sicnot

Perfil

Economia

Preços sobem 0,4% em abril face ao período homólogo

Os preços subiram 0,4% em abril, face ao mesmo mês de 2014, depois de em março terem aumentado 0,3%, informa hoje o Instituto Nacional de Estatística (INE).

reuters

Em termos mensais, o Índice de Preços no Consumidor (IPC) subiu 0,3% em abril, o que compara com os 1,9% do mês anterior e os 0,2% de abril de 2014, enquanto a variação média dos últimos 12 meses foi negativa em 0,2% (-0,3% no mês anterior).

O indicador de inflação subjacente, medido pelo índice total excluindo produtos alimentares não transformados e energéticos, registou em abril uma subida homóloga de 0,5% (0,6% em março).

Segundo o INE, a "pequena aceleração" do IPC em abril foi "determinada em grande parte pelas evoluções dos índices das classes produtos alimentares e bebidas não alcoólicas e bebidas alcoólicas e tabaco", que passaram de subidas de 0,3% e de 2,6% em março para 1,2% e 4,0%, respetivamente, em abril de 2015.

"De destacar" é ainda a diminuição da taxa de variação homóloga da classe dos transportes, acrescenta.

Em abril, o agregado relativo aos produtos alimentares não transformados registou uma variação homóloga de 2,0% (0,5% no mês anterior), enquanto o índice relativo aos produtos energéticos apresentou uma variação menos negativa, que se situou em -3,0% (-3,5% no mês anterior).

Entre as classes com contribuições positivas para a subida homóloga dos preços em abril, o INE destaca a dos produtos alimentares e bebidas não alcoólicas e a dos restaurantes e hotéis, com uma variação homóloga de 1,9% (2,0% em março).

Já a classe com maior contribuição negativa para a variação homóloga do IPC foi, como no mês anterior, a do vestuário e calçado, com uma queda homóloga de 2,4% (-2,0% em março).

Segundo o INE, face ao mês anterior destaca-se o aumento da contribuição da classe dos produtos alimentares e bebidas não alcoólicas e a redução da contribuição da classe dos transportes para a variação homóloga do IPC, enquanto as restantes classes não registaram "alterações significativas".

Em termos mensais, a subida de 0,3% dos preços em abril compara com o aumento de 1,9% no mês anterior e de 0,2% em abril de 2014.

O Índice Harmonizado de Preços no Consumidor (IHPC) português, registou em abril uma subida homóloga de 0,5% (0,4% no mês anterior).

De acordo com a informação disponível relativa a março de 2015, esta variação homóloga do IHPC português foi superior em 0,5 pontos percentuais à taxa estimada pelo Eurostat para os países do euro, um valor superior em 0,3 pontos percentuais ao do mês anterior, sendo que, tendo como referência a estimativa do gabinete de estatísticas europeu, a diferença ter-se-á mantido em abril.

Quanto à taxa de variação mensal do IHPC, foi de 0,4% em abril, uma taxa superior em 0,1 pontos percentuais à do mesmo mês de 2014, apontando a estimativa do Eurostat para uma taxa de variação mensal do IHPC da área do Euro de 0,2% (0,2% em abril de 2014).

Já a taxa de variação média dos últimos 12 meses do IHPC português foi de -0,1%, taxa idêntica à registada no mês anterior.


Lusa
  • Surto de hepatite A em Portugal
    2:45
  • A rã que brilha no escuro
    2:08
  • Indonésio encontrado dentro de cobra pitão

    Mundo

    Akbar Salubiro, de 25 anos, esteve perto de 24 horas desaparecido na remota ilha indonésia de Sulawesi. Acabou por ser encontrado um dia depois, no jardim da própria casa, dentro de uma pitão de 7 metros.

  • Relação de Portugal com Angola é "insubstituível"
    1:00

    País

    Paulo Portas considera que a relação de Portugal com Angola é insubstituível. Numa entrevista ao Jornal de Negócios, o ex vice-primeiro-ministro defende que o país deve ser profissional no relacionamento político com Luanda.

  • Abertura da lagoa de Santo André atrai surfistas e bodyboarders
    4:15
  • Tecnologia permite a tetraplégico mexer mão e braço

    Mundo

    Um homem que ficou tetraplégico num acidente voltou a mover-se com a ajuda da tecnologia e apenas usando o pensamento, num projeto de investigadores dos Estados Unidos divulgado esta terça-feira na revista especializada em medicina The Lancet.