sicnot

Perfil

Economia

Portugal com 5º maior défice comercial da UE até março

Portugal registou o quinto maior défice comercial da União Europeia (UE) até março, de cerca de 2.000 milhões de euros, segundo dados hoje divulgados pelo Eurostat.

© Sergio Perez / Reuters

O défice de Portugal nas trocas internacionais de mercadorias, no acumulado de janeiro e março, é o resultado de 14,1 mil milhões de euros de importações compensados por 12,2 mil milhões de euros de exportações. 

Este valor fica abaixo do registado há um ano atrás, uma vez que as exportações aumentaram 4% face aos primeiros três meses de 2014 e as importações diminuíram 1%.

O défice comercial de Portugal era, no acumulado até março, o quinto maior entre os 28 Estados-membros, depois de Reino Unido (39,2 mil milhões), França (15,4 mil milhões), Espanha (5,3 mil milhões) e Grécia (4,7 mil milhões).

Até fevereiro, Portugal tinha o sexto maior défice comercial, mas entretanto piorou para a quinta posição.  

Quanto ao total da zona euro, segundo o gabinete de estatísticas europeu, este espaço económico registou em março um excedente comercial de 23,4 mil milhões de euros no comércio com o resto do mundo, acima dos 16,1 mil milhões de euros de março de 2014.

Os 19 países que partilham a moeda única importaram em março 159,1 mil milhões de euros em mercadorias, mais 7% do que no mesmo mês de 2014, e exportaram 182,4 mil milhões de euros, mais 11% do que em período homólogo.

O total da União Europeia, por seu lado, registou em março um excedente de 10,7 mil milhões de euros, acima dos 3,6 mil milhões do mesmo mês de 2014.

Os principais parceiros comerciais da União Europeia continuam a ser os Estados Unidos e a China.

A UE tem um excedente comercial de 23,7 mil milhões de euros com os Estados Unidos, uma vez que vende mais para aquele país do que compra, ainda assim abaixo do valor registado há um ano.

Já com a China há um défice comercial de 33,2 mil milhões de euros, neste caso significativamente abaixo do valor do período homólogo.



Lusa
  • Passos Coelho confiante de que valor do défice vai ficar abaixo dos 3% este ano
    1:00

    Economia

    O primeiro-ministro assegurou hoje mais uma vez que o défice vai ficar, este ano, abaixo dos três por cento. A garantia de Passos Coelho foi deixada, esta noite, num jantar da Associação Comercial do Porto. Bruxelas alertou esta semana para os riscos de Portugal não atingir os objetivos do Programa de Estabilidade mas Passos diz que está confiante que a meta vai ser cumprida.

  • "PCP não é força de suporte do Governo"
    2:11

    País

    Ao segundo dia de congresso comunista, ouviu-se o aviso mais forte, até agora, ao PS. João Oliveira, líder parlamentar do partido, diz que o PCP não se diluiu e que não é suporte do Governo. Já Jerónimo de Sousa deixou elogios à excelente geração de jovens que estão na frente política do PCP.

  • Passos elogia escolha de Paulo Macedo mas diz que não é suficiente
    1:47

    Caso CGD

    Pedro Passos Coelho diz que Paulo Macedo é competente para liderar os destinos da Caixa Geral de Depósitos, mas que a nomeação do antigo ministro não é suficiente para passar uma esponja sobre o assunto. Em Viseu, o líder do PSD não quis ainda avançar com um nome para a Câmara de Lisboa, depois de Santana Lopes afastar a hipótese de se candidatar.

  • O novo coala do zoo de Lisboa
    3:10

    País

    A SIC acompanhou em exclusivo a transferência de uma coala da Alemanha para o Zoo de Lisboa. O animal veio de avião e foi batizado pelos passageiros que seguiam a bordo. Ficou com o nome de Goolara. O coala é uma fêmea, com quase dois anos, e veio para aumentar a família da mesma espécie em Portugal.

  • Jovens do exército russo aderem ao Desafio do Manequim
    1:01

    Mundo

    Na Rússia, o grupo de jovens do exército também já aderiu ao famoso Mannequin Challenge. O vídeo foi divulgado pelo Ministério da Defesa russo. O objetivo é mostrar o dia-a-dia do chamado exército de jovens, cuja principal missão passa por sensibilizar os russos para a necessidade de cumprir o serviço militar obrigatório.