sicnot

Perfil

Economia

Agência Fitch revê em baixa "rating" de BCP, BPI, Montepio e Banif

A agência de notação financeira Fitch cortou o 'rating' de quatro bancos portugueses (BCP, Banco BPI, Montepio e Banif) devido às alterações das regras a nível europeu tornarem mais improvável o apoio estatal às instituições financeiras.

Graças à reestruturação em curso, no que toca à atividade doméstica, os custos operacionais em Portugal caíram mais de 8% para 475,2 milhões de euros. (Arquivo)

Graças à reestruturação em curso, no que toca à atividade doméstica, os custos operacionais em Portugal caíram mais de 8% para 475,2 milhões de euros. (Arquivo)

© Hugo Correia / Reuters

"Estas ações de 'rating' foram conjugadas com a revisão da Fitch para o apoio soberano à banca em termos gerais, anunciado em março de 2014. Em linha com as expectativas anunciadas em março do último ano e comunicadas com regularidade desde então, a Fitch acredita que as iniciativas legislativas, regulatórias e políticas reduziram substancialmente a probabilidade de os bancos comerciais dos Estados Unidos (EUA), Suíça e União Europeia receberem apoios estatais", lê-se num comunicado hoje divulgado pela Fitch.

Assim, a notação enquanto emissor de dívida de longo prazo do BCP baixou de 'BB+' para 'BB-', a do BPI de 'BB+' para 'BB', a do Montepio de 'B+' para 'BB' e a do Banif de 'BB' para 'B-'.

Quanto aos 'outlooks' (perspetivas) fornecidos para as quatro instituições, houve uma manutenção da classificação de "estável" para o BCP, Montepio e Banif, ao passo que o 'outlook' do BPI, que estava sob observação, foi fixado em 'positivo', devido ao potencial de subida do 'rating' relacionado com a oferta pública de aquisição (OPA) lançada pelo CaixaBank.

Dada a revisão às condições de apoio estatal à banca, as entidades passam agora a ser avaliadas pela sua capacidade de cumprir com as obrigações de dívida emitida por si próprios, o que explica este corte de 'rating'.

Ainda que considerando que os bancos portugueses mantêm o seu caminho rumo à "estabilização", particularmente no que toca aos indicadores da qualidade de ativos, e estejam a regressar gradualmente aos lucros, aproveitando as tendências de melhoria do ponto de vista macroeconómico, a Fitch salientou que estima que seja atingido um pico de ativos problemáticos em 2015.

"Esperamos que a rentabilidade dos bancos seja suportada por custos de financiamento mais baixos, particularmente nos depósitos, pela redução de incumprimento a nível doméstico, pelos resultados das operações internacionais e pela decrescente necessidade de constituir imparidades", revelou a Fitch.

Porém, a agência alertou que a rentabilidade da banca portuguesa vai permanecer subjugada devido às baixas taxas de juro, ao processo de desalavancagem e à redução dos 'spreads' (margem de lucro) nos novos contratos de crédito.

E destacou que "o sistema bancário conta com um risco contingente relacionado com a venda do Novo Banco, já que teria que fazer face a eventuais perdas resultantes do processo de alienação".

Segundo a Fitch, caso ocorram "perdas de larga escala, estas deveriam ser abatidas ao longo de vários anos, mas ainda existe incerteza sobre o mecanismo que iria ser usado para absorver tais perdas".
Lusa
  • Bomba encontrada na Nazaré pode ter sido largada durante 2.ª Guerra Mundial
    2:26

    País

    A bomba que esta segunda-feira veio nas redes de um arrastão na Nazaré já foi detonada. O engenho explosivo foi identificado como uma bomba de avião por especialistas da Marinha, que eliminaram também o perigo equivalente a 600 quilogramas de TNT. A bomba sem qualquer inscrição tinha um desgaste evidente e, segundo a Marinha, pode ter sido largada de um avião durante a 2.ª Guerra Mundial.

  • Derrocada de muro em Lisboa obriga à retirada de 40 pessoas de 5 prédios
    2:14

    País

    Os moradores de três prédios de Lisboa não podem regressar tão cedo a casa. Durante a madrugada, a derrocada de um muro obrigou à retirada de 40 pessoas de cinco edifícios. Um dos inquilinos sofreu ferimentos ligeiros. Entretanto, a maioria dos residentes já foi realojada em casas de familiares e num hotel.

  • "Geringonça" elogiada na Europa e EUA
    4:22

    País

    Num momento em que por cá se fala de claustrofobia democrática, a Europa e os Estados Unidos desdobram-se em elogios ao sucesso da maioria de Esquerda em Portugal. A palavra "geringonça" já tem até tradução em várias línguas.

  • ONU estima que mais 750 mil civis estejam em risco na cidade de Mossul
    1:39

    Mundo

    As Nações Unidas estimam que mais 750 mil civis estejam em risco na zona ocidental de Mossul, no Iraque. Mais de 10 mil pessoas fugiram da zona ocidental da cidade nos últimos quatro dias. Enquanto a população tenta escapar ao fogo cruzado, as forças iraquianas avançam sobre a cidade ainda controlada pelo Daesh.