sicnot

Perfil

Economia

Trabalhadores dos hipermercados e supermercados em greve

Os trabalhadores dos hipermercados e supermercados cumprem hoje, Dia do Trabalhador, um dia de greve, em defesa de aumentos salariais e da melhoria das condições de trabalho, convocada por sindicatos da CGTP e da UGT.

A empresa prevê abrir 30 novas lojas Pingo  Doce em Portugal, 800 novas lojas da insígnia Biedronka, na  Polónia, pelo menos 200 novas lojas Ara na Colômbia e em número igual da Hebe, também na Polónia (SIC/ Arquivo)

A empresa prevê abrir 30 novas lojas Pingo  Doce em Portugal, 800 novas lojas da insígnia Biedronka, na  Polónia, pelo menos 200 novas lojas Ara na Colômbia e em número igual da Hebe, também na Polónia (SIC/ Arquivo)

Os funcionários das empresas de distribuição estão contra a redução dos salários e dos direitos dos trabalhadores. Os sindicatos sublinham a necessidade de combater a precariedade no setor. 

O Sindicato do Comércio e Serviços já acusou as cadeias de supermercados e hipermercados de não aumentarem os trabalhadores por falta de vontade, embora tenham capacidade financeira, pois fazem campanhas de descontos em dia de greve no setor. 

"As cadeias de supermercados e hipermercados não aumentam os trabalhadores por falta de dinheiro, mas sim porque os querem empobrecer, como se comprova com a campanha de oferta generalizada de produtos na véspera e dia 1.º de Maio", segundo um comunicado do sindicato divulgado recentemente.


Com Lusa

  • Os negócios menos claros do filho de Pinto da Costa
    1:55
  • BCE autoriza CGD a avançar com recapitalização

    Caso CGD

    A Caixa Geral de Depósitos informou esta sexta-feira que vai prosseguir com as operações da primeira fase do aumento de capital, depois de ter obtido autorização para isso junto do Banco Central Europeu (BCE) e do Banco de Portugal.

  • Condutores apanhados a mais de 200 em corridas ilegais na Ponte Vasco da Gama
    1:25
  • A história da guerra em Alepo
    7:43
  • Reino Unido em alerta máximo de terrorismo

    Mundo

    O Reino Unido elevou o alerta de terrorismo para o nível máximo depois das declarações, esta quinta-feira, do chefe das secretas britânicas. O diretor do MI6 está preocupado com eventuais ataques contra o Reino Unido e outros aliados.

  • Uma "cidade fantasma" na Letónia
    3:10
  • O anúncio de natal que está a emocionar o mundo
    1:47