sicnot

Perfil

Economia

Moeda angolana já ultrapassa os 120 kwanzas/ dólar nos bancos

A moeda angolana ultrapassou a barreira dos 120 kwanzas por cada dólar norte-americano na compra aos balcões dos bancos comerciais, refletindo a desvalorização de seis por cento entre quinta e sexta-feira, decidida pelo Banco Nacional de Angola (BNA).

© Mike Hutchings / Reuters

A medida surge poucos dias depois de anunciada, pelo banco central, a intenção de "descomprimir" a crise cambial no país, devido à crise do petróleo, que desde outubro fez reduzir a entrada de divisas no país, quando então um dólar valia menos de 100 kwanzas. 

Segundo dados do BNA sobre a taxa de câmbio oficial, a venda de dólares aos clientes, acrescida das comissões aplicadas pelos bancos, rondava há uma semana os 110,9 kwanzas (85 cêntimos de euro) por cada dólar, o que por si só já era um novo máximo. Até quarta-feira, a mesma cotação esteve sempre abaixo dos 111 kwanzas por cada dólar, segundo informação recolhida pela Lusa.

Ao final do dia de sexta-feira, a taxa oficial de câmbio definida pelo BNA fixou-se à volta dos 117,4 kwanzas (90 cêntimos) por cada dólar, um salto superior a 6% em relação a uma moeda utilizada nas transações com o exterior (importações), mas também no mercado interno.

Os bancos comerciais atualizaram entretanto as cotações e já praticam a venda de dólares a clientes acima dos 120 kwanzas (92,5 cêntimos de euro), conforme consultas 'on-line' realizadas hoje pela Lusa, incorporando taxas e despesas administrativas.

Por outro lado, os bancos competem pela oferta das melhores taxas de câmbio para a compra de dólares aos clientes - uma forma de garantir divisas face à quebra nas vendas em leilões pelo BNA -, que ronda os 115 kwanzas, quando a cotação oficial é de 116,2 kwanzas por cada dólar.

Já na sexta-feira, a Lusa tentou obter mais informações sobre esta desvalorização da moeda nacional angolana junto do banco central, mas sem sucesso.

A cotação oficial está ainda distante dos preços praticados no mercado informal, a única solução face às dificuldades dos clientes em acederem a divisas junto dos bancos comerciais. Na rua, mas também nas casas de câmbio, a venda (aos clientes) continua à volta dos 180 kwanzas por cada dólar norte-americano.

Na origem da situação está a forte quebra na cotação internacional do barril de crude, que fez cair para metade as receitas fiscais angolanas com a exportação de petróleo e a entrada de divisas.

O governador do banco central angolano, José Pedro de Morais Júnior, reconheceu, a 28 de maio, que a redução de 30% por cento na injeção de divisas por parte do BNA na banca comercial, que se regista desde o início do ano, por comparação com 2014, está a refletir-se na atividade empresarial do país.

"O BNA recebeu mandato [do Governo] para tomar as medidas necessárias para descomprimir, na medida do possível, esta pressão ao nível do mercado cambial, para evitarmos situações de roturas de 'stock', para resolvermos alguns problemas que se começam a colocar com grande acuidade a nível dos operadores económicos", apontou, na ocasião.


Lusa

  • Desde 2005 morreram 72 bombeiros mas ninguém sabe quantos ficaram feridos
    2:02

    Reportagem Especial

    "Vidas de Fogo" é a Reportagem Especial desta noite, sobre os bombeiros feridos em combate a incêndios florestais. Este ano, durante o período mais crítico dos fogos, vão estar no terreno quase 10.000 operacionais. Grande parte são bombeiros voluntários. Vamos contar cinco casos de bombeiros feridos em combate e tentar saber como se recupera de um acidente, como se vive depois de queimado e como se lida com a morte de colegas durante um fogo.

    Hoje no Jornal da Noite

  • Líder do Daesh abatido durante fuga

    Daesh

    Um líder do Daesh e o assistente foram abatidos pela polícia iraquiana, em Mossul. A notícia é avançada pela agência EFE que esclarece que os dois homens terão sido mortos enquanto fugiam do Oeste para Este da cidade iraquiana através do rio Tigre.