sicnot

Perfil

Economia

TAP diz que foram realizados 85% dos voos, sindicato avança com 62,6%

A TAP garante que cerca de 85% dos voos previstos até às 13:00 desta quinta-feira foram realizados, mas o Sindicato dos Pilotos diz que, até às 15:00, apenas se concretizaram 62,6% das operações planeadas.

Os pilotos da TAP convocaram uma greve, para o período entre 1 e 10 de maio, por considerarem que o Governo não está a cumprir o acordo assinado em dezembro de 2014, nem um outro, estabelecido em 1999, que lhes dava direito a uma participação de até 20 por cento no capital da empresa no âmbito da privatização.

Os pilotos da TAP convocaram uma greve, para o período entre 1 e 10 de maio, por considerarem que o Governo não está a cumprir o acordo assinado em dezembro de 2014, nem um outro, estabelecido em 1999, que lhes dava direito a uma participação de até 20 por cento no capital da empresa no âmbito da privatização.

Lusa

Em declarações à agência Lusa, uma fonte oficial da TAP afirmou que cerca de 85% dos voos previstos até às 13:00 de hoje, sétimo dia da greve dos pilotos, foram realizados, uma média superior aos dias anteriores, mas que a transportadora admite que recue para os 70% que têm vindo a registar-se.

"Ainda falta o resto da operação diária", disse Lúcia Cavaleiro, explicando que "no final da tarde é que começa a segunda onda [de voos] do dia e a diferença relativamente aos fluxos dos outros dias ainda pode levar a que a operação acabe por estabilizar nos 70% dos dias anteriores de greve".

De acordo com a responsável, até as 13:00 foram realizados 189 dos 221 voos programados, tendo sido cancelados 32.

Relativamente à afluência de passageiros afetados aos balcões da TAP, disse estar a ser hoje já bastante mais menor: "Com a experiência dos dias anteriores já vamos conseguindo gerir melhor as operações", afirmou.

Numa nota enviada à agência Lusa, o Sindicato dos Pilotos da Aviação Civil (SPAC) fala, contudo, em 129 voos planeados até às 15:00, dos quais "seis eram serviços mínimos e 46 foram cancelados".

"Estes números indicam que, ao contrário do que foi afirmado pelo Governo, o impacto da greve é de 37,4% dos voos cancelados para 62,6% realizados", sustenta a estrutura sindical.

Quanto à adesão à greve dos pilotos associados do SPAC, acrescenta, situa-se nos 80%, correspondentes a um total de 877 pilotos.

Os pilotos da TAP convocaram uma greve, para o período entre 1 e 10 de maio, por considerarem que o Governo não está a cumprir o acordo assinado em dezembro de 2014, nem um outro, estabelecido em 1999, que lhes dava direito a uma participação de até 20 por cento no capital da empresa no âmbito da privatização.  

Lusa
  • TAP prevê realizar 70% dos voos programados
    0:47

    Economia

    A TAP garante que tem feito o possível para resolver rapidamente o problema dos passageiros que ficam sem voo por causa da greve dos pilotos, mas sublinha que se trata de uma gestão minuto a minuto. A porta-voz da empresa, Lúcia Cavaleiro, disse ao início da manhã que acredita que o dia de hoje será semelhante aos anteriores quanto à adesão à greve.

  • Governo afasta requisição civil perante eventual nova greve na TAP
    0:43

    Economia

    O ministro da Presidência diz que uma possível nova greve dos pilotos da TAP é um profundo desrespeito pelo país e volta a pedir aos profissionais da aviação que desobedeçam à paralisação convocada pelo sindicato. Ainda assim, Luís Marques Guedes diz que o Governo não vai avançar com uma requisição civil.

  • Caixa multibanco assaltada em Portugal a cada dois dias
    2:43

    País

    O semanário Expresso conta que a mulher que morreu vítima de um disparo de agentes da PSP foi atingida pelas costas. O caso está a ser investigado pela PJ, que procura encaixar as peças da noite que acabou com uma morte inocente mas que começou com uma perseguição a um grupo de assaltantes de um multibanco. Assaltos que são cada vez mais comuns e que preocupam o Governo. A cada dois dias, uma caixa é assaltada.

  • Metro de Lisboa vai reduzir consumo de água

    País

    O Metro de Lisboa colocou em prática um programa para reduzir o consumo de água devido à situação de seca em Portugal, respondendo assim ao apelo do Ministério do Ambiente, segundo um comunicado divulgado este sábado.