sicnot

Perfil

Economia

UGT elogia mas deixa "alertas" ao PS sobre o seu cenário macroeconómico

A UGT deixou hoje "alertas" ao PS sobre o seu cenário macroeconómico, designadamente em matéria de legislação laboral, e advertiu que a reforma da Segurança Social não pode ser feita com o ruído de uma campanha eleitoral.

Carlos Silva, secretário-geral da UGT, falava no final de uma reunião com o secretário-geral do PS, António Costa, e com Mário Centeno, que coordenou o grupo de trabalho de economistas que preparou para os socialistas o cenário macroeconómico, intitulado "Uma década para Portugal".

"Não se pode fazer uma reforma da Segurança Social no meio do ruído de uma campanha eleitoral. A última reforma, em 2008, foi construída num amplo consenso entre os parceiros sociais, que não entram na vida político-partidária", disse Carlos Silva.

O secretário-geral da UGT elogiou alguns aspetos da proposta constante no cenário macroeconómico do PS para a redução progressiva e temporária da taxa social única (TSU) dos trabalhadores e dos empregadores, designadamente por proporcionar maior poder de compra às famílias, mas manifestou-se também apreensivo com "a volatilidade" prevista para compensar financeiramente a previsível perda de receita do sistema público de Segurança Social.

"Deixámos aqui alguns alertas em relação a algumas matérias. Esta central sindical, apesar de optar pela moderação e de privilegiar o diálogo, não pode deixar de suscitar algumas preocupações, desde logo em relação ao mercado de trabalho", disse.

Carlos Silva afirmou acreditar na "boa-fé" do conjunto de propostas preparadas pelo grupo de economistas do PS em matéria de combate à precariedade laboral, mas advertiu que "não se pode abrir a porta às empresas para avançarem para despedimentos".

Lusa 

  • Primeiro-ministro hoje na cidade da Praia 

    País

    O primeiro-ministro, António Costa, está hoje em Cabo Verde para a a IV cimeira bilateral entre Portugal e aquele país africano, aproveitando a passagem pela cidade da Praia para inaugurar a escola portuguesa.

  • Deputados britânicos debatem hoje petição que desvaloriza visita de Donald Trump

    Mundo

    Os deputados britânicos debatem hoje uma petição que reclama que a futura visita de Estado do Presidente norte-americano, Donald Trump, seja reduzida a uma visita oficial, enquanto dezenas de milhares de pessoas se manifestam sobre o mesmo assunto. Dezenas de milhares de pessoas são esperadas hoje nas ruas de várias cidades do Reino Unido, em protestos organizados para coincidir com a discussão no parlamento (na Câmara dos Comuns) de uma petição 'online' que já tem quase dois milhões de subscritores.

  • Portugal sem resposta de Moçambique sobre português desaparecido em Maputo
    1:25

    País

    Portugal tem tentado, sem sucesso, obter respostas das autoridades moçambicanas sobre o rapto de um empresário português há sete meses. De acordo com a notícia avançada este domingo pelo jornal Público, uma carta enviada há duas semanas pelo Presidente da República ao homólogo moçambicano não teve resposta. O Governo de Moçambique tem ignorado pedidos de informação das autoridades portuguesas.

  • Matteo Renzi demite-se da liderança do Partido Democrático

    Mundo

    O antigo primeiro-ministro italiano Matteo Renzi demitiu-se hoje da liderança do Partido Democrata (PD), uma decisão que faz parte de uma estratégia para retomar o controlo da formação de centro-esquerda, onde uma minoria mais à esquerda ameaça cindir-se.