sicnot

Perfil

Economia

Crédito malparado volta a subir nas famílias e cai nas empresas

O crédito malparado das famílias voltou a subir em março para 5399 milhões de euros e o das empresas baixou para os 12.906 milhões de euros, divulgou esta terça-feira o Banco de Portugal (BdP).

(Arquivo)

(Arquivo)

© Rafael Marchante / Reuters

Segundo o banco central, o crédito malparado das famílias e das empresas atingiu os 18.305 milhões de euros, o que representava 8,79% do total de 208.088 milhões de euros concedidos pela banca a particulares e a sociedades não financeiras.

No que diz respeito às famílias, dos 122.541 milhões de euros emprestados, 5399 milhões eram considerados créditos vencidos (representando 4,4% do total). 

Este é um novo máximo do crédito malparado nas famílias em percentagem do total, depois de em fevereiro ter atingido os 5377 milhões de euros, o que representava 4,37% do total de 122.864 milhões de euros concedidos pela banca a particulares.

O crédito de cobrança duvidosa na habitação, em percentagem do total do crédito concedido para este fim, também subiu de 2,48% em fevereiro para 2,5% em março, atingindo os 2.526 milhões de euros.

Os dados do BdP mostram que o malparado também subiu no crédito ao consumo, de 10,83% em fevereiro para 10,9% em janeiro, representando 1294 milhões de euros do total de 11.939 milhões concedidos. 

Já quanto ao crédito a particulares para outros fins, os números do regulador dão conta de uma ligeira descida do crédito de cobrança duvidosa, de 15,94% em fevereiro para 15,93% em março, totalizando 1572 milhões de euros dos 9863 milhões concedidos. 

No caso das empresas, o crédito malparado também diminuiu ligeiramente, descendo para 15,09% em março (12.906 milhões de euros) quando em fevereiro representava 15,12% (12.969 milhões de euros) do total dos empréstimos concedidos a empresas.

Desde fevereiro do ano passado que o crédito malparado para as empresas ultrapassou os 10% do total concedido e durante um ano alcançou novos máximos, ultrapassando em outubro os 14% do total de créditos concedidos.

No caso das empresas de construção, o crédito malparado ultrapassou em março os 30,4% dos empréstimos concedidos pela banca a estas empresas, atingindo os 4.497 milhões de euros (do total de 14.787 milhões).
Lusa
  • Quase 200 queixas por dia sobre serviços de saúde em 2017
    1:46

    País

    Foram apresentadas, em 2017, quase 200 queixas por dia sobre o funcionamento dos serviços de saúde públicos e privados. As questões administrativas e os tempos de espera foram as principais razões das mais de 70 mil reclamações recebidas pela Entidade Reguladora da Saúde.

  • Fim de semana com chuva e descida da temperatura

    País

    A chuva regressa hoje a Portugal continental e permanece pelo menos até ao início da semana, prevendo-se ainda uma descida da temperatura máxima entre 04 a 06 graus Celsius, disse à Lusa a meteorologista Cristina Simões.

  • 45 anos de Partido Socialista
    3:31

    País

    O PS completou 45 anos esta quinta-feira. Acaso ou não, a festa aconteceu um dia depois de terem ficado concluídos dois acordos com o PSD que fazem renascer o debate sobre o posicionamento ideológico do partido socialista.

  • Trump convida Putin a visitar EUA

    Mundo

    O Presidente dos EUA, Donald Trump convidou o homólogo russo a visitar a Casa Branca e Vladimir Putin ter-se-á mostrado disponível a visitar o país em breve, segundo a agência de notícia russa RIA Novosti que cita o chefe da diplomacia de Moscovo.

  • Senado aprova à tangente novo diretor da NASA

    Mundo

    O Senado norte-americano aprovou na quinta-feira, à tangente, a nomeação do novo diretor da agência espacial norte-americana, com 50 votos favoráveis contra 49, colocando à frente da NASA um cético das alterações climáticas, adiantou a Efe.

  • Trocar a economia pela dança
    7:21
    Mudar de Vida

    Mudar de Vida

    5ª FEIRA NO JORNAL DA NOITE

    No "Mudar de Vida" desta quinta-feira damos a conhecer mais um caso de quem teve coragem de arriscar e procurar um novo futuro. Susana Moraes é uma economista que decidiu seguir a paixão pela dança. 

  • Mágico comove audiência do Britain's Got Talent com a história de cancro da mulher e da filha
    5:16