvalorem, organismo estatal criado para recuperar créditos do antigo BPN, e sobre o envolvimento da sociedade de advogados Morais Leitão.

Em declarações à agência Lusa, a deputada bloquista Mariana Mortágua adiantou que a decisão de despedimento coletivo foi comunicada esta tarde aos trabalhadores da Parvalorem e que entre eles está o presidente da comissão de trabalhadores.

A deputada do BE, que reuniu esta manhã com a comissão de trabalhadores da Parvalorem, disse que "todas as semanas há emails da administração" da empresa com "ameaças de despedimento", num "ambiente de tortura psicológica".

"Estes trabalhadores foram transferidos [do BPN, em 2011] sem qualquer consentimento e questionaram judicialmente essa decisão, em processos contra o Estado que ainda estão em curso e que têm sido adiados consecutivamente", acrescentou.

Mariana Mortágua referiu ainda que o Estado criou a Parvalorem para recuperar créditos do BPN, mas que a maior parte da atividade foi adjudicada a entidades privadas e defendeu que o Governo tem de esclarecer o envolvimento da Morais Leitão, Galvão Teles, Soares da Silva e Associados, alegadamente representante da Parvalorem, do Estado e do BIC, que comprou o antigo banco português.

A deputada bloquista afirmou que esta sociedade de advogados terá sido escolhida em detrimento da Cuatrecasas Gonçalves Pereira, que alegadamente tinha uma posição contrária ao processo de transferência de trabalhadores.

As duas perguntas sobre o despedimento coletivo de 49 trabalhadores e a contratação da Morais Leitão por diversas entidades foram enviadas esta tarde para o Ministério das Finanças.

A Parvalorem foi criada em 2010 para gerir a carteira de créditos adquiridos no âmbito do processo de reprivatização do BPN.

Lusa
  • Quem são os maiores devedores no caso BPN
    5:40

    A Fraude

    Uma investigação da SIC leva-nos de volta ao escândalo do BPN. Em duas partes, a Grande Reportagem "Depois da Fraude" abordou a herança do banco, explicando o que é a Parvalorem, e hoje mostra os principais devedores da empresa que gere o lixo tóxico. O jornalista Pedro Coelho revelou alguns excertos, no Primeiro Jornal, de "A Cobrança", a segunda parte da história, para ver mais logo no Jornal da Noite da SIC.

  • O que é a Parvalorem?
    1:19

    Economia

    Antes de assistir à Grande Reportagem SIC "Depois da Fraude", é aconselhável assistir a esta reportagem, em que é explicado o que é, afinal, um dos nomes mais referidos no extenso trabalho de investigação: Parvalorem.

  • As zonas de guerra que o fogo deixou
    3:13

    País

    A chuva finalmente ajudou na luta contra as chamas e o que fica agora é um cenário de devastação no norte e centro do país. Morreram 37 pessoas, arderam centenas de casas e empresas e há críticas severas à falta de meios.

  • O mapa das vítimas dos incêndios
    1:19

    País

    Aumentou para 37 o número de mortes na sequência dos fogos que assolaram a zona Centro do país desde o fim de semana. Feridos são pelo menos 71. Atualizamos aqui o mapa, segundo o último balanço da Proteção Civil.

  • Visto do céu, Portugal é um país que se vestiu de negro
    3:28
  • "Temos que cuidar dos feridos, temos que recuperar os territórios"
    1:02

    País

    O primeiro-ministro disse hoje que, depois das chamas apagadas, agora é o tempo de passar das palavras aos atos, de decidir e executar. Após uma visita a feridos dos incêndios, em Coimbra, António Costa confirmou que o Conselho de Ministros do próximo sábado vai transformar em medidas as recomendações feitas pela comissão técnica independente.

  • Homem morreu ao tentar salvar animais das chamas
    2:30
  • "Estou a ficar sem água, vai ser um trabalho inglório"
    1:06