sicnot

Perfil

Economia

Credores e Atenas fazem concessões mas ainda sem acordo

Os credores internacionais da Grécia fizeram já "concessões significativas" com vista a um acordo e Atenas aceitou realizar 01 por cento de saldo primário este ano, disse hoje uma porta-voz da Comissão Europeia.

© Yannis Behrakis / Reuters

"No global, as concessões feitas e a flexibilidade demonstrada são significativas", disse a porta-voz do executivo comunitário para os Assuntos Económicos, Annika Breidthardt, na conferência de imprensa diária da Comissão, mas ainda não há acordo sobre a Grécia.

Por outro lado, a Grécia chegou a acordo com os credores (Comissão Europeia, Banco Central Europeu e Fundo Monetário Internacional) para realizar 01% de excedente orçamental primário (descontando o pagamento de juros) em 2015.

A porta-voz reiterou ainda que "esta não é uma via de sentido único", salientando que Atenas "concordou com estas metas, a questão é saber quão credíveis são os compromissos pas as atingir".As negociações entre a Grécia e os credores internacionais, que se realizaram no passado fim de semana em Bruxelas terminaram mais uma vez sem acordo, devido a divergências que persistem entre os dois lados.

A Grécia arrisca-se a entrar numa situação de incumprimento de pagamentos: Atenas tem até 30 de junho para reembolsar 1,6 mil milhões de euros ao Fundo e pode não conseguir honrar esta obrigação se os 7,2 mil milhões de euros do segundo resgate financeiro não forem desbloqueados
  • Chamas passaram por cima da A23
    1:06

    País

    A A23 esteve cortada ao longo do dia por causa do fumo e das chamas. Em direto para a SIC Notícias, perto das 18h30, os repórteres da SIC presenciaram o momento em que o fogo passou por cima da autoestrada da Beira Interior.

  • "Só numa ditadura é possível tentar esconder o número de vítimas"
    0:51

    Tragédia em Pedrógão Grande

    O primeiro-ministro diz que é "lamentável" a tentativa de aproveitamento político à volta dos incêndios. António Costa esteve esta quarta-feira à tarde na Autoridade Nacional de Proteção Civil e, no final do briefing, disse que é preciso confiança nas instituições do Estado. O primeiro-ministro deixou ainda muitas críticas à oposição no caso da lista de vítimas de Pedrógão Grande.

  • E os 10 mais ricos de Portugal são...

    Economia

    A família Amorim lidera a lista dos mais ricos do país, com uma fortuna avaliada em 3840 milhões de euros. Em segundo lugar surge Alexandre Soares dos Santos com 2532 milhões de euros. A família Guimarães de Mello ainda entra para o top 3, com um valor de 1471 milhões de euros. A lista foi elaborada pela revista EXAME, que conclui que os ricos estão ainda mais ricos, pela quarta vez consecutiva.

    Bárbara Ferreira