sicnot

Perfil

Economia

Portugal com maior subida de preços do gás doméstico na UE

Portugal cobrou, no ano passado, a segunda mais alta tarifa do gás para uso doméstico da União Europeia (UE), de 10,4 euros por 100 kWh (quilowatt-hora), e teve a maior subida de preços (11,4%), segundo revelou hoje o Eurostat.

© Steve Marcus / Reuters

De acordo com o gabinete oficial de estatísticas da UE, entre o segundo semestre de 2013 e o de 2014, Portugal registou a maior subida do preço do gás doméstico - 11,4% -, seguindo-se a Espanha (7,5%) e a França (4,5%), acima da média de 2,0% no conjunto dos Estados-membros.


A Lituânia (-18,6%), a Hungria (-13,0%), a Eslovénia (-10,7%), a Dinamarca (-10,3%) e a Grécia (-10,1%) tiveram as maiores quebras no preço do indicador.


O preço do gás doméstico foi de 7,2 euros por 100 kWh na UE, tendo a tarifa mais alta sido cobrada na Suécia (11,4 euros), seguindo-se Portugal (10,4 euros), a Espanha (9,6 euros) e a Itália (9,4 euros por 100 kWh).


Os impostos representam 23% do preço do gás doméstico em Portugal, em linha com a média europeia, sendo a Dinamarca -- com 61% - o Estado-membro que mais taxas cobra, seguindo-se a Roménia (51%) e a Holanda (42%).



Lusa
  • PSD está a "perder terreno" na escolha de candidato a Lisboa
    1:46

    País

    Quem o diz é Luís Marques Mendes: o PSD perde na demora da escolha de um candidato para a Câmara de Lisboa. O líder Passos Coelho rejeita apoiar a candidatura de Assunção Cristas e garante que o partido vai ter um candidato próprio. Segundo o comentador da SIC, o último convite foi dirigido a José Eduardo Moniz.

  • Trump não escreve todos os tweets, mas dita-os

    Mundo

    O Presidente eleito dos EUA não escreve todos os tweets que são publicados na sua conta desta rede social, mas dita-os aos seus funcionários. Numa entrevista a um ex-secretário de Estado britânico, Donald Trump explica como usa a sua conta e garante que depois de ser investido Presidente, vai continuar a usar o Twitter para defender-se da "imprensa desonesta".

  • Depressão pode ser mais prejudicial para o coração do que a hipertensão

    Mundo

    Um estudo recente estabelece uma nova ligação entre depressão e distúrbios cardíacos. De acordo com a investigação publicada na revista Atheroscleroses, o risco de vir a sofrer de uma doença cardíaca grave é quase tão elevado para os homens que sofram de depressão, do que para os que tenham colesterol elevado ou obesidade, e pode mesmo ser maior do que para os que sofram de hipertensão.