sicnot

Perfil

Economia

PSD e CDS retiram requerimento para que UTAO analisasse cenário macroeconómico do PS

O PSD e o CDS-PP decidiram hoje retirar o requerimento que sugeria a análise pela Unidade Técnica de Apoio Orçamental (UTAO) do cenário macroeconómico socialista, porque a proposta obteve a discordância PS e dos restantes partidos da oposição.

O secretário-geral socialista, António Costa.

O secretário-geral socialista, António Costa.

FERNANDO VELUDO / Lusa

O deputado social-democrata Duarte Pacheco e a deputada democrata-cristã Cecília Meireles apresentaram hoje, na comissão parlamentar de Orçamento, Finanças e Administração Pública, um requerimento para a análise pela UTAO do cenário macroeconómico apresentado por um grupo de economistas a pedido do PS.

Durante a apresentação do requerimento, Duarte Pacheco adiantou que a votação não seria forçada caso a proposta não tivesse o apoio do PS, porque, apesar de ter sido aprovada a análise pela UTAO, seria causada uma "situação pífia".

"A UTAO seria incapaz de realizar o seu trabalho porque não disporia dos documentos fundamentais para a apreciação", disse o deputado do PSD.

Da parte do PS, o deputado Vieira da Silva garantiu a oposição dos socialistas, por consideraram que as competências e funções da UTAO não se inserem nesta iniciativa, mas também pelos princípios de igualdade e imparcialidade em situação eleitoral previstos na Constituição.

Nesse sentido, apontou Vieira da Silva, a haver escrutínio do cenário macroeconómico do PS, estaria implícito igual escrutínio sobre todas as propostas que todos os partidos apresentassem a eleições. Assim, concluiu, a proposta dos partidos que sustentam o Governo "fere o princípio da igualdade".

O PCP também anunciou o seu voto contra, considerando que as propostas do PS ou de qualquer outro partido devem ser debatidas no campo político, "ao contrário do que a maioria tenta fazer, que é descentrar essa discussão, usando uma unidade técnica independente".

Depois de terem sido ouvidos estes dois deputados, Cecília Meireles acabou por afirmar que o requerimento seria retirado, uma vez que o PS não mostrava disponibilidade para o votar favoravelmente, o que levou a uma posição irónica do Bloco de Esquerda (BE).

"Quando chegou a minha vez de intervir, já não há requerimento. Intervirei sobre o requerimento póstumo. A única forma de abordar este tema é com ironia", afirmou o deputado bloquista Pedro Filipe Soares.

Para este deputado, "falta legitimidade política" ao PSD e ao CDS-PP para apresentarem este requerimento, porque apesar de terem recusado, durante a anterior campanha eleitoral, o aumento de impostos e o corte nos salários, acabaram por o fazer.

"A análise na prática teria muito pouco a ver com o resultado. Não estou a defender o PS, que não é melhor. Mas neste período de pré-campanha eleitoral estamos a discutir um requerimento que é uma não discussão", defendeu.

Sobre o pedido de análise pela UTAO, o BE considera que ia "achincalhar" os técnicos, ao "atirar para a unidade a responsabilidade do confronto" com o PS, "violando assim aquilo para que a UTAO foi criada e definida".
Lusa
  • PSD envia carta com 29 perguntas sobre programa macroeconómico do PS
    2:07

    Economia

    O porta-voz do PSD diz que o cenário macroeconómico do PS deve ser analisado pela Unidade Técnica de Apoio Orçamental (UTAO). Marco António Costa diz que, se os socialistas não tomarem a iniciativa, será o PSD a fazê-lo, recusando esclarecer se entende que todos os partidos devem passar a submeter à UTAO as contas que servem de base aos programas eleitorais.O PS já respondeu. João Galamba diz que nenhuma dúvida ficará por esclarecer, mas lembra ao PSD que a UTAO é um órgão do Estado.

  • Passos arrasa propostas do PS e alerta para ameaça à liberdade de imprensa
    3:54

    País

    Passos Coelho arrasa o plano macroeconómico do PS e avisa que as propostas socialistas não respeitam as regras e os compromissos europeus. No discurso que marcou o encerramento das comemorações dos 40 anos do PSD, o primeiro-ministro e líder social-democrata atacou ainda o PS por se intrometer na liberdade de imprensa. Os elogios estavam guardados para Cavaco Silva, que considera um Presidente exemplar e para o trabalho do Governo que garante estar apostado em resolver os problemas do país, sem pensar em eleições.

  • "Não podemos fazer de Lisboa uma cidade para turistas"
    2:44

    Opinião

    Miguel Sousa Tavares analisou esta segunda-feira, no Jornal da Noite da SIC, o mandato de Fernando Medina na Câmara de Lisboa. O comentador da SIC defendeu que o autarca tem "muitos problemas por resolver" e que a Câmara tem investido "mais na recuperação de zonas em que os lisboetas praticamente não conseguem ir". Sousa Tavares disse ainda que Lisboa não pode ser uma cidade para turistas.

    Miguel Sousa Tavares

  • "Putin é uma ameaça maior do que o Daesh"
    0:24

    Mundo

    O senador norte-americano John McCain atacou Vladimir Putin dizendo que é uma ameaça maior do que o Daesh. O antigo candidato à Casa Branca acusa a Rússia de querer destruir a democracia ao tentar manipular o resultado das presidenciais dos Estados Unidos.

  • "É muito importante ceder à tentação de se abolir a liberdade"
    1:06