sicnot

Perfil

Economia

BCP diz que descida do rating afeta ações de outros bancos mundiais

O BCP disse hoje que a decisão da agência de notação financeira Fitch de descer o 'rating' da instituição insere-se num conjunto de ações que afetaram bancos na União Europeia, EUA, na Suíça e em Hong Kong.

(Reuters/ Arquivo)

(Reuters/ Arquivo)

© Hugo Correia / Reuters

Numa nota enviada hoje à Comissão do Mercado de Valores Imobiliários (CMVM), o BCP explica que a alteração "insere-se num conjunto de Ações de Rating que afetaram bancos na União Europeia, bancos sistemicamente importantes nos EUA e na Suíça e bancos em Hong Kong".


A agência de notação financeira Fitch cortou terça-feira o 'rating' de quatro bancos portugueses (BCP, BPI, Montepio e Banif) por as alterações das regras a nível europeu tornarem mais improvável o apoio estatal às instituições financeiras.


Na nota enviada à CMVM, o BCP indica que, "em relação à União Europeia, estas ações incluem a revisão da avaliação do suporte governamental na sequência da implementação da Diretiva de Recuperação e Resolução Bancária e do Mecanismo Único de Resolução que a Fitch considera estar agora suficientemente desenvolvido, proporcionando um regime para a resolução dos bancos e que requer que os credores seniores participem nas perdas, caso necessário, por alternativa ao apoio governamental".


De acordo com o BCP, esta decisão afetou cerca de 40 bancos Europeus, havendo algumas instituições bancárias ainda pendentes de revisão. 


Num comunicado divulgado na terça-feira, a agência de notação financeira indica que "estas ações de 'rating' foram conjugadas com a revisão da Fitch para o apoio soberano à banca em termos gerais", anunciado em março de 2014.


"Em linha com as expectativas anunciadas em março do último ano e comunicadas com regularidade desde então, a Fitch acredita que as iniciativas legislativas, regulatórias e políticas reduziram substancialmente a probabilidade de os bancos comerciais dos Estados Unidos (EUA), Suíça e União Europeia receberem apoios estatais", lê-se no comunicado.


Assim, a notação enquanto emissor de dívida de longo prazo do BCP baixou de 'BB+' para 'BB-', a do BPI de 'BB+' para 'BB', a do Montepio de 'B+' para 'BB' e a do Banif de 'BB' para 'B-'.


Quanto aos 'outlooks' (perspetivas) fornecidos para as quatro instituições, houve uma manutenção da classificação de "estável" para o BCP, Montepio e Banif, ao passo que o 'outlook' do BPI, que estava sob observação, foi fixado em 'positivo', devido ao potencial de subida do 'rating' relacionado com a oferta pública de aquisição (OPA) lançada pelo CaixaBank.


Lusa
  • "Cada drama, cada problema, cada testemunho, impressiona muito"
    1:55
  • Clínica veterinária em Tondela recebeu dezenas de animais feridos nos fogos
    2:57

    País

    Tondela foi um dos municípios mais atingidos pelo incêndio, deixando dezenas de animais feridos e perdidos no concelho. Várias clínicas veterinárias são agora um porto de abrigo e, em alguns casos, um ponto de encontro. Muitos dos animais chegaram recolhidos por voluntários e a maior parte dos casos são animais que, no momento de aflição, foram soltos pelos donos e salvos pelo instituto de sobrevivência.

  • Temperaturas sobem até ao final do mês
    1:09

    País

    O tempo não dá tréguas e, até ao final do mês, as temperaturas vão atingir valores acima do normal para esta época do ano. As temperaturas máximas vão subir entre os 25 e os 32 graus. O risco de incêndio aumenta a partir desta segunda-feira em todo o país e os meios aéreos, viaturas, operacionais e equipas de patrulha vão ser reforçados.

  • Maioria das praias do Algarve já não tem nadador-salvador
    2:19

    País

    A lei não obrigada os concessionários a garantir o serviço e, por isso, a esmagadora maioria das praias do Algarve está sem vigilância desde 30 de setembro. Ainda assim, os areais vão atraindo milhares de banhistas com as temperaturas altas que ainda se fazem sentir. Um nadador-salvador recomenda os banhistas a não nadar e, em dias de ondulação, evitar caminhadas à beira-mar.

  • Parlamento catalão vai responder à ativação do artigo 155
    1:54
  • A história por detrás da fotografia que correu (e impressionou) o Mundo

    Mundo

    Depois dos incêndios da semana passada na Galiza, começou a circular na internet e nas redes sociais a imagem de uma cadela que alegadamente levava a sua cria carbonizada na boca. Contudo, a cadela é na verdade macho e chama-se Jacki. Esta é a história do cão que passou os dias após os fogos a recolher animais mortos para os enterrar num campo perto de uma igreja, em Coruxo, Vigo.

    SIC

  • Quando o cão de Macron fez chichi no gabinete do Presidente francês
    0:31