sicnot

Perfil

Economia

Pais do Amaral continua a trabalhar na proposta de compra da TAP

NOTÍCIA SIC

O empresário Pais do Amaral continua a trabalhar na oferta para a compra da TAP, ao que a SIC apurou. O prazo para entrega de propostas termina esta sexta-feira às 17:00.

O empresário português tem estado nos últimos dias a decidir se avança com uma proposta vinculativa. (Arquivo)

O empresário português tem estado nos últimos dias a decidir se avança com uma proposta vinculativa. (Arquivo)

SIC

O empresário português tem estado nos últimos dias a decidir se avança com uma proposta vinculativa. A confirmar-se, Pais do Amaral deve avançar com o empresário Frank Lorenzo. 

Na década de 90, o multimilionário americano foi proibido de ter companhias de aviação nos Estados Unidos, por razões de segurança. 

O presidente da TAP, Fernando Pinto, disse, em 2014, que conhece o caráter de Frank Lorenzo e alegou que os problemas de Lorenzo nos Estados Unidos estão resolvidos há vários anos.

Até ao momento, há apenas uma proposta confirmada: A SIC apurou que David Neeleman, o dono da Azul, foi o primeiro a entregar a proposta à Parpública.

German Efromovich também deve entregar nas próximas horas a sua proposta. O empresário tem estado a ultimar os trabalhos com assessores jurídicos e financeiros.

O Governo vai anunciar esta noite quantas propostas recebeu para a privatização da TAP.
 
A conferência de imprensa, no Ministério da Economia, está marcada para as 20:00. 
  • Temperaturas sobem no fim de semana, risco de incêndio aumenta
    1:08
  • Reveladas escutas telefónicas entre Sócrates e Ricardo Salgado
    2:39

    Operação Marquês

    Após ser detido em 2014, Ricardo Salgado recebeu uma chamada de José Sócrates a dar o seu apoio. Nas escutas é possível perceber que o antigo primeiro-ministro fala de admiração pelo ex-banqueiro, depois de Sócrates ter garantido, na semana passada na RTP, que a relação com Ricardo Salgado era apenas institucional. Noutra conversa de Sócrates, desta vez com o advogado Daniel Proença de Carvalho, o ex-primeiro-ministro criticou Marcelo Rebelo de Sousa, quando este ainda era comentador e tinha comentado a queda do BES.