sicnot

Perfil

Economia

Grupo espanhol Aspro Parks concorre à concessão do Oceanário de Lisboa

O grupo espanhol Aspro Parks, proprietário do parque de diversões aquáticas Aqualand, em Alcantarilha, Algarve, anunciou esta terça-feira que vai concorrer à concessão do Oceanário de Lisboa.

A melhoria da atividade comercial, o aumento do número de visitantes e fazer do Oceanário uma "visita obrigatória" em Lisboa, são alguns dos objetivos traçados pelo grupo. (Arquivo)

A melhoria da atividade comercial, o aumento do número de visitantes e fazer do Oceanário uma "visita obrigatória" em Lisboa, são alguns dos objetivos traçados pelo grupo. (Arquivo)

© Parque EXPO'98, S.A.

O anúncio foi feito, em Lisboa, pelo diretor geral do Grupo, Javier Carbajo, durante um encontro com jornalistas.

Sem revelar números ou detalhes da proposta, que tem de ser entregue até às 17:00 de 12 de junho, Javier Carbajo, disse que o Aspro Parks tem "um interesse estratégico" em Portugal e sublinhou que o conhecimento do setor e a solidez financeira do Grupo permitem concorrer, "sem problemas" e "sem a necessidade" de ter outro parceiro, à concessão do Oceanário de Lisboa.

Javier Carbajo assegurou que os atuais quadros do Oceanário são para manter, acrescentando que um dos principais objetivos é aumentar o número de visitantes e tornar o Oceanário um "polo de atração turística", situação que permitirá aumentar os colaboradores.

"O Oceanário é uma referência europeia de conhecimento científico e de gestão. Quem sabe gerir o Oceanário é a sua atual equipa", afirmou Javier Carbajo.

A melhoria da atividade comercial, o aumento do número de visitantes e fazer do Oceanário uma "visita obrigatória" em Lisboa, são outros dos objetivos traçados pelo Grupo.

Além disso, Javier Carbajo sublinhou que o Aspro Parks também quer apostar no respeito pelos pilares estratégicos do Oceanário -- promover a conservação dos oceanos, programas educacionais, investigação científica e estatuto reputacional do Oceanário de Lisboa.

O Aspro Parks detém 60 parques de entretenimento em 12 países da Europa e explora vários aquários europeus, dos quais se destacam o L'Aquarium de Barcelona (Espanha), o Aquarium de Lyon (França) e o Bristol Aquarium, o Blue Planet e o Deep Sea World (Bristol, Manchester e Edimburgo, respetivamente, no Reino Unido).

Além da Aspro Parks, já manifestaram publicamente interesse na concessão do Ocenário de Lisboa, a família Soares dos Santos e o Zoomarine.

Entre os potenciais candidatos poderão estar ainda, segundo o semanário Expresso, os grupos Merlin Entertainments, proprietário do Sea Life, no Porto, e a espanhola Parque Reunidos.

Na semana passada, O ministro do Ambiente, Ordenamento do Território e Energia, Jorge Moreira da Silva, disse haver "vários candidatos" interessados na concessão do Oceanário de Lisboa, acrescentando que o processo estava a ser "muito competitivo".

O Governo adjudicou, por 30 anos, à sociedade Oceanário de Lisboa, a concessão das atividades de serviço público de exploração e administração daquele equipamento. Em meados de abril, o ministro informou que o concessionário privado que ficará com o capital da sociedade, e consequentemente a gestão do Oceanário de Lisboa, será escolhido em julho.
  • "Estamos a investir na nossa própria desgraça"
    0:37
  • Saída dos EUA do acordo de Paris é "uma vergonha"

    Mundo

    O ex-secretário de Estado norte-americano John Kerry considerou esta terça-feira "uma vergonha" a decisão do Presidente Donald Trump de retirar os Estados Unidos do acordo do clima de Paris, garantindo que o povo não acompanha esse gesto de "autodestruição".

  • "Meninas proibidas de usar saias curtas e roupa transparente" para evitar abusos em Timor
    0:50
  • "De repente ele estava em cima de mim a beijar-me e a apalpar-me"
    2:43