sicnot

Perfil

Economia

Diretora do Fundo grego de Estabilidade Financeira demitiu-se

A diretora executiva do Fundo grego de Estabilidade Financeira (FHEF), Anastasia Sakelariu, demitiu-se esta sexta-feira do cargo pela presumível associação com o escândalo das dívidas morosas do banco Postbank, que está a ser investigado.

Fontes do Ministério das Finanças grego citadas pela imprensa local asseguraram que a lei exige que "não haja a menor dúvida sobre a honestidade" dos membros do conselho do FHEF, o que no caso de Sakelariu "não se cumpre por estar sob investigação judicial". (Arquivo)

Fontes do Ministério das Finanças grego citadas pela imprensa local asseguraram que a lei exige que "não haja a menor dúvida sobre a honestidade" dos membros do conselho do FHEF, o que no caso de Sakelariu "não se cumpre por estar sob investigação judicial". (Arquivo)

Yorgos Karahalis / AP

O FHEF anunciou a renúncia, que se produziu a pedido do Governo grego, num comunicado que precisou que Sakelariu "não tinha qualquer impedimento legal para continuar no cargo".              

Fontes do Ministério das Finanças grego citadas pela imprensa local asseguraram que a lei exige que "não haja a menor dúvida sobre a honestidade" dos membros do conselho do FHEF, o que no caso de Sakelariu "não se cumpre por estar sob investigação judicial". 

A demissão de Sakelariu deixa o FHEF sem direção, já que o presidente da instituição, Jristos Sklavunis, apresentou a demissão do cargo a 23 de março. 

No princípio de março a diretora executiva do FHEF foi acusada por um grupo de deputados do partido Syriza de ter devolvido "por erro" 1.200 milhões de euros ao Fundo Europeu de Estabilidade Financeira (FEEF).

Sakelariu, que ocupava o cargo de diretora executiva do FHEF desde fevereiro de 2013, foi uma alta responsável do Postbank, um banco público que foi privatizado, na área da avaliação de riscos. 

A investigação sobre o Postbank, declarado insolvente em 2013, iniciou-se em junho deste ano e ficou concluída em janeiro de 2014.

Segundo a Procuradoria-Geral, 25 ex-altos responsáveis do Postbank e 15 destacados empresários devem ser julgados por alegadamente terem causado intencionalmente ao banco perdas no valor de 300 milhões de euros. 
Lusa
  • Outros casos de fuga de prisões portuguesas
    2:58

    País

    Nos últimos cinco anos, 52 reclusos fugiram de cadeias portuguesas, mas foram todos recapturados. Entre 1999 e 2009, fugiram oito reclusos da prisão de Caxias. Em 2005, um homem condenado a 21 anos de prisão fugiu de Coimbra, viajando por França e pela Polónia. Manuel Simões acabou por ser detido no regresso a Portugal.

  • Portugal sem resposta de Moçambique sobre português desaparecido em Maputo
    1:25

    País

    Portugal tem tentado, sem sucesso, obter respostas das autoridades moçambicanas sobre o rapto de um empresário português há sete meses. De acordo com a notícia avançada este domingo pelo jornal Público, uma carta enviada há duas semanas pelo Presidente da República ao homólogo moçambicano não teve resposta. O Governo de Moçambique tem ignorado pedidos de informação das autoridades portuguesas.

  • Táxi capaz de sobrevoar filas de trânsito ainda este ano no Dubai

    Mundo

    É o sonho de muitos que passam horas intermináveis em filas de trânsito. Trata-se de um drone com capacidade para transportar pessoas. "Operações regulares" deste insólito aparelho terão início em julho, no Dubai. O anúncio foi feito pela entidade que gere os transportes da cidade. Apenas um passageiro, com o peso máximo de 100 kg, pode seguir viagem neste táxi revolucionário, capaz de sobrevoar vias congestionadas pelo trânsito.