sicnot

Perfil

Economia

Portugal com 2ª maior subida da UE na taxa de emprego em 2014

Portugal foi o país da União Europeia (UE) que registou a segunda maior subida na taxa de emprego em 2014, um aumento de 2,2 pontos percentuais, depois da Hungria (3,7 pontos), dados hoje divulgados pelo Eurostat.

(Reuters/ Arquivo)

(Reuters/ Arquivo)

© Hugo Correia / Reuters

De acordo com o gabinete de estatísticas da União Europeia (UE), a taxa de emprego da população entre os 20 e os 64 anos em Portugal foi, em 2014, de 67,6%, mais 2,2 pontos percentuais do que no ano anterior.

 

Na UE, a taxa de emprego cresceu pela primeira vez desde que começou a crise financeira para os 69,2%, face aos 68,4% de 2013, mas ainda sem conseguir ultrapassar o recorde de 2008 (70,3%).

 

Em termos de género, a taxa de emprego nos homens aumentou em Portugal 0,4 pontos para os 71,6% em 2014 e 0,6 pontos para os 63,6% nas mulheres.

 

Na UE, o indicador aumentou -- de 2013 para 2014 -- 0,7 pontos, para os 75%, enquanto nas mulheres cresceu 0,9 pontos para os 63,5%.

 

O objetivo traçado na estratégia Europa 2020 é, tanto para Portugal quanto para a UE , de se chegar então a uma taxa de emprego de 75%.

 

A taxa de emprego corresponde ao número de pessoas empregadas em percentagem da população do mesmo grupo etário.


Lusa

  • Passos acusa Governo de "sacudir água do capote"

    País

    O líder do PSD, Pedro Passos Coelho, acusou este sábado o Governo de "sacudir a água do capote" para não assumir a responsabilidade pelo que está a ser decidido, usando uma política de comunicação que considerou ser um "embuste".

  • Quase 200 polícias solidários com agentes acusados
    2:29

    País

    Perto de 200 polícias manifestaram-se este sábado na sede da PSP em Alfragide, em solidariedade com os 18 agentes acusados no processo Cova da Moura. O Sindicato Nacional de Polícia associou-se ao protesto e diz existir um aproveitamento político do caso.

  • Polícias ameaçam com protestos no arranque do campeonato
    1:24

    País

    Os agentes da PSP ameaçam boicotar a presença nos jogos do campeonato da Primeira e Segunda ligas que começam em 15 dias. Os agentes colocam em causa o atual modelo de policiamento no futebol, que faz com que muitos dos profissionais da PSP trabalhem sem remuneração em dia de folga.