sicnot

Perfil

Economia

CDS-PP diz que greve na TAP pode acabar com a empresa

O líder parlamentar do CDS-PP, Nuno Magalhães, defendeu hoje que a greve na TAP "pode acabar com uma empresa de referência", apelou aos pilotos que reconsiderem a paralisação e afirmou que "há um limite para a irresponsabilidade".

No debate quinzenal, no parlamento, o presidente da bancada centrista fez um apelo aos pilotos, para que, "em nome da TAP, em nome da economia nacional, reconsiderem esta decisão que, em última análise, pode acabar com uma empresa de referência".

"Há um limite para a irresponsabilidade, há um limite para o egoísmo", disse.

"A TAP é uma empresa prestigiada, embora saibamos que com dificuldades. Foi convocada uma greve de 10 dias num só mês. Isto vai afetar o turismo, a economia portuguesa, os passageiros, mas também, e se calhar sobretudo, a própria empresa", declarou.

De acordo com Nuno Magalhães, "os pilotos sabem que as reivindicações não estão no acordo que assinaram há meses, há poucos meses".

"Estamos do lado daqueles que querem resolver o problema, não estamos do lado daqueles que querem criar ainda mais problemas", afirmou.

Nuno Magalhães começou por se referir ao Programa de Estabilidade anunciado pelo Governo na quinta-feira, declarando que o executivo "decretou a certidão de óbito da sobretaxa do IRS", que terminará em 2019.

"Está faseado, é realista, é o que podemos", defendeu, reiterando ainda defesa da "redução da despesa do Estado".

Sobre a reforma do sistema de pensões, que, segundo o Governo, envolve um corte de 600 milhões de euros, Nuno Magalhães reiterou que é uma reforma que "é necessário fazer" e que "o que se esperaria do PS" era um "contributo para esse esforço". 

"Vamos ter esperança de que no debate de quarta-feira haja um projeto de resolução com propostas, com alternativas do PS", afirmou.

O líder parlamentar centrista renovou ainda defesa pela descida do IRC, reiterando o argumento do CDS-PP de que "não é uma questão ideológica ou programática", mas uma medida de pragmatismo, para tornar o país mais competitivo e criar emprego.

Lusa

  • Inglaterra estreia-se com vitória suada frente à Tunísia

    Mundial 2018 / Tunísia

    A seleção inglesa estreou-se no Mundial 2018 com um triunfo sobre a Tunísia por 2-1, com o golo da vitória a ser apontado já para lá do minuto 90. O jogo foi referente à 1.ª jornada do grupo G. Veja aqui os golos e os lances que marcaram o encontro.

  • O melhor golo do 5.º dia de Mundial

    Desporto

    Numa escolha feita pelos jornalistas de desporto e do site da SIC Notícias, mostramos-lhe o melhor golo deste quinto dia de Mundial. Foi apontado por Dries Mertens, na vitória da Bélgica sobre o Panamá por 3-0.

  • Repitam comigo: Portugal vai ser campeão do Mundo
    4:56
  • "Estamos a plantar fósforos"
    2:09

    Opinião

    O calor regressou esta segunda-feira em força e no terreno estiveram quase 1300 bombeiros a combater 70 fogos por todo o país. Depois da tragédia de Pedrógão Grande, o Presidente da República diz que a consciência do país mudou mas é preciso fazer mais. Já Miguel Sousa Tavares diz que o país está mais preparado para combater os incêndios do que alguma vez esteve. No entanto, o comentador da SIC diz que já foram plantados mais de "2500 hectares de eucaliptos" desde Pedrógão e que enquanto isso acontecer Portugal vai continuar a arder. 

    Miguel Sousa Tavares

  • Rapper XXXTentacion morto em aparente tentativa de roubo

    Cultura

    O rapper norte-americano XXXTentacion, de 20 anos, morreu na noite de segunda-feira depois de ter sido baleado, na Florida, no sudeste dos Estados Unidos. Um dos suspeitos terá disparado e atingido o rapper e, de seguida, dois suspeitos fugiram numa viatura escura. A polícia está a considerar tentativa de roubo.

  • Merkel tem duas semanas para negociar solução para crise migratória

    Mundo

    A chanceler alemã tem duas semanas para negociar com os parceiros europeus uma solução para a questão migratória e assim evitar uma crise política. O ultimato foi dado pelo CSU, o partido da Baviera que integra a coligação governamental. Ao contrário de Angela Merkel, defende uma política para os refugiados mais estrita.