sicnot

Perfil

Economia

Fruta Feia evita desperdício de 100 tonelas de fruta e hortaliças

A cooperativa Fruta Feia evitou o desperdício de 100 toneladas de frutas e hortaliças no primeiro ano e meio de funcionamento, contando agora com 650 consumidores associados e uma lista de espera de 2.100 em todo o país.

"A nossa meta era superar as 100 toneladas, o que atingimos esta semana [102,225Kg], isto significa o crescimento da Fruta Feia. Hoje em dia, estamos a trazer quatro toneladas do campo, o que, para os agricultores, representa um aumento bastante significativo na sua rentabilidade", disse Isabel Soares, uma das fundadoras do projeto, em declarações à agência Lusa.

A cooperativa Fruta Feia resulta de uma ideia de quatro amigos para aproveitar cerca de um terço da fruta e vegetais que os supermercados desperdiçam, por considerarem que não têm o aspeto perfeito que os consumidores procuram.

Com a abertura do último ponto de entrega da Fruta Feia na linha de Cascais, mais precisamente na Parede, Isabel Soares considerou ter sido dado mais "um salto no crescimento" do projeto e atingido um dos objetivos para abril, que era descentralizar a distribuição em Lisboa e abrir o terceiro ponto de entrega.

Isabel Soares reconheceu que a intenção inicial da Fruta Feia "era crescer", mas sublinha que tudo "aconteceu acima das expetativas".

 Lembrou que quando apresentou a ideia a concurso, na Gulbenkian, o projeto era arrancar com um grupo de 40 consumidores no Intendente, em Lisboa, mas quando foi colocado em prática eram já 100.

"Segundo o nosso modelo de negócio inicial, devíamos estar com 120 pessoas. Estamos com 700 e nas próximas duas semanas vamos receber mais 100, vamos ser 800 no total", afirmou ainda um pouco incrédula.

De acordo com Isabel Soares, o projeto "superou muito" as expetativas da jovem equipa que o colocou em marcha. 

A responsável salientou que, um ano e meio depois, as pessoas continuam a identificar-se com a causa, o que os faz ter uma lista de espera enorme.

"Há agricultores nos quais conseguimos, este ano, escoar todo o desperdício que tinham. É uma sensação excelente, perceber que conseguimos evitar que estas pessoas deixassem de deitar produtos para o lixo ou não apanhá-los das hortas e pomares, é ótimo", sublinhou.

Para o segundo semestre de 2015, o objetivo, de acordo com Isabel Soares, é levar a Fruta Feia até ao Porto, em princípio com duas delegações.

Atualmente, as cestas de 'fruta feia' - pequenas com 3/4kg e cinco a sete variedades e a grande com 6/8kg e sete a nove variedades, compostas por frutas e hortaliças, que variam semana a semana conforme a altura do ano - podem ser recolhidas às segundas-feiras na Casa Independente, no Intendente, às terças-feiras no Ateneu Comercial de Lisboa e às quintas-feiras na Sociedade Musical União Paredense, na Parede.

"Gente bonita come fruta feia" é o lema do projeto, que pretende associar "bons ideais às pessoas que estão dispostas a comer" esta fruta não normalizada, para evitar o desperdício alimentar, concluiu Isabel Soares.


Lusa
  • "A Minha Outra Pátria": o drama da Venezuela no Jornal da Noite
    2:12

    Reportagem Especial

    Quase cinco mil emigrantes regressaram à Madeira nos últimos meses por causa da crise económica, social e política na Venezuela. Os pedidos de ajuda ao Governo Regional dispararam. Muitos luso-venezuelanos voltaram às origens com pouco mais do que a roupa do corpo. "A Minha Outra Pátria", Reportagem Especial de hoje.

  • Milhares de clientes da CGD vão pagar quase 5€/ mês por comissões de conta
    1:24
  • Como fugir às comissões bancárias
    7:24

    Contas Poupança

    Há muitos casos em que ter uma conta no banco está a dar prejuízo. Os juros são tão baixos e as comissões de manutenção de conta são tão altas que há portugueses que todos os meses perdem dinheiro apenas porque têm dinheiro no banco. O Contas Poupança foi à procura de alternativas.

  • Governo reconhece seca severa no continente desde 30 de junho

    País

    O Governo reconheceu, hoje, a existência de uma situação de seca severa no território continental, desde 30 de junho, que consubstancia um fenómeno climático adverso, com repercussões negativas na atividade agrícola, em despacho publicado hoje em Diário da República.

  • Produtores de maçã de Armamar dizem não ter recebido resposta do Ministério
    2:14

    País

    Os produtores de maçã de Armamar estão preocupados. Parte da produção foi destruída pelo mau tempo. Contudo, duas semanas depois, ainda não há resposta do Ministério da Agricultura aos pedidos de ajuda. Mais de 60 produtores com 800 hectares foram afetados e as árvores atingidas pelo granizo podem não conseguir produzir no próximo ano.

  • Bebé Charlie Grad já não vai receber tratamento nos EUA

    Mundo

    A mãe de Charlie Grad disse esta segunda-feira que o bebé poderia ter vivido uma vida normal, caso tivesse começado a receber tratamento cedo. Já o pai admitiu que o filho não iria viver até ao primeiro aniversário. O bebé foi diagnosticado com uma doença rara e um hospital em Inglaterra pediu permissão para desligar a ventilação artificial e fornecer-lhe cuidados paliativos. O Tribunal Europeu dos Direitos Humanos aceitou e, até hoje, os pais travaram uma batalha na Justiça para suspender a decisão na esperança de irem tratar o filho nos Estados Unidos da América.

  • Número de mortos em atentado em Cabul sobe para 31

    Mundo

    O número de mortos no atentado com um carro armadilhado atribuído aos talibãs, esta segunda-feira de manhã em Cabul, subiu para 31, aos quais se somam cerca de 40 feridos, de acordo com um novo balanço das autoridades.

  • Pelo menos cinco feridos em ataque na cidade suíça de Schaffhausen

    Mundo

    Pelo menos cinco pessoas ficaram hoje feridas na sequência de um ataque, na cidade suíça de Schaffhausen. De acordo com as autoridades, as vítimas foram atacadas por um homem armado com uma motosserra, que está a ser procurado pela polícia. As autoridades descartaram a hipótese de "ato terrorista".

  • Oposição pressiona Maduro com anúncio de manifestações e greve geral
    1:34