sicnot

Perfil

Economia

Presidente do sindicato dos pilotos renuncia ao cargo

O presidente do Sindicato dos Pilotos da Aviação Civil (SPAC), Manuel Santos Cardoso, renunciou hoje ao cargo, disse à agência Lusa fonte oficial daquela estrutura sindical.

A mesma fonte informou que o pedido de renúncia de Manuel Santos Cardoso foi aceite pelo presidente da Mesa da Assembleia do SPAC.

Não foram divulgados, por enquanto, os motivos da renúncia do presidente do SPAC.

O Sindicato dos Pilotos da Aviação Civil (SPAC) convocou há quase uma semana uma assembleia-geral extraordinária para terça-feira, em Lisboa, para "apresentação e votação" de uma moção de confiança à direção.

De acordo com a convocatória publicada na imprensa, a moção de confiança é o ponto único da ordem de trabalhos da assembleia-geral, que decorrerá num hotel em Lisboa.

Fonte do SPAC disse na altura à Lusa que a reunião foi marcada devido "ao ruído que surgiu em torno da greve" de 10 dias dos pilotos da TAP e da Portugália, que decorreu entre 01 e 10 de maio.

A direção do sindicato sentiu necessidade de sentir o apoio dos seus associados para poder prosseguir com a estratégia com que foi eleita, referiu a mesma fonte.  

O SPAC emitiu na sexta-feira uma declaração com outros sindicatos que representam trabalhadores do Grupo TAP, na qual se comprometem a lançar "todas as ações" necessárias para impedir a privatização da transportadora aérea.

O Sindicato Nacional do Pessoal de Voo da Aviação Civil (SNPVAC), o Sindicato Nacional dos Trabalhadores da Aviação Civil (SINTAC), o SPAC e o Sindicato dos Trabalhadores da Aviação e Aeroportos (SITAVA), que são os signatários da declaração, não especificaram quais as iniciativas que poderão ser concretizadas.

No documento, os sindicatos afirmaram que vão "exigir ao Governo e ao Conselho de Administração o fim da discriminação e o cumprimento dos respetivos Acordos de Empresa, no respeito pela Lei, e apelar à opinião pública e ao povo português para que se una de modo a parar, enquanto ainda é tempo, esta insensatez do Governo, que seria a entrega do Grupo TAP a uma entidade que seguramente o vai desmantelar, empobrecendo assim o país".

O Governo decidiu passar dois candidatos à compra da TAP à fase de negociação, afastando o consórcio de Miguel Pais do Amaral e continuando a negociar com Gérman Efromovich e David Neeleman.

O presidente do Sindicato dos Pilotos afirmou no final de abril, em entrevista à Lusa, que não tem "nada contra ou a favor da privatização" da TAP, considerando que a companhia "como está vai ter que ser reestruturada", quer seja pública ou privada. 

Segundo Manuel Santos Cardoso, "essa reestruturação vai sempre obrigar a haver reduções do número de trabalhadores".

O comandante da TAP foi eleito presidente do SPAC em outubro e iniciou em meados de novembro o mandato de dois anos.

Lusa
  • Incêndio de Setúbal "quase dominado"
    4:04

    País

    O incêndio que deflagrou segunda-feira em Setúbal está "quase dominado", segundo informações da presidente da Câmara. Maria das Dores Meira diz que não há feridos a registar e que os habitantes já vão regressando a casa. Para ajudar no combate ao fogo foram enviados meios de Lisboa.

  • "Lancei um tema que os portugueses há muito queriam discutir"
    11:26
  • Danos Colaterais 
    18:55
    Reportagem Especial

    Reportagem Especial

    Jornal da Noite

    Nos últimos oito anos a banca perdeu 12 mil profissionais. A dimensão de despedimentos no setor é a segunda maior da economia portuguesa, só ultrapassada pela construção civil. A etapa mais complexa da história começou em 2008, com a nacionalização do BPN. Desde então, as saídas têm sido a regra. A reportagem especial desta terça-feira, "Danos Colaterais", dá voz aos despedidos da banca.