sicnot

Perfil

Economia

Zona euro nega ter sido discutido 'plano B' no Eurogrupo para Grécia

Vários ministros das Finanças da zona do euro e o Comissário Europeu Pierre Moscovici negaram hoje que se tenha falado no Eurogrupo de um 'plano B' para a Grécia, embora a Eslovénia tenha confirmado que puxou o assunto.

© Yves Herman / Reuters

Segundo várias fontes, o ministro das Finanças da Eslovénia, Dusan Mramor, falou na reunião informal de sexta-feira, em Riga (capital da Letónia), na necessidade de se avançar para um 'plano B' para a Grécia, perante a falta de progressos nas negociações quanto às medidas a adotar por Atenas.

"A minha intervenção foi sobre o que faremos a seguir se não conseguirmos um novo programa a tempo de a Grécia se poder financiar e melhorar a sua liquidez. Isso foi tudo e um 'plano B' pode ser qualquer coisa", limitou-se a dizer Dusan hoje à chegada ao Ecofin, que reúne os ministros das Finanças da União Europeia (UE).

Por sua vez, o ministro das Finanças francês, Michel Sapin, disse sexta-feira que no Eurogrupo informal só se falou de um "plano A", a Grécia no euro e na UE, e garantiu que não existem quaisquer planos "B, C, D ou E".

Do mesmo modo, também o ministro austríaco, Jörg Schelling, garantiu que "não há nada de verdade" em informações que dão conta de algum debate em torno de um 'plano B'.

Também o comissário europeu para os Assuntos Económicos e Financeiro, Pierre Mioscovici, afirmou que "não há um plano B" porque a Grécia "deve permanecer na zona euro"

Segundo o francês, na sexta-feira "não houve pressão", mas exigências às autoridades gregas para avançarem com reformas porque, por um lado, a Grécia tem de respeitar os seus compromissos e, por outro, é o melhor para os gregos e a recuperação da sua economia.

"Creio que vimos nas expressões de Yanis Varoufakis que essa mensagem foi entendida e confio que retomaremos agora as negociações com mais força", considerou.

Os relatos da imprensa dão conta de um ambiente hostil para com Varoufakis na reunião de sexta-feira do Eurogrupo, com muitos ministros a tecerem palavras duras para com a atitude do ministro das Finanças grego.

O próprio presidente do Eurogrupo, Jeroen Dijsselbloem, admitiu na conferência de imprensa que esta foi uma "discussão muito crítica" e voltou a dizer que "o tempo está a esgotar-se" para a Grécia.

Já a ministra das Finanças de Portugal, Maria Luís Albuquerque, que disse que não interveio na parte da Grécia por não ter nada a acrescentar ao que outros colegas disseram, considerou que o "tom de frustração" dominou essa parte do encontro.

Há já dois meses que a Grécia está a negociar com o chamado Grupo de Bruxelas - constituído por Comissão Europeia, Banco Central Europeu, Fundo Monetário Internacional e ainda Mecanismo Europeu de Estabilidade - reformas estruturais e medidas de consolidação orçamental para que possa aceder à última tranche do programa de resgate, de 7,2 mil milhões de euros.

Os parceiros europeus estão já cansados do arrastar das negociações, sem qualquer progresso evidente, e crescem os receios de que o país possa entrar em incumprimento ('default') ao falhar pagamentos.

Também na conferência de imprensa de sexta-feira, o presidente do BCE, Mario Draghi, quando questionado sobre até quando os bancos gregos irão manter o acesso à linha de emergência, respondeu que acontecerá enquanto forem solventes e tiverem colateral para darem como garantia, mas falou na deterioração de colateral que a atual situação está a provocar, podendo a instituição vir a fazer mais exigências em troca da concessão de dinheiro. 

  • Eurogrupo reunido sem perspetivas de acordo sobre a Grécia
    0:27

    Economia

    O Eurogrupo está hoje reunido em Riga, na Letónia, para analisar o estado das negociações com a Grécia. Os 28 voltam a discutir a situação grega, mas sem perspetivas de chegarem ainda hoje a um acordo. À entrada para o encontro, o Comissário Europeu para os Assuntos Económicos e Financeiros, Pierre Moscovici, admitiu que as negociações têm decorrido de forma demasiado lenta.

  • Eurogrupo "frustrado" e sem acordo com a Grécia
    0:25

    Economia

    A reunião do Eurogrupo terminou sem acordo para a Grécia. O país está numa situação cada vez mais difícil. À saída, a ministra das Finanças reconheceu que o acordo é a melhor solução para todas as partes e que houve um tom de frustração durante o encontro.

  • Presidente do Eurogrupo avisa que Grécia está a ficar sem tempo
    0:33

    Economia

    Terminou a reunião do Eurogrupo, em Riga, na Letónia, sem acordo para a Grécia. O presidente do Eurogrupo disse na conferência de imprensa final que houve sinais positivos nas negociações mas que ainda há um longo caminho a percorrer. Jeroen Dusselbloem reforçou que o tempo para a Grécia está a esgotar-se.

  • Costa de Metro de Odivelas para Lisboa para relembrar corrida entre burro e Ferrari
    2:55

    Autárquicas 2017

    António Costa começou hoje o dia de campanha em Odivelas, para uma viagem de Metro até Lisboa, em que recordou a célebre corrida entre um burro e um Ferrari que protagonizou em 1993 quando foi canditado do PS à Câmara de Loures. Foi nesta cidade, onde ontem à noite, que desferiu um violento ataque a Pedro Passos Coelho, acusando-o de transformar o PSD num partido que não é digno de um Estado democrático.

  • O aeroporto de Beja, um "elefante branco" na planície alentejana
    4:33
  • Paciente há 15 anos em estado vegetativo consegue seguir objetos e mexer a cabeça

    Mundo

    Um homem de 35 anos, que ficou em estado vegetativo após um acidente de viação há 15 anos, deu sinais de consciência depois de lhe ter sido aplicada uma nova técnica de estimulação nervosa. Cirurgiões implantaram no paciente um pequeno aparelho que estimula o nervo vago, responsável pela ligação nervosa entre o cérebro e o resto do corpo. A intervenção aconteceu em França e a descoberta foi publicada na revista científica Current Biology.