sicnot

Perfil

Economia

Dívidas incobráveis atingem recorde nos primeiros cinco meses de 2015

O número de devedores sem bens para penhorar bateu o recorde nos primeiros cinco meses deste ano. Até maio, diz o Diário Económico, as dívidas incobráveis atingiram os 418 milhões de euros. Nestes cinco meses, as dívidas já ultrapassaram as registadas nos primeiros seis meses do ano passado. 

(Reuters/ Arquivo)

(Reuters/ Arquivo)

© Rafael Marchante / Reuters

Na lista pública de execuções estão agora mais de 132.500 empresas e particulares. São devedores sem bens penhoráveis, o que torna as dívidas impossíveis de saldar. 


A maioria dos incumpridores deve dinheiro a fornecedores, bancos, seguradoras, ou tem em dívida o pagamento de rendas e contas de água, luz ou telemóveis. 


Desde janeiro, a lista pública de execuções tem ganho, por dia, 175 novos devedores.

  • O dia que roubou dezenas de vidas em Pedrógrão Grande
    3:47
  • Morreu Miguel Beleza

    País

    Miguel Beleza, economista e antigo ministro das Finanças, morreu esta quinta-feira de paragem cardio-respiratória aos 67 anos.

  • "Estamos a ficar sem espaço. Está na hora de explorar outros sistemas solares"

    Mundo

    O físico e cientista britânico Stephen Hawking revelou alguns dos seus desejos para um novo plano de expansão espacial. Hawking está em Trondheim, na Noruega, para participar no Starmus Festival que promove a cultura científica. E foi lá que o físico admitiu que a população mundial está a ficar sem espaço na Terra e que "os únicos lugares disponíveis para irmos estão noutros planetas, noutros universos".

    SIC

  • Não posso usar calções... visto saias

    Mundo

    Perante a proibição de usar calções no emprego, um grupo de motoristas franceses adotou uma nova moda para combater o calor. Os trabalhadores decidiram trocar as calças por saias, visto que a peça de roupa é permitida no uniforme da empresa para a qual trabalham.

  • De refugiada a modelo: a história de Mari Malek

    Mundo

    Mari Malek chegou aos Estados Unidos da América quando era ainda uma criança. Chegada do Sudão do Sul, a menina era uma refugiada à procura de um futuro melhor, num país que não era o seu. Agora, anos depois, Mari Malek é modelo, DJ e atriz, e vive em Nova Iorque. Fundou uma organização sediada no país onde nasceu voltada para as crianças que passam por dificuldade, como também ela passou.