sicnot

Perfil

Economia

Governo lança app para encontrar serviços de atendimento

O ministro-Adjunto e do Desenvolvimento Regional defendeu hoje, na apresentação da plataforma digital Mapa do Cidadão, com informação sobre serviços públicos, que a administração pública "tem de se organizar" para os cidadãos.

"É a administração pública que tem de se organizar em função do cidadão e não o cidadão que tem de se organizar em função da forma como a administração pública está estruturada e existe", afirmou o ministro Miguel Poiares Maduro.

A plataforma Mapa do Cidadão, disponível na internet, possui uma aplicação para smartphones e tablets, com informação sobre os serviços públicos, e a partir do início de julho permitirá obter uma senha de atendimento nas lojas e espaços do Cidadão e controlar o tempo de espera.

A aplicação já permite saber, no telemóvel, a localização do serviço mais próximo para pedir o Cartão do Cidadão, com os contactos e o horário de funcionamento, além de conhecer quantas pessoas estão à espera, que senha está a ser chamada e quanto tempo esperou a última pessoa a ser atendida.

Segundo Pedro Silva Dias, presidente da Agência para a Modernização Administrativa (AMA), a partir da "primeira semana de julho" passará a ser possível aos utilizadores obterem uma senha para os diversos serviços públicos instalados nas lojas e espaços do Cidadão e acompanharem a evolução do atendimento.

"É necessária uma administração pública mais integrada, entre os diferentes serviços públicos, entre a administração central e a administração local", sublinhou Miguel Poiares Maduro, acrescentando que se trata de mais uma ferramenta para uma administração "mais digitalizada e mais próxima" do cidadão.

O presidente da AMA frisou que a aplicação se insere na política de desenvolvimento do Portal do Cidadão, tirando partido da existência de mais de quatro milhões de utilizadores de 'smartphones', com o mapeamento de esquadras da PSP, serviços de finanças, tribunais e, em breve, de estabelecimentos de ensino.

"Esta aplicação do Mapa do Cidadão não traz nada de informação que seja nova. Estamos é a agregar a informação, que já existe, e a disponibilizá-la" segundo as novas formas de mobilidade permitidas pela internet, salientou o secretário de Estado para a Modernização Administrativa, Joaquim Pedro Cardoso da Costa.

Para Poiares Maduro, a reorganização de toda a rede de serviços de atendimento no território, quer a parte física, quer a parte da mobilidade, "vai levar à integração progressiva dos serviços públicos em Lojas do Cidadão".

"O espaço do cidadão, esta rede complementar, não tem apenas a vantagem adicional de trazer maior proximidade aos cidadãos, que estão em locais onde a administração pública nunca esteve, quer em espaços urbanos, ao nível do bairro, quer em meios de baixa densidade", vincou o ministro.

O desenvolvimento da plataforma Mapa do Cidadão, com um investimento de cerca de 50 mil euros, complementa o projeto-piloto do programa Aproximar, que envolve quatro dezenas de municípios, e que visa a instalação de espaços e lojas do Cidadão por todo o país.

O secretário de Estado Joaquim Cardoso da Costa notou que, à medida que a rede vai crescendo, a aplicação vai permitir ao cidadão saberem em que locais estão disponíveis os diferentes serviços públicos e escolher o espaço, na Câmara, Municipal, Junta de Freguesia ou lojas de CTT, onde os tempos de espera são menores.

Num futuro próximo, a aplicação poderá integrar informação do Ministério da Saúde sobre os tempos de espera nas urgências das unidades de saúde, adiantou o secretário de Estado.

A aplicação vai estar disponível para telemóveis que usem o sistema "android", iOS ou "Windows Phone", e permite pesquisar por entidades, serviços prestados ou serviços em localizações geográficas, possibilitando a introdução de diferentes filtros, nomeadamente com a distância e categoria.

A informação disponibilizada em tempo real sobre as senhas de atendimento nos diversos serviços é baseada no Sistema Integrado de Gestão de Atendimento (SIGA), utilizado pelas Lojas do Cidadão.

Lusa
  • Sporting de Braga eliminado da Liga Europa
    2:01
  • Dissolução da União Soviética aconteceu há 25 anos

    Mundo

    Assinalam-se esta quinta-feira 25 anos desde o fim do acordo que sustentava a União Soviética. A crise começou em 80, mas aprofundou-se nos anos 90 com a ascensão de movimentos nacionalistas em praticamente todas as repúblicas soviéticas.