sicnot

Perfil

Economia

Taxas Euribor estáveis a três meses e a subirem a seis, nove e 12 meses

As taxas Euribor inverteram a tendência das últimas semanas, ao manterem-se a três meses e a subirem a seis, nove e 12 meses em relação a quarta-feira. 

© Kai Pfaffenbach / Reuters

A taxa Euribor a seis meses, a mais utilizada em Portugal nos créditos à habitação, subiu hoje para 0,064%, mais 0,003 pontos do que na quarta-feira, quando desceu para 0,061%, atual mínimo de sempre.       

   No prazo de 12 meses, a Euribor subiu 0,004 pontos, ao ser fixada em 0,171%, contra o mínimo de sempre, de 0,167%, na quarta-feira. 

A nove meses, a Euribor também subiu para 0,111%, mais 0,001 pontos do que na véspera, quando foi fixada no mínimo de sempre de 0,110%. 

 A Euribor a três meses, em valores negativos desde 21 de abril, foi hoje fixada de novo em -0,005%, atual mínimo de sempre, registado pela primeira vez na última terça-feira. 

As Euribor são fixadas pela média das taxas às quais um conjunto de 57 bancos da zona euro está disposto a emprestar dinheiro entre si no mercado interbancário.   

Lusa
  • O fim do julgamento do caso BPN, seis anos depois
    2:26

    País

    O antigo presidente do BPN José Oliveira Costa tentou adiar o fim do julgamento principal do caso com um recurso para o Tribunal Constitucional. Apesar disso, a leitura do acórdão continua marcada para esta quarta-feira, quase seis anos e meio depois de os 15 arguidos se terem sentado pela primeira vez no banco dos réus.

  • José Oliveira Costa, o rosto do buraco financeiro do BPN
    3:04

    País

    José Oliveira Costa foi o homem forte do BPN durante 10 anos e tornou-se o rosto do gigantesco buraco financeiro. Manteve-se em silêncio durante todo o julgamento, mas falou aos deputados da comissão de inquérito, para negar qualquer envolvimento no escândalo que fez ruir o BPN.

  • Saída do Procedimento por Défice Excessivo marca debate no Parlamento
    1:40
  • Filhos tentam anular casamento de pai de 101 anos

    País

    O casamento de um homem de 101 anos com uma mulher com metade da idade, em Bragança, está a ser contestado judicialmente pelos filhos do idoso, que acusam aquela que era empregada da família de querer ser herdeira.