sicnot

Perfil

Economia

PCP diz que Governo "entrou de chancas" a cortar nas pensões

O secretário-geral do PCP acusou hoje o Governo de "entrar de chancas" a cortar e quis esclarecer o noticiado corte de 600 milhões de euros nas pensões, mas o primeiro-ministro negou tal intenção, reiterando a necessidade de consenso.

ANTÓNIO COTRIM Lusa

No debate quinzenal no parlamento, Passos Coelho afirmou que "resulta precipitada qualquer conclusão de que se trate de um corte nas pensões de 600 milhões de euros".

"O Governo está comprometido com a execução do Programa de Estabilidade (PE) e os partidos que o apoiam também. A introdução de uma medida que tenha um impacto positivo na Segurança Social pode vir do lado da despesa ou da receita ou de ambas. Já assumi, enquanto primeiro-ministro, varias medidas difíceis. O que eu quero é que o problema se resolva", assegurou.

No debate parlamentar quinzenal com o primeiro-ministro, Jerónimo de Sousa insistiu no tema da sustentabilidade da Segurança Social, criticou "a ocultação da realidade" devido à proximidade das legislativas e lamentou ainda a "dramática" situação no setor das pescas.

"Vivemos tempos propícios à suspensão e ocultação da realidade porque se avizinham eleições. Quem está a falar verdade entre os membros do Governo? Foi um equívoco?", indagou, referindo-se às várias versões vindas a público sobre futuras diminuições nas pensões a pagamento, algo que classificou um "espetáculo de cortes sim, cortes não".

Passos Coelho leu passagens do PE, "apresentado pelo Governo e comunicado a Bruxelas e ao parlamento" para garantir que "não existe nenhum espetáculo" do executivo.

"A introdução de uma medida para a sustentabilidade da Segurança Social, cujo impacto está estimado em 600 milhões de euros, tem de merecer um amplo consenso social e político", afirmou o chefe do Governo, sublinhando a necessidade de entendimento para uma solução entre "o arco da governabilidade".

Jerónimo de Sousa afirmou que "o consenso parece ser a palavra mágica, mas as pessoas não são parvas" e "sabem bem o que significaram consensos entre a 'troika' nacional (PSD, PSD e CDS-PP)", atribuindo o apelo ao entendimento como forma de "alargar a base de apoio a medidas drásticas".

"Foi o PS quem abriu a porta, através do fator de estabilidade e da condição de recursos, mas o Governo entrou de chancas (calçado com sola de madeira)", resumiu, voltando depois a um adágio popular relacionado com o mar: "Com este Governo, os lances deram todos em água".

Lusa
  • França e Rússia criam grupo de trabalho contra o terrorismo
    1:00

    Mundo

    França e Rússia vão criar um grupo de trabalho para lutar contra o terrorismo. A proposta partiu do Presidentre francês e foi anunciada por Vladimir Putin. Na conferência de imprensa conjunta, o Presidente russo explicou que ambos falaram também da Coreia do Norte.    

  • Obrigada a vir dos EUA, de 3 em 3 semanas, para ver o filho
    2:00
  • Marcelo diz que Europa não deve contar com benevolência dos aliados 
    1:19

    País

    O Presidente da República concorda com Angela Merkel, que este domingo defendeu que a Europa já não pode confiar a 100% nos países aliados. Numa conferência sobre o futuro da Europa, Marcelo Rebelo de Sousa defendeu que a União Europeia tem de assumir responsabilidades e protagonismo e não pode contar com a iniciativa e a benevolência dos aliados.

  • Novos casos de tuberculose caíram para metade

    País

    Portugal reduziu para metade o número de novos casos de tuberculose entre 2000 e 2016, segundo um relatório hoje divulgado, que mostra que, no ano passado, a taxa de incidência da doença foi de 18 por 100 mil habitantes.

  • Julgamento de Pedro Dias só deve começar após as férias judiciais
    2:59

    País

    O Tribunal da Guarda vai juntar o homicídio de Liliane Pinto ao processo principal dos crimes de Aguiar da Beira. Pedro Dias será interrogado em julho, mas o julgamento só deve começar depois das férias judiciais. No interrogatório judicial de 10 de novembro do ano passado, Pedro Dias ficou em silêncio.

  • Angola confirma pela 1ª vez que José Eduardo dos Santos está em Espanha por motivos de saúde

    Mundo

    É a primeira vez que o governo de Luanda admite, oficialmente, que o Presidente José Eduardo dos Santos sentiu-se mal e está a receber assistência médica em Espanha. Com 74 anos, os últimos 38 como Presidente de Angola, José Eduardo dos Santos tem feito visitas regulares a Barcelona para efetuar exames médicos, mas nem uma palavra sobre as suspeitas de que o Chefe de Estado angolano teria sofrido um AVC recentemente.

  • Merkel sugere que a Europa já não pode contar com aliados como os EUA
    1:45

    Mundo

    Depois das cimeiras do G7 e da NATO,e sem nunca mencionar Donald Trump, a chanceler alemã diz que é tempo de cada país tomar conta do próprio destino. As declarações de Angela Merkel foram feitas em Munique numa ação de campanha da CDU e evidenciam incómodo em relação às posições manifestadas pelos EUA.

  • Bombeiro alvejado durante assalto em Buenos Aires
    1:07

    Mundo

    A polícia argentina está a investigar o assalto e a agressão a tiro a um bombeiro em Buenos Aires. O homem de 30 anos foi atacado por três jovens, o momento foi captado pelas câmaras de videovigilância. As imagens mostram o exato momento em que o bombeiro foi atacado pelo grupo, perto de um quiosque de alimentação automático. De acordo com as informações disponíveis, a vítima terá sido alvejada seis vezes.