sicnot

Perfil

Economia

Pais do Amaral diz que vai tomar decisão sobre compra da TAP até sexta-feira

O empresário Miguel Pais do Amaral disse hoje que vai tomar até sexta-feira uma decisão sobre o processo de privatização da transportadora aérea TAP, salientando que a greve dos pilotos "não é fator crítico na análise".

O empresário português tem estado nos últimos dias a decidir se avança com uma proposta vinculativa. (Arquivo)

O empresário português tem estado nos últimos dias a decidir se avança com uma proposta vinculativa. (Arquivo)

SIC

Em declarações hoje à Rádio Renascença, Pais do Amaral, que está a analisar a aquisição da TAP em conjunto com o consórcio norte-americano Frank Lorenzo, disse que ainda não assumiu uma decisão final quanto ao processo de privatização da transportadora aérea.

"Ainda não temos decisão. Penso que iremos tomar essa decisão mais perto de sexta-feira [fim do prazo para entrega de propostas], mas neste momento o consórcio está a trabalhar", afirmou em declarações àquela rádio. 

Questionado sobre a influência que a recente greve dos pilotos poderá ter na decisão, Pais do Amaral disse estar preocupado com a "situação da empresa" e que "a greve dos pilotos não é um fator crítico na análise que estamos a elaborar". 

Na origem da greve de dez dias dos pilotos da TAP está a privatização da companhia.

Os pilotos da TAP e da Portugália cumpriram 10 dias de greve (entre 01 de maio e domingo) por considerarem que o Governo não está a cumprir o acordo assinado em dezembro de 2014, nem um outro estabelecido em 1999, que lhes dava direito a uma participação de até 20% no capital da empresa no âmbito da privatização. 

O ministro da Economia, António Pires de Lima, considerou na segunda-feira que a TAP nunca teve uma greve com adesão tão baixa como a que os pilotos terminaram no domingo mas referiu que os prejuízos financeiros chegaram aos 35 milhões de euros.

Segundo o sindicato dos pilotos (SPAC), ao longo dos dez dias de paralisação foram cancelados, em média, 50% dos voos originalmente planeados.

A transportadora aérea portuguesa e o Governo anunciaram que, durante o período de greve, foram realizados, em média, 70% dos voos diários.

Na segunda-feira, em conferência de imprensa, o secretário de Estado dos Transportes, Sérgio Monteiro, reconheceu que a situação financeira da TAP ficou mais frágil depois da greve dos pilotos e anunciou que a empresa irá apresentar na próxima semana um plano para melhorar essa situação.

  • Paulo Macedo pede calma para o bem do banco
    1:45

    Caso CGD

    Paulo Macedo falou pela primeira vez desde que foi eleito o novo Presidente da Caixa Geral de Depósitos e, para o bem do banco público, pediu calma a todos. Passos Coelho veio dizer que a recapitalização da Caixa pode ter de ser feita no verão do próximo ano para salvaguardar o défice deste ano. Já António Costa preferiu não comentar as declarações de Passos e diz que o banco público há muito que precisava de ser recapitalizado.

  • Condutores continuam com dúvidas em como circular numa rotunda
    2:06

    País

    Circular nas rotundas continua a ser um problema para muitos condutores. Cerca de 3 mil foram multados nos últimos três anos depois da entrada em vigor do novo código, os números são avançados pela Autoridade Nacional de Segurança Rodoviária. Os instrutores de condução dizem que a medida provoca mais confusão nas horas de ponta.

  • O que aconteceu à menina síria que relatava a guerra no Twitter?
    1:59
  • Youtuber Miguel Paraiso escreveu uma paródia musical para a Reportagem da SIC "Renegados"
    1:27

    Grande Reportagem SIC

    O youtuber Miguel Paraiso escreveu uma paródia musical para a Grande Reportagem SIC "Renegados". Desde ontem já teve 67 mil visualizações no Facebook. Imagine que ia renovar o cartão de cidadão e diziam-lhe que afinal não é português? Mesmo tendo nascido, crescido, estudado e trabalhado sempre em Portugal? Foi o que aconteceu a inúmeras pessoas que nasceram depois de 1981, quando a lei da nacionalidade foi alterada.«Renegados» é como se sentem estes filhos de uma pátria que os excluiu. Para ver, esta quarta-feira, no Jornal da Noite da SIC.

  • "A nossa guerra não deixou heróis, só vilões e vítimas"
    5:26

    Mundo

    Luaty Beirão é o rosto mais visível de um movimento de contestação ao regime angolano que começou em 2011, ano da Primavera árabe. Mas a par dos 15+2, mediatizados num processo que os condenou por lerem um livro, outros activistas arriscam diariamente a liberdade.