sicnot

Perfil

Economia

Ministério Público abre inquérito ao empresário José Guilherme

O Ministério Público abriu um inquérito ao empresário José Guilherme, na sequência da recusa em ser ouvido no Parlamento no inquérito ao caso BES.

Em resposta à agência Lusa, a Procuradoria-Geral da República adiantou que "foi instaurado um inquérito" e que "este encontra-se em investigação no Departamento de Investigação e Ação Penal de Lisboa".

Em março, Fernando Negrão, presidente da CPI ao caso BES, entendeu enviar para o Ministério Público uma participação para aferir se a recusa de José Guilherme em ser ouvido no parlamento consubstancia um crime de desobediência.

A CPI pretendia ouvir o empresário, nomeadamente sobre a "prenda" de 14 milhões de euros que ofereceu ao então presidente do BES, Ricardo Salgado. 

José Guilherme, que reside em Angola, tinha adiado a sua presença no parlamento, alegando razões profissionais e de saúde, mas, segundo a comunicação social, o empresário terá estado na Amadora a 07 de março. 



Com Lusa
  • Comissão faz queixa contra José Guilherme por desobediência
    1:32

    Queda do BES

    A comissão de inquérito à derrocada do BES enviou uma queixa ao Ministério Público contra o empresário José Guilherme. Os deputados acreditam que houve crime de desobediência. O construtor civil, que terá dado uma prenda de 14 milhões de euros a Ricardo Salgado, alegou motivos de saúde e o facto de viver em Angola para não comparecer no Parlamento. Mas José Guilherme esteve em Portugal há duas semanas, altura em que foi visto numa barbearia na Amadora, onde corta habitualmente o cabelo.

  • Atacantes usaram "tática defendida pelos extremistas do Daesh"
    1:43

    Ataque em Barcelona

    O ex-presidente do Observatório de Segurança, Criminalidade Organizada e Terrorismo esteve em direto, para a SIC Notícias, onde falou sobre o ataque desta quinta-feira nas Ramblas, em Barcelona. José Manuel Anes falou na tática defendida na revista dos extremistas do Daesh e que foi usada neste ataque: a utilização de viaturas "de preferência as mais pesadas para matar o maior número de pessoas".