sicnot

Perfil

Economia

BE avança com lei de emergência social e salário mínimo de 545 euros

O grupo parlamentar do BE vai apresentar no parlamento uma lei de emergência social, propondo o aumento do salário mínimo dos 505 para os 545 euros, entre outras medidas, ocupando assim o debate potestativo de 17 de junho.

JOS\303\211 SENA GOUL\303\203O

No encerramento das jornadas parlamentares bloquistas, em Setúbal, o líder da bancada, Pedro Filipe Soares, enumerou ainda a reposição de apoios sociais - como o subsídio de desemprego -, a baixa do IVA do gás e da eletricidade ou a impenhorabilidade da habitação própria e permanente como outras formas de combater o "flagelo da pobreza", tudo possível através da renegociação da dívida para "libertar os milhares de milhões de euros" necessários para o efeito.

"Em nome da solidariedade, propomos uma lei de emergência social. Esse será o tema que vamos levar a debate no [debate] potestativo, um agendamento feito por parte do BE e que esgotará toda a agenda [da Assembleia da República] de 17 de junho e que nós fazemos com esta antecedência para ouvirmos todas e todos quantos queiram partilhar as suas vontades, soluções e dificuldades", disse.

Segundo o deputado bloquista, "não há outra resposta que não exigir que o salário mínimo seja aumentado. É a mínima exigência para a solidariedade necessária. Propomos aquilo que achamos essencial, que em letra de lei seja validado aquilo que já deveria vir desde 2006 - o acordo que se alcançou no Conselho Económico e Social entre patrões, empregados e parte governativa, que se aumente o salário mínimo para 545 euros".

"Há uma primeira [opção] que coloca o interesse das pessoas à frente dos interesses dos especuladores, mercados financeiros e da banca, que tem vivido acima das nossas possibilidades. É a renegociação da dívida. Com isso, temos a libertação de milhares de milhões de euros capazes de ser bem direcionados para este pacote de emergência social", continuou.

Pedro Filipe Soares considerou que "eletricidade, água ou gás são bens essenciais para fazer face a qualquer estilo de vida que se tenha".

"Não podem ter um IVA máximo. Não faz sentido que um produto de luxo pague o mesmo IVA que a eletricidade. É incompreensível", defendeu.

Da iniciativa legislativa bloquista fazem ainda parte a diminuição dos prazos de garantia para acesso a subsídios de desemprego, um regime especial de proteção a desempregados de longa duração e proibir a possibilidade de as casas de habitação própria permanente serem penhoradas.

Relativamente ao gás e à eletricidade, o BE quer reduzir a taxa de IVA para 6%, bem como impedir a suspensão do fornecimento de água, gás e eletricidade às famílias endividadas cujo rendimento 'per capita' seja inferior ao limiar da pobreza.

Os responsáveis bloquistas desejam ainda criar um Observatório Permanente da Pobreza para estudar e acompanhar o fenómeno, apenas com funções consultivas.

Lusa
  • O percurso dos rendimentos de Ronaldo
    3:43

    Desporto

    O Ministério das Finanças espanhol abriu uma investigação a Cristiano Ronaldo, por eventuais irregularides na declaração dos rendimentos da publicidade. A Gestifute, empresa do agente do avançado do Real Madrid, garante que Ronaldo tem os impostos em dia. A investigação aos documentos extraídos da plataforma informática Football Leaks, liderada pela revista alemã Der Spiegel, e da qual faz parte o jornal Expresso, conseguiu traçar o percurso dos rendimentos do melhor jogador do mundo.

  • Fábio Coentrão investigado por suspeita de delitos fiscais
    3:37

    Desporto

    O Ministério Público de Madrid acusou o defesa português Ricardo Carvalho de evasão fiscal e está a investigar Fábio Coentrão por eventuais delitos fiscais. Além dos dois portugueses a justiça acusou ainda o espanhol Xabi Alonso, o argentino Ángel Di María e investiga o colombiano Falcão. As investigações surgem depois da revelação do caso Football Leaks, investigada pelo Expresso e pelo consórcio europeu de jornalistas que tiveram acesso a milhões de documentos.

  • Mais cinco ilhas dos Açores sob aviso vermelho

    País

    O Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA) elevou esta quarta-feira para vermelho o aviso para as cinco ilhas do grupo central dos Açores, onde no Faial o vento atingiu os 150 quilómetros por hora.

  • Votações sobre o mapa judiciário geram tensão no Parlamento
    2:01

    País

    O momento das votações no Parlamento ficou marcado por alguma tensão. Depois de aprovadas, em comissão, as alterações ao mapa judiciário, o PSD opôs-se a que o diploma fosse votado em plenário, uma vez que não fazia parte da versão inicial do guião de votações. A esquerda acusou os sociais-democratas de terem motivações estritamente políticas e não regimentais.

  • Uma alternativa aos serviços de enfermagem ao domicílio
    7:34
  • As primeiras palavras de um dos sobreviventes da Chapecoense
    0:29
  • Familiares de vítimas procuram destroços do MH370
    1:48

    Voo MH370

    Um grupo de familiares das vítimas do avião das linhas aéreas da Malásia, desaparecido em 2014, procuram destroços do aparelho em Madagáscar. As autoridades malaias estudam a posssibilidade de uma nova operação de buscas.

  • Primeiro-ministro em lágrimas ao reencontrar refugiado que recebeu no Canadá em 2015

    Mundo

    Justin Trudeau desfez-se em lágrimas no reencontro com um refugiado sírio, que ele recebeu no Canadá em 2015. No ano passado, Trudeau recebeu pessoalmente os refugiados no aeroporto, onde foi visto a entregar casacos de inverno aos migrantes. Esta segunda-feira, o primeiro-ministro conheceu algumas das famílias que se estabeleceram no país, numa reunião filmada pela emissora canadiana CBC.