sicnot

Perfil

Economia

Banco HSBC prepara-se para despedir 25 mil em todo o mundo

O banco britânico HSBC anunciou hoje um vasto plano de restruturação que prevê a redução de cerca de 10% dos seus funcionários, o que representa entre 22.000 e 25.000 postos de trabalho em todo o mundo.

© Peter Nicholls / Reuters

O HSBC, primeiro banco da Europa, pretende fechar sucursais, acelerar a desmaterialização das suas transações e deslocalizar milhares de postos de trabalho, segundo um plano no publicado seu 'site' e citado pela AFP.

A reorganização das operações do banco britânico inclui um vasto plano de redução de custos e o fim das operações no Brasil e na Turquia em benefício da Ásia. 

O HSBC visa "reduções de custos entre 4,5 e cinco mil milhões de dólares por ano a partir de agora até 2017", uma restruturação que deverá custar ao banco entre quatro a 4,5 mil milhões de dólares durante o período anunciado. 

Numa nota enviada à bolsa de Hong Kong, o HSBC não menciona o corte de milhares de postos de trabalho referidos nos últimos dias pela imprensa britânica, mas refere que quer proceder a "uma deslocalização dos seus recursos". 

O gigante britânico, que emprega 266.000 pessoas em todo o mundo, "quer vender as suas operações na Turquia e no Brasil", mantendo neste último país "uma presença" para os seus clientes institucionais. 

O HSBC pretende paralelamente "acelerar os seus investimentos na Ásia", especialmente no sul da China e sudeste asiático "para captar oportunidades de crescimento e adaptar-se às mudanças estruturais" do mercado bancário, sublinhou o grupo.

O diretor-geral do HSBC, Stuart Gulliver, deverá expor o plano hoje de manhã, em Londres, a partir das 08:00, durante uma apresentação aos investidores.

  • Como não perder Barack e Michelle Obama nas redes sociais

    Mundo

    Sair da Casa Branca implica mais que reunir objetos físicos: é preciso guardar também os tweets, os posts e todo o conteúdo digital produzido nos últimos oito anos pelo Presidente dos EUA e pela primeira-dama. A equipa de Barack Obama já preparou tudo para que nada se perca do seu legado digital.

  • Portugueses querem contratar Obama

    Mundo

    Contratar Barack Obama. Pode parecer uma tarefa impossível, mas para a startup portuguesa Swonkie a única resposta a este desafio é "Yes We Can", mote da campanha presidencial de Obama de há nove anos.

  • Artista que criou poster de Obama quer invadir EUA com símbolos de esperança

    Mundo

    Shepard Fairey - o artista por trás do tão conhecido cartaz vermelho e azul "Hope" de Barack Obama, durante a campanha eleitoral de 2008 nos EUA - produziu uma série de novas imagens a tempo da tomada de posse de Donald Trump, na sexta-feira. Agora, o artista e a sua equipa querem manifestar uma posição política com a campanha "We The People", contra as ideias que o Presidente eleito tem defendido.