sicnot

Perfil

Economia

Comerciantes algarvios temem que greve na TAP afete marcação de voos para verão

O presidente da Associação de Comércio e Serviços da Região do Algarve (ACRAL) alertou esta quarta-feira para os efeitos negativos da greve da TAP na economia regional, sugerindo que pode afetar a marcação de voos para o verão.

Os pilotos da TAP marcaram uma greve de dez dias entre 1 e 10 de maio por considerarem que o Governo não está a cumprir o acordo assinado em dezembro de 2014, nem um outro, estabelecido em 1999. (Arquivo)

Os pilotos da TAP marcaram uma greve de dez dias entre 1 e 10 de maio por considerarem que o Governo não está a cumprir o acordo assinado em dezembro de 2014, nem um outro, estabelecido em 1999. (Arquivo)

© Paulo Whitaker / Reuters

Os pilotos da TAP marcaram uma greve de dez dias entre 1 e 10 de maio por considerarem que o Governo não está a cumprir o acordo assinado em dezembro de 2014, nem um outro, estabelecido em 1999, mas tanto o ministro da Economia como a Associação Nacional do Turismo (ANT) já apelaram hoje aos pilotos para que desconvoquem a greve.

"Os reflexos de uma greve na TAP para o Algarve são também de relevo, em particular quando se aproxima a época alta do turismo e uma greve agendada para o início de maio põe em causa não só a confiança no transporte aéreo garantido pela empresa para os dez dias de greve previstos, mas também a confiança nas ligações garantidas pela TAP durante todo o verão", lê-se no comunicado da ACRAL.

Para o presidente daquela associação, Victor Guerreiro, a greve "irá criar problemas à economia, às empresas e aos trabalhadores [na região do Algarve] muito para além do que seria admissível, atenta a relação custo/benefício do protesto", razão pela qual classifica como irresponsável a intenção de paralisação.

"Na nossa região, onde existe a possibilidade da economia equilibrar as contas no verão através do turismo, é francamente preocupante mais esta situação", refere, apelando aos intervenientes no processo de agendamento da greve "para terem em atenção que a defesa dos interesses de uns", mesmo que legítimos, não podem "impor a todos os demais encargos e prejuízos desmedidos".

O responsável associativo sublinha ainda que o protesto gerará "um prejuízo incalculável para a economia nacional, que será infinitamente superior" ao prejuízo estimado para a TAP.

"A sustentabilidade da economia nacional e regional sobejamente sofrida por um longo período de austeridade, depende em muito dos serviços da TAP, a quem se exige - empresa e trabalhadores - a participação no esforço nacional de consolidação da economia e viabilização do futuro", conclui Victor Guerreiro.
Lusa
  • Michelle Obama partilhou momento de despedida da Casa Branca
    1:43
  • Artista que criou poster de Obama quer invadir EUA com símbolos de esperança

    Mundo

    Shepard Fairey - o artista por trás do tão conhecido cartaz vermelho e azul "Hope" de Barack Obama, durante a campanha eleitoral de 2008 nos EUA - produziu uma série de novas imagens a tempo da tomada de posse de Donald Trump, na sexta-feira. Agora, o artista e a sua equipa querem manifestar uma posição política com a campanha "We The People", contra as ideias que o Presidente eleito tem defendido.

  • Trabalhadores da saúde iniciam greve nacional

    País

    Trabalhadores da saúde estão esta sexta-feira a cumprir uma greve a nível nacional para reivindicar a admissão de novos profissionais, exigir a criação de carreiras e a aplicação das 35 horas semanais a todos os funcionários do setor.

  • Portugal a tremer de frio
    3:07

    País

    Portugal continua a registar temperaturas negativas, sobretudo no Norte do país. Em Trás-os-Montes, por exemplo, marcaram mínimas de 11 graus abaixo de zero e os termómetros desceram tanto que congelaram rios, canalizações de água e até aquecimentos de escolas. Mas nem tudo é mau pois os produtores falam em boa época para curar fumeiro.

  • Juiz brasileiro morto em acidente aéreo investigava corrupção na Petrobras
    1:28
  • Zoo da Indonésia acusado de querer matar ursos à fome

    Mundo

    Um grupo de ativistas da Indonésia acusa o Jardim Zoológico de Bandung de estar a matar à fome os seus animais, incluindo os ursos-do-sol, para ser fechado. Um vídeo recentemente publicado mostra os ursos, que aparecem muito magros e a implorar por comida.

  • Podem as plantas ver, ouvir e até reagir?

    Mundo

    Um professor de Ciências Vegetais da Universidade de Missouri, nos Estados Unidos, passou quatro décadas a investigar as relações entre vegetais e insetos. Na visão de Jack Schultz, as plantas são "como animais muito lentos", que conseguem ver, ouvir, cheirar e até têm comportamentos próprios.