sicnot

Perfil

Economia

Pais do Amaral continua a trabalhar na proposta de compra da TAP

NOTÍCIA SIC

O empresário Pais do Amaral continua a trabalhar na oferta para a compra da TAP, ao que a SIC apurou. O prazo para entrega de propostas termina esta sexta-feira às 17:00.

O empresário português tem estado nos últimos dias a decidir se avança com uma proposta vinculativa. (Arquivo)

O empresário português tem estado nos últimos dias a decidir se avança com uma proposta vinculativa. (Arquivo)

SIC

O empresário português tem estado nos últimos dias a decidir se avança com uma proposta vinculativa. A confirmar-se, Pais do Amaral deve avançar com o empresário Frank Lorenzo. 

Na década de 90, o multimilionário americano foi proibido de ter companhias de aviação nos Estados Unidos, por razões de segurança. 

O presidente da TAP, Fernando Pinto, disse, em 2014, que conhece o caráter de Frank Lorenzo e alegou que os problemas de Lorenzo nos Estados Unidos estão resolvidos há vários anos.

Até ao momento, há apenas uma proposta confirmada: A SIC apurou que David Neeleman, o dono da Azul, foi o primeiro a entregar a proposta à Parpública.

German Efromovich também deve entregar nas próximas horas a sua proposta. O empresário tem estado a ultimar os trabalhos com assessores jurídicos e financeiros.

O Governo vai anunciar esta noite quantas propostas recebeu para a privatização da TAP.
 
A conferência de imprensa, no Ministério da Economia, está marcada para as 20:00. 
  • Cinco mortos provocados pelo tufão Hato em Macau
    1:13
  • Prestação da casa aumenta pela primeira vez desde 2014
    1:17

    Economia

    Pela primeira vez em três anos, as taxas de juro do crédito à habitação, estão a subir. A subida é de apenas 1 euro, mas é a primeira desde 2014, depois de em maio deste ano ter estabilizado e em junho ter descido. A justificação para este aumento é a evolução das taxas euribor.

  • Porto Editora acusada de discriminação
    2:55
  • "Burlão do amor" acusado de tirar 450 mil euros a amante
    2:21

    País

    Um homem com cerca de 50 anos é acusado de tirar 450 mil euros a uma mulher com quem começou por ter uma relação profissional. Ele pedia, ela emprestava. Anos depois, ela ficou insolvente, com dívidas à banca de 214 mil euros e sem emprego. O homem é arguido, nega a relação amorosa entre ambos, mas admite ter recebido dinheiro dela. Garante, no entanto, que tenciona pagar o que deve.