sicnot

Perfil

Economia

Hoteleiros de Lisboa e Algarve otimistas para junho

As perspetivas dos hoteleiros lisboetas quanto ao mês de junho apontam para resultados superiores aos do ano passado, concluiu um inquérito da Associação de Hotéis de Portugal (AHP), que prevê também boas taxas de ocupação no Algarve. 

(Reuters/ Arquivo)

(Reuters/ Arquivo)

De acordo com os resultados do mais recente Future Monitor, realizado em maio pela AHP, os hotéis em Lisboa esperam registar "uma melhor performance este ano", face ao ano passado, indicou à Lusa a presidente da direção executiva da associação, Cristina Siza Vieira. 

 
 

Dos 34 hotéis consultados na cidade de Lisboa, 75% responderam de forma positiva quando questionados se esperam uma ocupação superior a 50% entre os dias 01 e 19 de junho. Em causa estão as reservas efetivas.  

 
 

Em 2014, as expectativas a este nível só se faziam sentir "apenas na primeira semana do mês de junho", notou a responsável da AHP. 

 
 

Nos restantes dias do mês, as previsões de uma ocupação superior a 50% baixam para cerca de metade dos hoteleiros lisboetas consultados pela associação -- com exceção do fim de semana de 25 e 26 de junho, em que as expectativas são superiores, "o que deverá estar relacionado com a realização de congressos", acredita Cristina Siza Vieira. 

 
 

Quanto ao Algarve, onde o Future Monitor se começou a realizar apenas este ano, as respostas ao inquérito realizado junto de um painel de hoteleiros da região dão "uma indicação excelente" quanto à ocupação esperada para junho, adiantou a presidente da direção da AHP. 

 
 

Assim, das 25 unidades hoteleiras inquiridas sobre se preveem uma ocupação superior a 50% para o mês de junho, com base em reservas efetivas, "75% deram resposta positiva".  

 
 

O resultado é ainda superior para os períodos de 11 a 13 de junho e de 26 a 28 de junho, quando 100% dos hoteleiros inquiridos na região algarvia esperam ter mais de metade dos seus estabelecimentos ocupados por turistas, destacou Cristina Siza Vieira.  

 
 

O dia 10 de junho, quarta-feira, é feriado do Dia de Portugal, enquanto o feriado lisboeta de 13 de junho se realiza este ano num sábado. 

 
 

Quanto à cidade do Porto, os resultados obtidos este ano mantêm-se "estáveis" face aos do mesmo período, no ano passado, explicou a mesma responsável.  

 
 

Para a primeira semana do mês, entre 01 e 07 de junho, mais de 75% dos 14 hoteleiros portuenses que constam do painel de inquiridos prevê os seus hotéis ocupados a mais de metade -- resultado que a diretora-geral da AHP atribui à realização do festival de música NOS Primavera Sound, entre os dias 04 e 06 de junho.  

 
 

Nas semanas seguintes do mês, esta expectativa baixa para cerca de metade dos hoteleiros inquiridos na cidade do Porto. Isto com exceção do período de 11 a 13 de junho, em que as respostas voltam a ser positivas em mais de 75% dos casos.  

 
 

O Future Monitor é realizado regularmente pela AHP, através de respostas de painéis de inquiridos representativos das unidades hoteleiras em cada uma das três zonas do país onde se realiza.



Lusa

  • A morte das sondagens foi ligeiramente exagerada

    Um atentado sem efeitos eleitorais, sondagens que acertaram em praticamente tudo, inexistência do chamado eleitorado envergonhado. E um candidato que se situa no centro político com fortíssimas hipóteses de vencer a segunda volta. As presidenciais francesas tiveram uma chuva de acontecimentos anormais, mas acabam por ser um choque de normalidade. Pelo menos até agora...

    Ricardo Costa

  • "O FC Porto não merece ser campeão"
    2:23
    Play-Off

    Play-Off

    DOMINGO 22:00

    O empate do FC Porto com o Feirense foi o principal assunto do Play-Off da SIC Notícias, este domingo. Rodolfo Reis mostrou-se insatisfeito com a atitude dos jogadores do FC Porto.

  • Incêndio em Alfragide deixa 12 pessoas desalojadas
    1:59

    País

    Um incêndio destruiu este domingo a cobertura de um prédio de habitação em Alfragide, no concelho da Amadora. Doze pessoas ficaram desalojadas, mas ninguém ficou ferido. Os bombeiros dominaram o fogo em cerca de uma hora, os moradores queixam-se da falta de eficácia no combate às chamas.

  • Uma volta a Portugal. De bicicleta mas sem licra

    País

    Um grupo de professores propõe-se a repetir o percurso da 1.ª Volta a Portugal em Bicicleta, 90 anos depois. Não se trata de uma corrida, pelo contrário querem provar que qualquer um o pode fazer e promover o uso da bicicleta como meio de transporte pessoal. “Dar a volta” parte para a estrada esta quarta-feira, de Lisboa a Setúbal, tal como em 26 de abril de 1927.

    Ricardo Rosa