sicnot

Perfil

Economia

Venda da PT Portugal mais perto com aprovação da passagem da dívida para Oi

Os obrigacionistas da PT Portugal aprovaram hoje a passagem das obrigações, no valor de 400 milhões de euros, para a PT Internacional Finance, integrada na brasileira Oi, dando o último passo necessário para a venda da empresa à Altice.

© Nacho Doce / Reuters

A PT Portugal "comunica aos titulares das 'Notes' [obrigações] não reembolsadas que a deliberação extraordinária estabelecida no 'memorandum' relativo à solicitação de consentimento de 9 de abril de 2015 foi aprovada na assembleia dos 'Noteholders' [obrigacionistas] que teve lugar hoje", diz o comunicado enviado à Comissão do Mercado dos Valores Mobiliários (CMVM). 

Em termos financeiros, este era o último passo necessário para a conclusão da venda da PT Portugal, que ficando sem dívida, passará então da operadora brasileira Oi para a francesa Altice por 7,4 mil milhões de euros.

O documento explica que "as alterações a que faz referência a deliberação extraordinária serão implementadas com efeitos em e a partir da conclusão da venda da PT Portugal".

O ponto único da agenda de trabalhos, hoje aprovado, previa a introdução de "certas alterações às 'Notes' [obrigações] incluindo a substituição da Sociedade pela PTIF enquanto emitente e principal devedora das 'Notes'", de forma "a permitir a conclusão da venda da Sociedade e conceder aos Noteholders [obrigacionistas] uma opção de reembolso das 'Notes' (a "Opção de Reembolso")".

A operação de venda da PT Portugal à Altice deverá ficar concluída em finais de maio ou início de junho
  • Atacantes usaram "tática defendida pelos extremistas do Daesh"
    1:43

    Ataque em Barcelona

    O ex-presidente do Observatório de Segurança, Criminalidade Organizada e Terrorismo esteve em direto, para a SIC Notícias, onde falou sobre o ataque desta quinta-feira nas Ramblas, em Barcelona. José Manuel Anes falou na tática defendida na revista dos extremistas do Daesh e que foi usada neste ataque: a utilização de viaturas "de preferência as mais pesadas para matar o maior número de pessoas".