sicnot

Perfil

Economia

Governo terá 45 dias para designar novos dirigentes para a Administração Pública

O Governo vai ter, no máximo, 45 dias para designar novos dirigentes para a Administração Pública. O prazo começará a contar assim que o Executivo receber a lista dos três candidatos finais selecionados pela CRESAP.

A medida constitui a primeira alteração à Lei Geral do Trabalho em Funções Públicas. (Arquivo)

A medida constitui a primeira alteração à Lei Geral do Trabalho em Funções Públicas. (Arquivo)

SIC

Até aqui não havia qualquer limite e houve casos em que a decisão só foi tomada meses depois da indicação da Comissão de Recrutamento para a Administração Pública.

No processo de recrutamento, passa também a ser regra incluir automaticamente nos concursos os titulares dos cargos dirigentes imediatamente abaixo daquele para a qual há vaga.

As alterações ao Estatuto do Pessoal Dirigente foram aprovadas esta manhã, no Conselho de Ministros.
  • Advogados de Sócrates queixam-se de bullying processual e mediático
    2:13

    Operação Marquês

    Os advogados de José Sócrates queixam-se de bullying processual e mediático e garantem que o antigo primeiro-ministro nunca favoreceu Ricardo Salgado ou o Grupo Espirito Santo. Segundo o Expresso, o presidente da Escom, Helder Bataglia, terá admitido que Ricardo Salgado utilizou uma conta bancária do empresário, na Suíça, para passar 12 milhões de euros a Carlos Santos Silva, alegadamente para o amigo José Sócrates.

  • Marcelo diz que é hora de valorizar o poder local
    0:40

    País

    O Presidente da República diz que este é o momento para valorizar o poder local. Sobre a descida da Taxa Social Única, Marcelo Rebelo de Sousa recusou comentar e negou que haja crispação politica entre Governo e oposição.

  • Marine Le Pen diz que Brexit terá efeito dominó na UE
    0:39

    Brexit

    Marine Le Pen diz que o Brexit vai ter um efeito dominó na União Europeia. Durante um congresso da extrema-direita, a líder da Frente Nacional francesa afirmou que a Europa vai despertar este ano em que estão marcadas eleições em vários países, como a Alemanha e a Holanda.