sicnot

Perfil

Economia

Nova greve dos trabalhadores da Renault Cacia por aumentos salariais

Os trabalhadores da Renault Cacia estão hoje de novo em greve, para reivindicar aumentos salariais e contra a precariedade laboral, mas a administração diz já ter satisfeito o caderno reivindicativo, que tem aumentado com novas exigências.

Greve a 7 de Maio.

Greve a 7 de Maio.

Arquivo SIC

Segundo o diretor de comunicação e imagem da Renault, Ricardo Oliveira, "a administração correspondeu ao que foi pedido, mas a cada ronda negocial a comissão de trabalhadores acrescenta novas exigências", o que dificulta qualquer entendimento.

"Exigiam um aumento de 25 euros, que depois passou para 30 euros e agora já vai nos 40 euros. Queriam a integração de mais 50 trabalhadores no quadro e a administração aceitou integrar mais 40, além de 16 que passam ao quadro a 01 de junho", relatou em conferência de imprensa.

Ricardo Oliveira salientou que a Renault Cacia "é a empresa que melhor paga no distrito de Aveiro, onde um operador em início de carreira recebe mais de 15.700 euros brutos anuais" e adiantou que o que é proposto aos trabalhadores, em termos de aumentos salariais "o resto das pessoas gostava de ter". 

Juan Requena, diretor dos recursos humanos, defendeu hoje em conferência de imprensa, que a empresa está a propor mais do que o inicialmente reivindicado, que a proposta é "razoável" e está acima do que é praticado noutras fábricas do grupo.

"Assim, não se pode convergir, se estão sempre a mudar. Cacia não pode estabelecer condições completamente afastadas das outras fábricas do grupo", disse Juan Requena, referindo nomeadamente a reivindicação de integrar no salário parte do prémio de eficácia. 

Quanto aos números da greve, Juan Requena situa a adesão nos 49% e assegura que a fábrica não para com as greves, além de que "existem outras fábricas no grupo que conseguem produzir o mesmo e satisfazer os clientes", escusando-se a avançar com o valor dos prejuízos causados pelas sucessivas paralisações em Cacia.

"É tudo mentira", reage Hugo Oliveira, da comissão de trabalhadores, que salienta o esforço para chegar a um acordo com a empresa, que não é correspondido pela administração, que acusa de ter quebrado a lealdade negocial e ser a responsável por mais um dia de greve na Renault Cacia.

"Hoje estamos aqui porque a direção assim o quis. Estávamos a negociar e a direção pediu confidencialidade que não respeitou, difundindo um comunicado aos trabalhadores com mentiras. Pedimos para marcar um plenário para sábado para desconvocar a greve e responderam que não cumprimos as formalidades. É no mínimo inaceitável quando se quer resolver um problema (...)", comentou.

Hugo Oliveira rebate o argumento de que os trabalhadores acrescentam novas reivindicações, afirmando que aqueles estavam dispostos a aceitar o aumento de 15 euros para cada ano. E acrescenta que a proposta de integrar alguma da remuneração variável (prémio) na fixa foi colocada nas negociações pela administração, "que agora quis retirar". 

Quanto ao nível salarial em Cacia estar acima do praticado em outras fábricas da região e o aumento agora reivindicado ser superior ao do próprio grupo, Hugo Oliveira reconhece ser verdade, mas sublinha que não é a verdade toda.

"Os trabalhadores da Renault ganham acima da média, mas também é verdade que a Renault este ano triplicou os seus lucros em relação ao ano passado. É legítimo que numa situação em que a empresa cria riqueza a distribua também pelos seus trabalhadores e existe sim uma disparidade salarial, porque ganhamos muito menos do que os colegas espanhóis e franceses", afirmou.


Lusa
  • Fuga de ácido em camião corta EN1 em Gaia

    País

    Uma fuga de gás clorídrico do contentor de um camião que circulava na zona de Pedroso em Vila Nova de Gaia obrigou ao corte do trânsito na EN 1, no sentido Norte/Sul.

    Em desenvolvimento

  • Polémica sobre offshore intensifica guerra de palavras entre PSD e Governo
    2:39
  • DGO divulga hoje execução orçamental de janeiro

    Economia

    A Direção-Geral do Orçamento (DGO) divulga hoje a síntese de execução orçamental em contas públicas de janeiro, sendo que o Governo estima reduzir o défice para 1,6% do Produto Interno Bruto (PIB) em contabilidade nacional em 2017.

  • Paulo Fonseca e Paulo Sousa fora da Liga Europa

    Liga Europa

    A segunda mão dos 16 avos-de-final da Liga Europa ficou marcada pelas eliminações de duas equipas treinadas por portugueses: a Fiorentina de Paulo Sousa e o Shakhtar Donetsk de Paulo Fonseca. Paulo Bento, no Olympiacos, e José Mourinho, no Manchester United, são os únicos técnicos lusos ainda em competição. Noutros jogos, destaque para os afastamentos do Tottenham e do Zenit. Veja aqui os resumos de todos os encontros desta noite europeia. O sorteio dos oitavos-de-final está agendado para esta sexta-feira, às 12h00, hora de Lisboa.

  • "Não preciso de ajustar contas com ninguém"
    0:49

    País

    O ex-Presidente da República insiste que José Sócrates foi desleal durante as negociações do Orçamento do Estado para 2011. Numa entrevista dada à RTP1, Cavaco Silva esclareceu ainda que não escreveu o livro de memórias para ajustar contas com o ex-primeiro-ministro.

  • Sócrates em processo judicial surpreende Cavaco
    0:18

    País

    Cavaco Silva afirmou ter ficado surpreendido com o envolvimento de José Sócrates num processo judicial. Em entrevista à RTP1 o ex-Presidente da República diz que nunca se apercebeu de qualquer "atuação legalmente menos correta" da parte de Sócrates.

  • PSD questiona funcionamento da Assembleia da República
    2:39

    Caso CGD

    O PSD e o CDS vão entregar esta sexta-feira no Parlamento o pedido para criar uma nova Comissão de Inquérito sobre a Caixa Geral de Depósitos. Os dois partidos reuniram-se esta quarta-feira para fechar o texto do requerimento. Durante o dia, o PSD considerou que o normal funcionamento da Assembleia da República está em causa, o que levou Ferro Rodrigues a defender-se e a garantir que está a ser imparcial.

  • Marcelo rejeita discussões menores na banca
    0:32

    Economia

    O Presidente da República avisa que não se devem introduzir querelas táticas e menores no sistema financeiro. Num encontro que reuniu publicamente Marcelo e Centeno, o Presidente diz que é preciso defender o interesse nacional.

  • Três dos planetas encontrados podem conter água e vida
    3:28
  • Túnel descoberto em cadeia brasileira tinha ligação a uma habitação
    0:44

    Mundo

    A polícia brasileira descobriu um túnel que ligava a cadeia de Porto Alegre a uma casa e serviria para libertar prisioneiros do estabelecimento. As autoridades detiveram sete homens e uma mulher no local. A construção permitiria uma fuga massiva que poderia chegar aos 200 mil fugitivos e estima-se que terá custado mais de 300 mil euros. A polícia do Rio Grande do Sul acredita, assim, ter impedido aquela que seria a maior fuga de prisioneiros de sempre no Estado brasileiro.