sicnot

Perfil

Economia

Frente Comum convoca concentração de funcionários públicos para 26 de junho

A Frente Comum vai realizar uma concentração de trabalhadores da administração pública, em frente à Assembleia da República, em Lisboa, no dia 26 de junho, em protesto contra as medidas de austeridade e a violação dos direitos laborais.

MANUEL DE ALMEIDA

Em comunicado hoje enviado, a Frente Comum de Sindicatos da Administração Pública afirma que, "face às medidas de esbulho de direitos -- que os trabalhadores da Administração Pública não esquecem e não perdoam -- e as promessas de continuidade por parte de alguns partidos", decidiu convocar todos os trabalhadores para uma concentração, num protesto marcado para as 10:30 do dia 26 de junho.

Para a Frente Comum, "não é possível defender a administração pública e os serviços públicos com mais cortes salariais e nas pensões, com a continuidade das 40 horas [de trabalho por semana] e com a violação da contratação coletiva", repudiando também que se façam "mais despedimentos, mais encerramentos de serviços" e que se prossiga com a "destruição das carreiras e a violação dos direitos dos trabalhadores".

A Frente Comum defende que "há alternativas", dizendo esperar "uma grande concentração de sindicatos da Frente Comum na demonstração da luta e da mobilização das populações contra a continuidade destas políticas".

Lusa
  • Adesão à greve ronda 80%, garante Frente Comum
    1:17

    Economia

    O balanço será feito ao fim do dia, mas a Frente Comum dos Sindicatos da Função Pública avança que a adesão à greve ronda os 80%. Educação, justiça, administração local e saúde são as áreas mais afetadas. Em conferência de imprensa, Ana Avoila revelou ainda que em alguns sectores, houve funcionários substituídos.

  • Greve parou educação, saúde e justiça

    Economia

    A greve da função pública está a afectar sobretudo os sectores da educação, justiça, administração local e saúde. A Frente Comum fala de uma participação entre os  75%  e 100%. Eis os efeitos da paralisação, de norte a sul.

  • Outros casos de fuga de prisões portuguesas
    2:58

    País

    Nos últimos cinco anos, 52 reclusos fugiram de cadeias portuguesas, mas foram todos recapturados. Entre 1999 e 2009, fugiram oito reclusos da prisão de Caxias. Em 2005, um homem condenado a 21 anos de prisão fugiu de Coimbra, viajando por França e pela Polónia. Manuel Simões acabou por ser detido no regresso a Portugal.

  • Portugal sem resposta de Moçambique sobre português desaparecido em Maputo
    1:25

    País

    Portugal tem tentado, sem sucesso, obter respostas das autoridades moçambicanas sobre o rapto de um empresário português há sete meses. De acordo com a notícia avançada este domingo pelo jornal Público, uma carta enviada há duas semanas pelo Presidente da República ao homólogo moçambicano não teve resposta. O Governo de Moçambique tem ignorado pedidos de informação das autoridades portuguesas.

  • Táxi capaz de sobrevoar filas de trânsito ainda este ano no Dubai

    Mundo

    É o sonho de muitos que passam horas intermináveis em filas de trânsito. Trata-se de um drone com capacidade para transportar pessoas. "Operações regulares" deste insólito aparelho terão início em julho, no Dubai. O anúncio foi feito pela entidade que gere os transportes da cidade. Apenas um passageiro, com o peso máximo de 100 kg, pode seguir viagem neste táxi revolucionário, capaz de sobrevoar vias congestionadas pelo trânsito.