sicnot

Perfil

Economia

Ferro Rodrigues considera que coligação tentou antecipar-se "ridiculamente" à Convenção do PS

Ferro Rodrigues considera que coligação tentou antecipar-se "ridiculamente" à Convenção do PS

Ferro Rodrigues entende que a coligação tentou antecipar-se "ridiculamente" à Convenção Nacional do PS, com a apresentação das linhas orientadoras do programa eleitoral, feita esta quarta-feira. O líder parlamentar socialista entende que as ideias são mais do mesmo e considera que a proposta de inscrever um limite para a dívida na Lei Fundamental só pode ser uma autocrítica do Governo.

  • Coligação quer terminar com cortes nos salários da função pública gradualmente
    1:00

    Economia

    No total, a coligação apresentou nove garantias aos portugueses no programa que foi conhecido hoje. Entre elas, estão as já conhecidas no programa de estabilidade: acabar com a sobretaxa do IRS, no máximo, até 2019 e terminar, também, de forma gradual com os cortes nos salários dos funcionários públicos. O líder do CDS disse ainda que a coligação vai voltar a insistir na inscrição de um limite para a dívida pública na consituição.

  • Passos e Portas propõem 4 anos sem sobressaltos
    3:08

    País

    Passos Coelho e Paulo Portas avisam que não é tempo de experimentalismos nem de regressar ao passado. Na apresentação das linhas orientadoras do programa eleitoral da coligação PSD/CDS, o nome do maior partido da oposição não foi mencionado uma única vez, mas os discursos foram de ataque cerrado ao PS. Passos e Portas defendem que só a coligação tem propostas viáveis que permitem um futuro sem sobressaltos e incertezas.

  • Incêndio destrói igreja em Ponte da Barca
    1:49

    País

    Um incêndio destruiu na última madrugada a Igreja de Lavradas, em Ponte da Barca. A Polícia Judiciária de Braga está a investigar as causas do fogo, mas tudo aponta para um curto-circuito.

  • Bairro em Loures não tem luz há mais de um ano
    2:30

    País

    O bairro da Torre, junto ao aeroporto de Lisboa mas ainda no concelho de Loures, não tem eletricidade nem nos postes, nem nas casas. A EDP e os moradores nunca chegaram a acordo para uma solução de pagamento coletivo e a empresa, para acabar com as puxadas eléctricas ilegais, decidiu cortar de vez o abastecimento há mais de um ano.