sicnot

Perfil

Economia

PCP diz que Governo "entrou de chancas" a cortar nas pensões

O secretário-geral do PCP acusou hoje o Governo de "entrar de chancas" a cortar e quis esclarecer o noticiado corte de 600 milhões de euros nas pensões, mas o primeiro-ministro negou tal intenção, reiterando a necessidade de consenso.

ANTÓNIO COTRIM Lusa

No debate quinzenal no parlamento, Passos Coelho afirmou que "resulta precipitada qualquer conclusão de que se trate de um corte nas pensões de 600 milhões de euros".

"O Governo está comprometido com a execução do Programa de Estabilidade (PE) e os partidos que o apoiam também. A introdução de uma medida que tenha um impacto positivo na Segurança Social pode vir do lado da despesa ou da receita ou de ambas. Já assumi, enquanto primeiro-ministro, varias medidas difíceis. O que eu quero é que o problema se resolva", assegurou.

No debate parlamentar quinzenal com o primeiro-ministro, Jerónimo de Sousa insistiu no tema da sustentabilidade da Segurança Social, criticou "a ocultação da realidade" devido à proximidade das legislativas e lamentou ainda a "dramática" situação no setor das pescas.

"Vivemos tempos propícios à suspensão e ocultação da realidade porque se avizinham eleições. Quem está a falar verdade entre os membros do Governo? Foi um equívoco?", indagou, referindo-se às várias versões vindas a público sobre futuras diminuições nas pensões a pagamento, algo que classificou um "espetáculo de cortes sim, cortes não".

Passos Coelho leu passagens do PE, "apresentado pelo Governo e comunicado a Bruxelas e ao parlamento" para garantir que "não existe nenhum espetáculo" do executivo.

"A introdução de uma medida para a sustentabilidade da Segurança Social, cujo impacto está estimado em 600 milhões de euros, tem de merecer um amplo consenso social e político", afirmou o chefe do Governo, sublinhando a necessidade de entendimento para uma solução entre "o arco da governabilidade".

Jerónimo de Sousa afirmou que "o consenso parece ser a palavra mágica, mas as pessoas não são parvas" e "sabem bem o que significaram consensos entre a 'troika' nacional (PSD, PSD e CDS-PP)", atribuindo o apelo ao entendimento como forma de "alargar a base de apoio a medidas drásticas".

"Foi o PS quem abriu a porta, através do fator de estabilidade e da condição de recursos, mas o Governo entrou de chancas (calçado com sola de madeira)", resumiu, voltando depois a um adágio popular relacionado com o mar: "Com este Governo, os lances deram todos em água".

Lusa
  • Inglaterra estreia-se com vitória suada frente à Tunísia

    Mundial 2018 / Tunísia

    A seleção inglesa estreou-se no Mundial 2018 com um triunfo sobre a Tunísia por 2-1, com o golo da vitória a ser apontado já para lá do minuto 90. O jogo foi referente à 1.ª jornada do grupo G. Veja aqui os golos e os lances que marcaram o encontro.

  • O melhor golo do 5.º dia de Mundial

    Desporto

    Numa escolha feita pelos jornalistas de desporto e do site da SIC Notícias, mostramos-lhe o melhor golo deste quinto dia de Mundial. Foi apontado por Dries Mertens, na vitória da Bélgica sobre o Panamá por 3-0.

  • Repitam comigo: Portugal vai ser campeão do Mundo
    4:56
  • "Estamos a plantar fósforos"
    2:09

    Opinião

    O calor regressou esta segunda-feira em força e no terreno estiveram quase 1300 bombeiros a combater 70 fogos por todo o país. Depois da tragédia de Pedrógão Grande, o Presidente da República diz que a consciência do país mudou mas é preciso fazer mais. Já Miguel Sousa Tavares diz que o país está mais preparado para combater os incêndios do que alguma vez esteve. No entanto, o comentador da SIC diz que já foram plantados mais de "2500 hectares de eucaliptos" desde Pedrógão e que enquanto isso acontecer Portugal vai continuar a arder. 

    Miguel Sousa Tavares

  • Rapper XXXTentacion morto em aparente tentativa de roubo

    Cultura

    O rapper norte-americano XXXTentacion, de 20 anos, morreu na noite de segunda-feira depois de ter sido baleado, na Florida, no sudeste dos Estados Unidos. Um dos suspeitos terá disparado e atingido o rapper e, de seguida, dois suspeitos fugiram numa viatura escura. A polícia está a considerar tentativa de roubo.

  • Merkel tem duas semanas para negociar solução para crise migratória

    Mundo

    A chanceler alemã tem duas semanas para negociar com os parceiros europeus uma solução para a questão migratória e assim evitar uma crise política. O ultimato foi dado pelo CSU, o partido da Baviera que integra a coligação governamental. Ao contrário de Angela Merkel, defende uma política para os refugiados mais estrita.