sicnot

Perfil

Economia

BCP diz que descida do rating afeta ações de outros bancos mundiais

O BCP disse hoje que a decisão da agência de notação financeira Fitch de descer o 'rating' da instituição insere-se num conjunto de ações que afetaram bancos na União Europeia, EUA, na Suíça e em Hong Kong.

(Reuters/ Arquivo)

(Reuters/ Arquivo)

© Hugo Correia / Reuters

Numa nota enviada hoje à Comissão do Mercado de Valores Imobiliários (CMVM), o BCP explica que a alteração "insere-se num conjunto de Ações de Rating que afetaram bancos na União Europeia, bancos sistemicamente importantes nos EUA e na Suíça e bancos em Hong Kong".


A agência de notação financeira Fitch cortou terça-feira o 'rating' de quatro bancos portugueses (BCP, BPI, Montepio e Banif) por as alterações das regras a nível europeu tornarem mais improvável o apoio estatal às instituições financeiras.


Na nota enviada à CMVM, o BCP indica que, "em relação à União Europeia, estas ações incluem a revisão da avaliação do suporte governamental na sequência da implementação da Diretiva de Recuperação e Resolução Bancária e do Mecanismo Único de Resolução que a Fitch considera estar agora suficientemente desenvolvido, proporcionando um regime para a resolução dos bancos e que requer que os credores seniores participem nas perdas, caso necessário, por alternativa ao apoio governamental".


De acordo com o BCP, esta decisão afetou cerca de 40 bancos Europeus, havendo algumas instituições bancárias ainda pendentes de revisão. 


Num comunicado divulgado na terça-feira, a agência de notação financeira indica que "estas ações de 'rating' foram conjugadas com a revisão da Fitch para o apoio soberano à banca em termos gerais", anunciado em março de 2014.


"Em linha com as expectativas anunciadas em março do último ano e comunicadas com regularidade desde então, a Fitch acredita que as iniciativas legislativas, regulatórias e políticas reduziram substancialmente a probabilidade de os bancos comerciais dos Estados Unidos (EUA), Suíça e União Europeia receberem apoios estatais", lê-se no comunicado.


Assim, a notação enquanto emissor de dívida de longo prazo do BCP baixou de 'BB+' para 'BB-', a do BPI de 'BB+' para 'BB', a do Montepio de 'B+' para 'BB' e a do Banif de 'BB' para 'B-'.


Quanto aos 'outlooks' (perspetivas) fornecidos para as quatro instituições, houve uma manutenção da classificação de "estável" para o BCP, Montepio e Banif, ao passo que o 'outlook' do BPI, que estava sob observação, foi fixado em 'positivo', devido ao potencial de subida do 'rating' relacionado com a oferta pública de aquisição (OPA) lançada pelo CaixaBank.


Lusa
  • Como não perder Barack e Michelle Obama nas redes sociais

    Mundo

    Sair da Casa Branca implica mais que reunir objetos físicos: é preciso guardar também os tweets, os posts e todo o conteúdo digital produzido nos últimos oito anos pelo Presidente dos EUA e pela primeira-dama. A equipa de Barack Obama já preparou tudo para que nada se perca do seu legado digital.

  • Portugueses querem contratar Obama

    Mundo

    Contratar Barack Obama. Pode parecer uma tarefa impossível, mas para a startup portuguesa Swonkie a única resposta a este desafio é "Yes We Can", mote da campanha presidencial de Obama de há nove anos.

  • Artista que criou poster de Obama quer invadir EUA com símbolos de esperança

    Mundo

    Shepard Fairey - o artista por trás do tão conhecido cartaz vermelho e azul "Hope" de Barack Obama, durante a campanha eleitoral de 2008 nos EUA - produziu uma série de novas imagens a tempo da tomada de posse de Donald Trump, na sexta-feira. Agora, o artista e a sua equipa querem manifestar uma posição política com a campanha "We The People", contra as ideias que o Presidente eleito tem defendido.