sicnot

Perfil

Economia

Frigoríficos comprados em Portugal consomem mais energia

O consumo energético dos frigoríficos vendidos em Portugal está acima da média europeia, devido à mais baixa eficiência, mas, em 10 anos, os custos destes equipamentos desceram 22%, concluiu um estudo internacional hoje divulgado.

(Reuters/ Arquivo)

(Reuters/ Arquivo)

© HANNIBAL HANSCHKE / Reuters

"Nos frigoríficos, o consumo de energia caiu 25% em 10 anos na União Europeia (UE), mas Portugal tem valores anuais bem acima da média" registada na Europa, e os portugueses "escolhem mal" quando compram estes aparelhos, refere um trabalho desenvolvido pelo projeto TopTen, que tem a participação da Quercus, pela ADEME (agência do ambiente francesa) e pela organização internacional de defesa do ambiente WWF Suíça.

O estudo analisou os 25 países da UE entre 2004 e 2014, e comparou Portugal e França, retratando as escolhas dos consumidores em termos de eficiência energética de eletrodomésticos, como frigoríficos ou máquinas de lavar roupa, e pretendeu demonstrar "a importância da monitorização do mercado na avaliação das políticas".  

Também foram comparadas máquinas de lavar roupa e, em Portugal, apesar de estas serem mais eficientes, "têm um consumo energético médio maior que em França, por serem de maior capacidade", e secadores de roupa, área em que as vendas de aparelhos eficientes atingiram apenas 32%, menos que a média europeia (de 42%).    

Numa década, o total dos custos para os consumidores, que inclui o preço de compra do frigorífico e a eletricidade, desceu 13%, para 985 euros, na UE, enquanto em Portugal a redução atingiu 22%.

Quanto ao consumo de energia, o trabalho aponta que os aparelhos de frio vendidos em Portugal consomem mais 15 quilowatts por hora e por ano relativamente à média europeia.

A principal razão para esta diferença relaciona-se com "uma menor eficiência energética e, provavelmente, com a maior dimensão dos compartimentos de congelação", explica o documento.

Os ambientalistas salientam que o aumento da eficiência dos frigoríficos pode ainda assegurar "um grande potencial" de poupança de eletricidade para a Europa.

Se em 2014, se tivessem vendido frigoríficos de classe A++ em vez de classe inferior, "Portugal teria conseguido uma poupança acrescida de 194 gigawatts por hora (GWh)" ao longo da vida útil destes eletrodomésticos.

Acerca das máquinas de lavar roupa, o estudo não encontrou qualquer "correlação clara" entre as classes de eficiência e o baixo consumo de energia.

"Apesar de serem mais eficientes, as máquinas de lavar portuguesas têm um consumo energético médio maior do que as máquinas vendidas na UE e na França e a razão é serem de maior capacidade".

Em 2014, três anos após a introdução da nova etiqueta, cerca de metade das máquinas de lavar roupa vendidas eram de classe energética superior (A+++) e os ambientalistas defendem ser necessário definir novas e melhores classes de eficiência na etiqueta energética e rever a fórmula de cálculo utilizada.

O estudo considera que, atualmente, "tudo indica que as máquinas de lavar são mais eficientes por serem maiores e não porque consumirem menos energia".

O mercado dos secadores de roupa na UE é caracterizado pela alta eficiência, segundo a análise internacional, e as bombas de calor permitem consumir menos metade da energia que os equipamentos convencionais.

Em Portugal, este tipo de equipamentos tem uma procura baixa devido ao clima, mas, se todos os aparelhos vendidos fossem de classe energética A+ ou superior, seria obtida uma "poupança acrescida de 90 GWh, considerando o total do seu tempo médio de vida", garante o documento. 

O preço de um equipamento com bomba de calor é 64% mais alto que secadores de classe B (menos eficientes), porém, apesar dos preços de compra mais elevados, aqueles "compensam o investimento inicial, quando se consideram os custos totais", ou seja, o preço de compra e os custos de eletricidade.




Lusa

  • Eletrodomésticos que comunicam
    8:09

    Futuro Hoje

    Na época que se aproxima as máquinas vão falar entre si e até os electrodomésticos vão conseguir falar com os seres humanos. OFuturo Hoje foi ver os frigoríficos e máquinas de lavar que se podem controlar até mesmo fora de casa.

  • Eletrodomésticos eficientes
    2:57

    Economia Verde

    Nas nossas casas, é possível tomar medidas de eficiência energética, que nos permitem poupar na fatura de eletricidade e proteger o ambiente. Para tal, basta escolher os electrodomésticos tendo em conta a classe de eficiência energética. Já existe uma vasta escolha de marcas e modelos de frigoríficos e máquinas de lavar a loiça e roupa, com muito bom desempenho energético no mercado português, e há informação disponível no site TopTen.

  • A fábrica de caças na base aérea de Monte Real
    3:35
  • Comprar ou arrendar casa?
    8:25
  • Fui contactado por um espectador do “Contas-Poupança” (quartas-feiras, Jornal da Noite, SIC) e leitor do blogue www.contaspoupanca.pt, que foi surpreendido com uma carta do banco a aumentar o spread porque um dos serviços que tinha subscrito tinha sido extinguido. Neste caso específico, a domiciliação de ordenado. Ora, o cliente ficou estupefacto porque não mudou de empresa, não foi despedido nem tinha havido nenhuma alteração no recebimento do ordenado naquela conta.

    Pedro Andersson

  • NotPetya: Lourenço Medeiros explica o novo ciberataque global
    2:44

    Mundo

    A Ucrânia está a ser seriamente afetada por um novo ataque informático. Algumas empresas de grande dimensão estão a ser prejudicadas, agravando a dimensão global do ataque, o qual não parece ser dirigido a ninguém em concreto. Ontem, nas primeiras horas do ataque, não parava de crescer o número de vítimas.

  • Temer acusado de prejudicar Polícia Federal
    2:36
  • Violência volta às favelas do Rio de Janeiro
    3:21

    Mundo

    As favelas do Rio de Janeiro voltaram aos níveis de violência dos anos 90. A cidade de Deus foi uma das favelas pacificadas que voltou a registar tiroteios diariamente, os moradores falam de situações de trauma e do medo das crianças.

  • Trump interrompe telefonema para elogiar jornalista

    Mundo

    A jornalista irlandesa Caitriona Perry viu-se esta terça-feira envolvida num momento que a própria classificou de "bizarro": um encontro inesperado com Donald Trump, que interrompeu um telefonema com o primeiro-ministro irlandês para... a elogiar.

    SIC

  • Caricaturas de Trump invadem capital do Irão

    Mundo

    O Irão está a organizar um concurso internacional de caricaturas do Presidente norte-americano Donald Trump. Pelas ruas de Teerão já vão surgindo algumas imagens alusivas ao festival que vai realizar-se no próximo mês de julho.

  • Companhia aérea obriga deficiente físico a entrar no avião sem ajuda

    Mundo

    Um homem com uma deficiência física que o obriga a andar numa cadeira de rodas foi obrigado a subir sozinho as escadas de um avião da companhia aérea Vanilla Air. Hideto Kijima deparou-se com a situação quando estava a embarcar da ilha de Amami para Osaka, no Japão, com vários amigos que foram proibidos de o ajudar.

  • De onde vem o dinheiro de Isabel II?

    Mundo

    A rainha Isabel II vai ser aumentada - pelo exercício das suas funções -, em 2018, para 82,2 milhões de libras (93,5 milhões de euros). Este valor é pago pelo Estado britânico. Contudo, esta não é a única fonte de rendimento da rainha de Inglaterra. Isabel II também recebe pelas terras, casas e empresas que tem espalhadas pelo Reino Unido.

  • Cão corre os EUA a entregar águas aos árbitros em jogos de basebol
    0:20