sicnot

Perfil

Economia

Crédito malparado volta a subir nas famílias e cai nas empresas

O crédito malparado das famílias voltou a subir em março para 5399 milhões de euros e o das empresas baixou para os 12.906 milhões de euros, divulgou esta terça-feira o Banco de Portugal (BdP).

(Arquivo)

(Arquivo)

© Rafael Marchante / Reuters

Segundo o banco central, o crédito malparado das famílias e das empresas atingiu os 18.305 milhões de euros, o que representava 8,79% do total de 208.088 milhões de euros concedidos pela banca a particulares e a sociedades não financeiras.

No que diz respeito às famílias, dos 122.541 milhões de euros emprestados, 5399 milhões eram considerados créditos vencidos (representando 4,4% do total). 

Este é um novo máximo do crédito malparado nas famílias em percentagem do total, depois de em fevereiro ter atingido os 5377 milhões de euros, o que representava 4,37% do total de 122.864 milhões de euros concedidos pela banca a particulares.

O crédito de cobrança duvidosa na habitação, em percentagem do total do crédito concedido para este fim, também subiu de 2,48% em fevereiro para 2,5% em março, atingindo os 2.526 milhões de euros.

Os dados do BdP mostram que o malparado também subiu no crédito ao consumo, de 10,83% em fevereiro para 10,9% em janeiro, representando 1294 milhões de euros do total de 11.939 milhões concedidos. 

Já quanto ao crédito a particulares para outros fins, os números do regulador dão conta de uma ligeira descida do crédito de cobrança duvidosa, de 15,94% em fevereiro para 15,93% em março, totalizando 1572 milhões de euros dos 9863 milhões concedidos. 

No caso das empresas, o crédito malparado também diminuiu ligeiramente, descendo para 15,09% em março (12.906 milhões de euros) quando em fevereiro representava 15,12% (12.969 milhões de euros) do total dos empréstimos concedidos a empresas.

Desde fevereiro do ano passado que o crédito malparado para as empresas ultrapassou os 10% do total concedido e durante um ano alcançou novos máximos, ultrapassando em outubro os 14% do total de créditos concedidos.

No caso das empresas de construção, o crédito malparado ultrapassou em março os 30,4% dos empréstimos concedidos pela banca a estas empresas, atingindo os 4.497 milhões de euros (do total de 14.787 milhões).
Lusa
  • Outros casos de fuga de prisões portuguesas
    2:58

    País

    Nos últimos cinco anos, 52 reclusos fugiram de cadeias portuguesas, mas foram todos recapturados. Entre 1999 e 2009, fugiram oito reclusos da prisão de Caxias. Em 2005, um homem condenado a 21 anos de prisão fugiu de Coimbra, viajando por França e pela Polónia. Manuel Simões acabou por ser detido no regresso a Portugal.

  • Portugal sem resposta de Moçambique sobre português desaparecido em Maputo
    1:25

    País

    Portugal tem tentado, sem sucesso, obter respostas das autoridades moçambicanas sobre o rapto de um empresário português há sete meses. De acordo com a notícia avançada este domingo pelo jornal Público, uma carta enviada há duas semanas pelo Presidente da República ao homólogo moçambicano não teve resposta. O Governo de Moçambique tem ignorado pedidos de informação das autoridades portuguesas.

  • Táxi capaz de sobrevoar filas de trânsito ainda este ano no Dubai

    Mundo

    É o sonho de muitos que passam horas intermináveis em filas de trânsito. Trata-se de um drone com capacidade para transportar pessoas. "Operações regulares" deste insólito aparelho terão início em julho, no Dubai. O anúncio foi feito pela entidade que gere os transportes da cidade. Apenas um passageiro, com o peso máximo de 100 kg, pode seguir viagem neste táxi revolucionário, capaz de sobrevoar vias congestionadas pelo trânsito.