sicnot

Perfil

Economia

Parlamento Europeu e Conselho alcançam acordo sobre plano Juncker

Representantes do Parlamento Europeu e do Conselho (Estados-membros) alcançaram na madrugada de hoje, em Bruxelas, um acordo informal sobre o plano de investimento proposto pela "Comissão Juncker", que poderá assim arrancar no verão. 

 Jean-Claude Juncker, presidente da Comissão Europeia (Reuters/ Arquivo)

Jean-Claude Juncker, presidente da Comissão Europeia (Reuters/ Arquivo)

© Ints Kalnins / Reuters

O compromisso alcançado entre as instituições relativamente à arquitetura do chamado "plano Juncker", com o qual se pretende mobilizar 315 mil milhões de euros para a economia europeia nos próximos três anos, irá a votos no hemiciclo de Estrasburgo a 24 de junho e, se receber a "luz verde" da assembleia, poderá começar então a ser posto em prática já a partir do verão. 

 
 

Numa primeira reação ao acordo alcançado ao fim de uma maratona negocial iniciada na quarta-feira à noite, o eurodeputado português José Manuel Fernandes, do PSD, um dos negociadores do Parlamento Europeu, responsável pela pasta orçamental, saudou o compromisso alcançado com o Conselho, considerando que o mesmo "irá contribuir para o crescimento e criação de emprego em toda a Europa". 

 
 

"Conseguimos reduzir os cortes globais nos programas 'Horizonte 2020' (investigação e inovação) e 'Ligar a Europa' (programa de interligações de energia, transportes e redes digitais) em mil milhões de euros", apontou, considerando tratar-se de "uma primeira batalha ganha".



Lusa

  • Patrões e sindicatos apontam falhas ao plano Juncker na Concertação Social
    1:18

    Economia

    O primeiro-ministro esteve hoje reunido com os parceiros sociais para preparar o Conselho Europeu. No final do encontro, tanto patrões como sindicatos apontaram falhas ao chamado plano Juncker, um programa europeu de investimento público e privado que prevê verbas de 315 mil milhões de euros. Mas desse montante, a Comissão Europeia emprestará 20 mil milhões e espera, depois, poder angariar o resto. Os parceiros sociais querem saber, acima de tudo, se o dinheiro que vai ser emprestado a Portugal será ou não contabilizado como défice público do país.

  • Fogo em Setúbal dominado
    2:31

    País

    O incêndio que deflagrou na terça-feira em Setúbal está dominado. As chamas chegaram a ameaçar as casas, o que obrigou à retirada de cerca de 500 pessoas das habitações, como medida de precaução. Também o Hotel do Sado teve de ser evacuado.

  • "Lancei um tema que os portugueses há muito queriam discutir"
    11:26
  • Danos Colaterais 
    18:55
    Reportagem Especial

    Reportagem Especial

    Jornal da Noite

    Nos últimos oito anos a banca perdeu 12 mil profissionais. A dimensão de despedimentos no setor é a segunda maior da economia portuguesa, só ultrapassada pela construção civil. A etapa mais complexa da história começou em 2008, com a nacionalização do BPN. Desde então, as saídas têm sido a regra. A reportagem especial desta terça-feira, "Danos Colaterais", dá voz aos despedidos da banca.