sicnot

Perfil

Economia

FMI pronto para avaliar necessidades financeiras do Nepal após forte sismo

A diretora-geral do Fundo Monetário Internacional (FMI) afirmou, este sábado, que o organismo está pronto para avaliar rapidamente as necessidades financeiras do Nepal, onde um forte sismo fez mais de mil mortes.

© Yuri Gripas / Reuters

"Uma equipa do FMI está pronta para seguir para o Nepal o mais rapidamente possível, a fim de ajudar o governo a avaliar a situação macroeconómica e a determinar as necessidades financeiras", afirmou Christine Lagarde em comunicado.

Segundo a mesma responsável, o FMI está a coordenar-se com o Banco Mundial, com o Banco Asiático de Desenvolvimento e outras organizações "para avaliar o impacto da catástrofe natural no país e determinar como ajudar da melhor forma possível".

O secretário-geral da ONU, Ban Ki-Moon, também anunciou que a organização está a preparar "um grande esforço" de assistência ao Nepal.

Um terramoto de 7,8 na escala de Richter sacudiu o Nepal, causando perto de 1.200 mortos, segundo um balanço provisório divulgado na noite de sábado.

Trata-se do sismo mais mortífero registado no Nepal desde 1934.

  • Nepal volta a tremer, novo balanço aponta para mais de 2.000 mortos

    Sismo no Nepal

    O último balanço das autoridades dá conta de mais de 2 mil mortos. O sismo de ontem é o maior dos últimos 80 anos. Provocou ainda avalanchas no Evereste e vítimas no Tibete e na Índia.Uma violenta réplica de magnitude 6,7 na escala de Richter abalou hoje o Nepal, um dia depois de um sismo devastador ter atingido o país e causado mais de 2.000 mortes, assim como na China e Índia, anunciou o Instituto Norte-Americano de Geofísica (USGS).

  • Terra volta tremer no Nepal e na Índia
    2:25

    Sismo no Nepal

    Um novo sismo de magnitude 6,7 na escala de Richter voltou a abalar o Nepal. Ainda não há muitas informações, mas sabe-se que, foi também sentido em Nova Deli, na Índia. Ontem, o país sofreu um outro poderoso abalo, de magnitude 7,8 que terá provocado a morte a mais de 2 mil pessoas. Há ainda mais de 5 mil feridos. Ao país começam hoje a chegar equipas e recursos enviados pela comunidade internacional que se disponibilizaram a ajudar.

  • Aplicação WhatsApp acusada de permitir conversas secretas entre terroristas
    1:45
  • "Um Lugar ao Sol"
    17:05
    Perdidos e Achados

    Perdidos e Achados

    SÁBADO NO JORNAL DA NOITE

    O Perdidos e Achados foi conhecer como eram as férias de outros tempos. Quando o Estado Novo controlava o lazer dos trabalhadores e criava a ilusão de um país exemplar. Na Costa de Caparica, onde é hoje o complexo do INATEL estava instalada a maior colónia de férias do país, chamava-se "Um Lugar ao Sol".