sicnot

Perfil

Economia

Sindicato dos pilotos da TAP continua a admitir uma nova greve

Sindicato dos pilotos da TAP continua a admitir uma nova greve

Ao oitavo dia de paralisação, o SPAC convocou os jornalistas para explicar os motivos do protesto. Os sindicalistas avisam que a divergência com o Governo ainda não está resolvida e garantem não vão desistir enquanto o Executivo não aceitar as reivindicações.

  • Piloto espanhol diz que Portugal deve olhar para erros de outras privatizações
    0:36

    Economia

    Depois de sete dias de greve na TAP, o sindicato voltou a reunir com os pilotos. Para reforçar os motivos da paralisação, o SPAC convidou Francisco Hoyas, um piloto da Iberia que foi delegado sindical na altura em que a companhia espanhola foi privatizada. O piloto diz que Portugal deve olhar para os erros cometidos nas privatizações das companhias aéreas de outros países e afirma que os pilotos da TAP estão a defender o país.

  • Sétimo dia de greve com mais voos que nos outros dias
    1:34

    Economia

    O Governo mostra-se satisfeito pelo facto de os números avançados pelo sindicatos dos pilotos, no ínicio da greve, não baterem certo. Ao 7º dia do protesto, o número de voos realizados pela TAP ficou ligeiramente acima da média diária. German Efromovich está em Lisboa até sábado e decide, nos próximos dias, se faz ou não uma proposta pela companhia.

  • Governo afasta requisição civil perante eventual nova greve na TAP
    0:43

    Economia

    O ministro da Presidência diz que uma possível nova greve dos pilotos da TAP é um profundo desrespeito pelo país e volta a pedir aos profissionais da aviação que desobedeçam à paralisação convocada pelo sindicato. Ainda assim, Luís Marques Guedes diz que o Governo não vai avançar com uma requisição civil.

  • Sporting de Braga eliminado da Liga Europa
    2:01
  • Dissolução da União Soviética aconteceu há 25 anos

    Mundo

    Assinalaram-se esta quinta-feira 25 anos desde o fim do acordo que sustentava a União Soviética. A crise começou em 80, mas aprofundou-se nos anos 90 com a ascensão de movimentos nacionalistas em praticamente todas as repúblicas soviéticas.