sicnot

Perfil

Economia

UGT elogia mas deixa "alertas" ao PS sobre o seu cenário macroeconómico

A UGT deixou hoje "alertas" ao PS sobre o seu cenário macroeconómico, designadamente em matéria de legislação laboral, e advertiu que a reforma da Segurança Social não pode ser feita com o ruído de uma campanha eleitoral.

Carlos Silva, secretário-geral da UGT, falava no final de uma reunião com o secretário-geral do PS, António Costa, e com Mário Centeno, que coordenou o grupo de trabalho de economistas que preparou para os socialistas o cenário macroeconómico, intitulado "Uma década para Portugal".

"Não se pode fazer uma reforma da Segurança Social no meio do ruído de uma campanha eleitoral. A última reforma, em 2008, foi construída num amplo consenso entre os parceiros sociais, que não entram na vida político-partidária", disse Carlos Silva.

O secretário-geral da UGT elogiou alguns aspetos da proposta constante no cenário macroeconómico do PS para a redução progressiva e temporária da taxa social única (TSU) dos trabalhadores e dos empregadores, designadamente por proporcionar maior poder de compra às famílias, mas manifestou-se também apreensivo com "a volatilidade" prevista para compensar financeiramente a previsível perda de receita do sistema público de Segurança Social.

"Deixámos aqui alguns alertas em relação a algumas matérias. Esta central sindical, apesar de optar pela moderação e de privilegiar o diálogo, não pode deixar de suscitar algumas preocupações, desde logo em relação ao mercado de trabalho", disse.

Carlos Silva afirmou acreditar na "boa-fé" do conjunto de propostas preparadas pelo grupo de economistas do PS em matéria de combate à precariedade laboral, mas advertiu que "não se pode abrir a porta às empresas para avançarem para despedimentos".

Lusa 

  • "A nossa lei tem demasiados buracos"
    0:44

    País

    Rui Cardoso acusa a classe política de não querer resolver os problemas da corrupção em Portugal. Entrevistado na Edição da Noite da SIC Notícias o magistrado do Ministério Público considera que ainda há um longo caminho a percorrer no combate à corrupção.

  • Salah Abdeslam deixa cadeira vazia na leitura da sua sentença
    2:05

    Mundo

    O único suspeito vivo dos ataques de Paris em 2015 foi esta segunda-feira condenado a 20 anos de prisão por um tribunal belga, num processo paralelo: um tiroteio em março de 2016, em Bruxelas. Tanto Salah Abdeslam como o cúmplice não quiseram estar na leitura da sentença. O julgamento de Salah Abdeslam pelos ataques de Paris só deverá acontecer no próximo ano, em França.

  • Beyoncé e a irmã caem e o vídeo torna-se viral

    Cultura

    Beyoncé voltou este fim de semana a subir ao palco do Coachella, depois de ter atuado na primeira semana do festival que decorreu no deserto da Califórnia, nos EUA. A cantora norte-americana voltou a brilhar, mas foi o momento em que caiu no palco com a irmã, Solange, que acabou por se tornar viral.

    SIC

  • Cientistas querem sequenciar genomas de 15 milhões de espécies

    Mundo

    Um consórcio internacional de cientistas, que por enquanto não inclui portugueses, propõe-se sequenciar, catalogar e analisar os genomas (conjuntos de informação genética) de 15 milhões de espécies, uma tarefa que levará dez anos a fazer, foi divulgado esta segunda-feira.