sicnot

Perfil

Economia

Banco de Portugal diz que é imprescindível continuar ajustamento e reformas estruturais

O Banco de Portugal defendeu hoje que "é imprescindível" para a economia portuguesa "prosseguir o processo de ajustamento em curso" e que o sucesso de Portugal depende também de realizar reformas estruturais e "persistir na correção dos desequilíbrios macroeconómicos".

(SIC/ Arquivo)

A instituição liderada por Carlos Costa apresentou hoje o Boletim Económico de maio no qual o banco central analisa a evolução da economia portuguesa em 2014, não incluindo previsões para os próximos anos.

O Banco de Portugal considera que "é imprescindível para a economia portuguesa prosseguir o processo de ajustamento em curso, de forma a que "os aumentos do consumo sejam sustentáveis, o investimento assegure a renovação do capital e os níveis de endividamento sejam progressivamente reduzidos".

Para a entidade, "o sucesso da economia portuguesa" depende, por um lado, da sua capacidade para "aumentar a quantidade e a qualidade dos fatores produtivos", mas também da capacidade de "encetar reformas estruturais e persistir na correção dos desequilíbrios macroeconómicos com base numa correta condução das políticas económicas".

Em relação ao elevado nível de endividamento de Portugal, o Banco de Portugal considera que "constitui um problema" por representar um "contínuo desvio de recursos associado ao serviço da dívida" e pelo "nível de exposição ao risco a que submete a economia".

Quanto ao mercado de trabalho, o banco central considera que a evolução verificada em 2014 "espelha a evolução na atividade e também os fortes desequilíbrios acumulados nos últimos anos".

Apesar de o emprego ter crescido e de a taxa de desemprego ter caído em 2014, "os níveis de utilização do fator trabalho na economia portuguesa mantêm-se muito abaixo dos prevalecentes antes do início da crise internacional" e há também "uma menor dinâmica" nos fluxos laborais, ou seja, há menos destruição de emprego mas também uma "limitada criação de novos postos de trabalho".

Além disso, o Banco de Portugal sublinha que "a persistência de elevados níveis de desemprego envolve custos económicos e sociais muito assinaláveis", pelo que a capacidade de absorver os desempregados no mercado de trabalho "permanece como um dos principais desafios da economia portuguesa, o qual se torna estruturalmente mais difícil de vencer quanto maior a duração do desemprego".

A solução para este problema passa por adotar "medidas que envolvam a redução da segmentação no mercado de trabalho e que aumentem a flexibilidade salarial", recomenda o banco central.

O Banco de Portugal sublinha, no entanto, que, depois de três anos de contração económica, Portugal cresceu 0,9% em 2014 e que, "embora moderado, este crescimento é de assinalar visto ter ocorrido em simultâneo com o restabelecimento de equilíbrios macroeconómicos fundamentais", no âmbito do programa de resgate, concluído a meio do ano passado.

Outro aspeto positivo destacado pelo banco central foi a evolução das exportações em 2014, que passaram a ter um peso de 40% do PIB, mais 10 pontos percentuais do que em 2010, uma alteração que, para a instituição, "corresponde a uma alteração estrutural".

Lusa
  • Vários mortos em avalancha em Itália

    Mundo

    Várias pessoas morreram numa avalanche que atingiu um hotel numa estação de esqui na montanha de Gran Sasso, Itália. As equipas de socorro conseguiram resgatar duas pessoas, mas admitem ainda a existência de quase 30 mortos.

    Em desenvolvimento

  • Mortágua acusa PSD de andar a brincar com a vida das pessoas
    0:47

    Opinião

    No Esquerda/Direita da SIC Notícias, António Leitão Amaro reafirmou ontem à noite que o PSD não é contra o aumento do salário mínimo mas contra a descida da TSU. Já Mariana Mortágua acusou os sociais-democratas de andar a brincar com a vida dos portugueses.

  • Temperaturas negativas congelam rio em Bragança
    1:26

    País

    As baixas temperaturas os últimos dois dias, com as mínimas a descer até aos 10 graus negativos durante a noite e madrugada, congelaram o rio que atravessa a aldeia de Gimonde, no concelho de Bragança. O repórter da SIC João Faiões esteve esta manhã no local.

  • Pelo menos 30 mortos e 75 feridos em incêndio e derrocada de edifício em Teerão

    Mundo

    Pelo menos 30 bombeiros morreram esta quinta-feira e cerca de 75 pessoas ficaram feridas em Teerão, quando um edifício de 17 andares ruiu depois de ser consumido pelas chamas, noticiaram os meios de comunicação estatais iranianos. O edifício "Plasco" situa-se no centro da capital iraniana, a norte da zona do mercado.

    Em desenvolvimento

  • Os finalistas do Carro do Ano 2017 são...
    0:53

    Economia

    São sete os escolhidos pelos jurados do Carro do Ano, iniciativa do Expresso e da SIC Notícias. À final chegaram o Citroen C3 Pure Tech, o Hyundai IONIQ Hybrid Tech, da Kia o novo modelo Optima Sportwagon 1.7 CRDi GT Line, o Peugeot 3008 Allure 1.6 BlueHdi, o Renault Mégane Sport Tourer Energy dCI, o SEAT Ateca 1.6 TDI CR Style e ainda o Volvo V90.

  • Feriado no Carnaval e fim das pontes chumbados
    2:15

    País

    Nem o Carnaval vai passar a ser feriado, nem as pontes vão acabar. O PS rejeitou esta quarta-feira no Parlamento uma proposta do PSD para que os feriados a meio da semana sejam gozados na segunda-feira seguinte. Ao mesmo tempo, os socialistas recusaram duas propostas apoiadas pelos partidos de esquerda, para que o Carnaval passasse a ser sempre feriado.

  • As alterações na carta de condução que ajudam a poupar
    6:16