sicnot

Perfil

Economia

Fabricante de aviões Embraer prevê entregar mais de 6.300 jatos novos em 20 anos

O fabricante de aviões brasileira Embraer prevê, em 20 anos, entregar 6.350 jatos novos, 2.250 deles no segmento entre 70 e 90 lugares e os restantes entre 90 e 130 lugares, divulgou hoje a empresa.   

© Roosevelt Cassio / Reuters

O valor que poderá ser obtido com as vendas previstas é de 300 mil milhões de dólares (266,29 mil milhões de euros), segundo o relatório relativo ao período entre 2015 e 2034, apresentado durante o 51.º Paris Air Show Internacional.

As novas entregas serão compostas por 39% de substituição das aeronaves antigas e 61% de produção para o crescimento do mercado. 

A América do Norte é a região que terá maior percentagem de novas entregas, com 32%, seguida da Europa, com 18%, da China, com 16% e da América Latina, com 11%

A Embraer divulgou ainda ter recebido pedidos de várias empresas por aeronaves.

A SkyWest fez pedido de 8 jatos E175 adicionais para operarem pela Alaska Airlines, a Colorful Guizhou Airlines, assinou acordo para obter até 17 jatos E190, a Aircastle fez pedido firme para 25 E-Jets E2 e a United Airlines adicionou mais jatos E175 à sua frota. 










Lusa
  • Passos explica porque se sentiu irritado com Costa
    0:42

    Economia

    Depois das imagens em que surgiu visivelmente irritado com António Costa, no último debate quinzenal, Passos Coelho veio agora explicar porquê. Na discussão com o primeiro-ministro, o líder do PSD não gostou que Costa tivesse insinuado que a fuga de 10 mil milhões de euros para offshores tenha ocorrido por inação do Governo anterior.

  • Ferro Rodrigues desvaloriza críticas do CDS
    3:24

    Caso CGD

    Marcelo Rebelo de Sousa fez questão de receber em público Ferro Rodrigues antes de um almoço com o Presidente da Assembleia da República. O Presidente também recebeu a representante do CDS-PP, Assunção Cristas, que foi apresentar queixa de Ferro Rodrigues e da maioria de esqueda em relação à comissão de inquérito da Caixa Geral de Depósitos. Ferro Rodrigues desvalorizou as críticas de que foi alvo.

  • Regime de Pyongyang nega envolvimento na morte de Kim Jong-nam 
    1:53

    Mundo

    A polícia da Malásia diz que o irmão do líder da Coreia do Norte foi morto com uma arma química. Os investigadores encontraram vestígios de gás VX no corpo de Kim Jong-nam, um gás letal proibido pelas convenções internacionais. O Governo da Coreia do Sul pediu esta sexta-feira ao regime de Pyongyang que admita que está por detrás da morte de Kim Jong-nam mas o mesmo já veio negar o envolvimento no assassinato.