sicnot

Perfil

Economia

Falta de acordo seria o princípio do fim para a zona euro, diz Tsipras

A falta de acordo sobre a Grécia significaria "o princípio do fim" para a zona euro, advertiu o primeiro-ministro grego, Alexis Tsipras, numa entrevista hoje ao jornal italiano Corriere della Sera.

(Reuters/ Arquivo)

(Reuters/ Arquivo)

© Alkis Konstantinidis / Reuters

Questionado sobre se o fracasso das negociações entre Atenas e os credores internacionais significaria o fracasso da Europa, Tsipras respondeu: "Penso que é evidente. Isso seria o início do fim da zona euro". 

Para o primeiro-ministro grego, "se a Grécia falir, os mercados vão imediatamente procurar outro" elo mais fraco da zona euro, disse, numa alusão a Espanha ou a Itália.

"Se os dirigentes europeus não conseguem resolver um problema como o da Grécia, que representa 2% da sua economia, qual será a reação dos mercados para os países que enfrentam problemas maiores, como a Espanha ou Itália?", questionou. 

Não obstante, considerou que o acordo poderá ser alcançado em breve: "Penso que estamos muito próximos de um acordo (...), só falta adotar uma atitude positiva em relação às nossas propostas alternativas aos cortes nas pensões ou à imposição de medidas que provoquem a recessão", afirmou Tsipras.

As discussões entre a Grécia e os seus credores regressaram na segunda-feira, a pequenos passos, apesar da urgência, com o Presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, a apelar para que as partes sejam "flexíveis".

A Grécia, que deveria fazer quatro reembolsos entre 05 e 19 de junho, pediu o seu agrupamento numa única prestação, a pagar no final do mês, como tem direito. 

Os gregos, que negoceiam a concessão de um empréstimo de 7,2 mil milhões de euros, com o Fundo Monetário Internacional, a União Europeia e o Banco Central Europeu, condicional à realização de reformas difíceis, têm assim mais algum tempo para as negociações, antes de ficarem com os cofres vazios.
  • As primeiras decisões do Presidente Trump
    1:39
  • "Há sobretudo um fosso entre o discurso que Trump faz e os de Obama"
    6:13

    Opinião

    Cândida Pinto e Ricardo Costa analisaram a tomada de posse de Donald Trump. O diretor de informação da SIC disse que o discurso de Trump "mexe com a sua base de apoio" e defende que "a grande questão não vai ser a relação com a Rússia, mas sim com a China". Já a Editora de internacional disse que o discurso foi "voltado para dentro, nacionalista, partidarista, com ataque à elite de Washington".

    Ricardo Costa e Cândida Pinto

  • Celebridades protestam contra Trump
    3:00

    Mundo

    Tem sido assim desde a campanha e continua. Grande parte da comunidade de artistas não está nada contente com o Presidente eleito. Vários artistas aproveitaram o dia da tomada de posse para se reunirem em Nova Iorque e protestarem contra Donald Trump.

  • Artista que criou poster de Obama quer invadir EUA com símbolos de esperança

    Mundo

    Shepard Fairey - o artista por trás do tão conhecido cartaz vermelho e azul "Hope" de Barack Obama, durante a campanha eleitoral de 2008 nos EUA - produziu uma série de novas imagens a tempo da tomada de posse de Donald Trump, na sexta-feira. Agora, o artista e a sua equipa querem manifestar uma posição política com a campanha "We The People", contra as ideias que o Presidente eleito tem defendido.

  • Cantora brasileira conhecida pela "Lambada" terá sido assassinada
    1:25

    Mundo

    Terá sido assassinada a cantora brasileira conhecida em Portugal pela "lambada", um ritmo que marcou o fim dos anos 90. Foi encontrada carbonizada dentro do próprio carro depois de assaltada em casa. Três suspeitos suspeitos do homicídio da cantora Loalwa Braz foram já detidos.