sicnot

Perfil

Economia

Dolce Vita Monumental é o quarto centro comercial da Chamartín em liquidação

O centro comercial Dolce Vita Monumental, em Lisboa, está falido e vai ser posto à venda, seguindo o destino dos congéneres do Porto, Vila Real e Coimbra, também detidos pelo grupo espanhol Chamartín, disse à Lusa o administrador de insolvência.

Os Dolce Vita já tinham apresentado insolvência e estavam à venda desde maio deste ano. (Arquivo)

Os Dolce Vita já tinham apresentado insolvência e estavam à venda desde maio deste ano. (Arquivo)

SIC

De acordo com Jorge Calvete, o processo do Monumental (que inclui um complexo de escritórios) está "numa fase mais atrasada" do que os restantes -- os anúncios de venda dos Dolce Vita do Porto e de Vila Real foram publicados esta semana, enquanto o Dolce Vita Coimbra deverá chegar ao mercado nos próximos dias -- e decorrem ainda as "avaliações e reavaliações" do respetivo património, mas "o destino é a venda".

"Não havendo plano de recuperação, os credores já deliberaram que vai para liquidação", afirmou, referindo-se à decisão da assembleia de credores realizada no passado dia 12 de março no Tribunal de Comércio de Lisboa, que se seguiu à sentença de declaração de insolvência da Monucontrol -- Sociedade Imobiliária do Monumental, proprietária do Dolce Vita Monumental, proferida em 30 de dezembro de 2014.

Segundo se lê no relatório do administrador, os créditos sobre a Monucontrol reconhecidos em sede de insolvência ascendem a perto de 79,134 milhões de euros, sendo o principal credor -- tal como nos processos do Dolce Vita Porto e Vila Real - a LSREF3 Octopus Investments, sociedade que pertence à norte-americana Lone Star, com quase 44 milhões de euros reclamados (dos quais 41 milhões são crédito garantido por hipoteca).

A falência do Dolce Vita Monumental - centro comercial localizado no coração da cidade de Lisboa, na praça Duque de Saldanha, com uma área bruta locável de 5.453 metros quadrados, 43 lojas e quatro salas de cinema -- segue-se à dos 'shoppings' da mesma insígnia localizados no Porto (junto ao Estádio do Dragão), no Douro (em Vila Real) e em Coimbra.

Os dois primeiros estão já à venda (respetivamente por 41,5 e 43,4 milhões de euros, segundo os anúncios de venda publicados esta semana na imprensa), enquanto o de Coimbra chegará ao mercado em breve.

Os três centros comerciais acumulam dívidas de 111, 64,3 e 77,8 milhões de euros, pela mesma ordem.

Enquanto principal credora, com créditos garantidos por hipoteca, a LSREF3 Octopus Investments surge numa posição privilegiada entre os potenciais compradores, já que, ao longo dos 10 dias seguintes à publicação dos anúncios de venda (na quarta e quinta-feira desta semana), serão admitidas propostas tanto para a compra, como para a dação em cumprimento dos ativos.

Estes centros comerciais estavam na posse dos espanhóis da Chamartín, que em 2006 os adquiriu ao grupo Amorim. 

Para além destes, o grupo imobiliário detinha também o centro comercial Dolce Vita Braga, que nunca chegou a abrir e está atualmente na posse da Caixa Geral de Depósitos e com gestão entregue à Sonae Sierra, e o Dolce Vita Tejo, que já foi vendido ao Eurofund Investments.


Lusa
  • Presidente do Tondela diz que clube foi humilhado
    1:26

    Desporto

    O presidente do Tondela participou esta segunda-feira na conferência de imprensa após o jogo da 23.ª jornada da I Liga com o Sporting. Gilberto Coimbra criticou o árbitro do encontro João Capela, e diz que o tempo de compensação dado a mais foi por uma falta que não foi assinalada sobre um jogador do Tondela, Bruno Monteiro.

  • Último golo do Sporting ao Tondela "é legal e limpinho" 
    0:41

    Desporto

    Jorge Jesus entende que a vitória desta segunda-feira do Sporting frente ao Tondela não merece contestação e destaca o facto de o árbitro ter avisado os jogadores que iria prolongar o tempo extra. Para o treinador dos leões, o golo no minuto 99' é legal. 

  • Deputados pedem medidas urgentes para travar exploração de urânio junto à fronteira
    3:06

    País

    Um projeto de exploração de urânio no município de Retortilho em Salamanca, a cerca de 40 quilómetros da fronteira portuguesa, está a causar preocupação nos dois países. Portugueses e espanhóis temem o risco de contaminação por via aérea e fluvial. Deputados portugueses visitaram o local, onde pediram medidas firmas e urgentes ao Governo para travar o projeto. As autoridades de Espanha não acionaram o mecanismo de avaliação ambiental partilhada.

  • Mulher enterrada viva no Brasil
    1:13

    Mundo

    Uma mulher de 37 anos terá sido enterrada viva no oeste da Bahia, no Brasil. A certidão de óbito aponta um choque séptico como a causa da morte, mas os ferimentos com que foi encontrada no interior do caixão indicam um possível erro. Os moradores de casas vizinhas do cemitério municipal onde Rosângela dos Santos foi enterrada ouviram gritos vindos do túmulo.

  • "Os Estados Unidos são uma sociedade de pistoleiros"
    3:47
  • Trump desafia Oprah a candidatar-se para ser derrotada

    Mundo

    Apesar de Oprah Winfrey ter excluído uma eventual candidatura às eleições presidenciais dos Estados Unidos da América, Donald Trump ainda não se esqueceu dos rumores e desafiou a apresentadora a candidatar-se em 2020. Através do Twitter, o Presidente norte-americano disse ainda que assim poderia ser "exposta e derrotada como todos os outros".

    SIC