sicnot

Perfil

Economia

Presidente da CMVM diz que empresas têm "crédito a mais"

O presidente da Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM), Carlos Tavares, alertou hoje para o "crédito a mais" das empresas portuguesas, vincando que estas precisam de "mais capital e menos dívida".

(Reuters)

(Reuters)

REUTERS

As empresas "têm crédito a mais", disse Carlos Tavares no parlamento, reconhecendo que a sua posição possa ser "impopular".

O responsável, que falava na Comissão de Orçamento, Finanças e Administração Pública (COFAP), chamou também a atenção para as "fortes limitações à capacidade de investimento e crescimento das empresas".

"Elevados níveis de endividamento, com redução modesta" e "elevada absorção da rentabilidade por encargos financeiros, mesmo com taxas de juro baixas", são fenómenos elencados por Carlos Tavares no que se refere às empresas portuguesas.

O presidente da CMVM sublinhou ainda os "muito elevados níveis de incumprimento" a nível de crédito e os "baixos níveis de autonomia financeira" das empresas.

Carlos Tavares está a ser ouvido esta tarde pelos deputados numa audição onde está a apresentar o plano de atividades da CMVM e a programação do seu desenvolvimento.

Ao mesmo tempo, o responsável está a fazer um balanço dos trabalhos da entidade entre 2005 e 2015.

A audição é uma obrigatoriedade estabelecida pela lei-quadro das entidades reguladoras.

Lusa
  • Aeroporto Cristiano Ronaldo? Nem todos os madeirenses estão de acordo
    2:21
  • Fatura da água a dobrar
    2:26

    Economia

    Desde o início do ano que a população de Celorico de Basto está a receber duas faturas da água para pagar. Tanto a Câmara como a Águas do Norte reclamam o direito a cobrar pelo serviço. Contactada pela SIC, a Entidade Reguladora esclarece que o município não pode emitir faturas e tem de devolver o dinheiro.

  • Vala comum com 6 mil corpos em Mossul
    1:43

    Daesh

    Há suspeitas de que o Daesh tenha criado uma vala comum com cerca de seis mil corpos a sul de Mossul, no Iraque. A área em redor estará minada. A revelação é de uma equipa de reportagem da televisão britânica Sky News.

  • A menina que os pais queriam chamar "Allah"

    Mundo

    ZalyKha Graceful Lorraina Allah tem 22 meses, anda não sabe ler nem escrever mas já está no centro de um processo judicial contra o Estado da Georgia, nos EUA. Os pais, Elizabeth Handy e Bilal Walk, apoiados por uma ONG, exigem na justiça que o nome seja reconhecido na certidão de nascimento para que a criança possa ser inscrita na escola, na segurança social ou nos registos e notoriado. O casal já tem um filho de 3 anos que se chama Masterful Mosirah Aly Allah.