sicnot

Perfil

Economia

Taxa de emprego sobe 0,8% na zona euro no 1º trimestre

A taxa de emprego aumentou 0,8% na zona euro e 1,1% na União Europeia (UE) no primeiro trimestre do ano, face ao mesmo período de 2014, divulga hoje o Eurostat. Em Portugal, aumentou 1,4%.

reuters

Segundo o gabinete oficial de estatísticas da UE, face ao quarto trimestre de 2014, o número de pessoas empregadas cresceu 0,1% na zona euro e 0,3% na UE entre janeiro e março deste ano.

Portugal registou a quarta maior subida da taxa de emprego (0,7%) na comparação em cadeia [de trimestre para trimestre], a par da República Checa, Irlanda, e Reino Unido, tendo a Letónia e Hungria (1,5% cada), a Estónia (0,9%) e a Espanha (0,8%) conhecido os maiores aumentos no primeiro trimestre de 2015.

Grécia (-0,8%) e Malta (-0,4%) foram os Estados-membros onde a taxa de emprego caiu, estabilizando na Alemanha, França, Itália e Holanda, também na comparação em cadeia.

Na comparação homóloga não houve descidas no indicador, com a Estónia (3,6%), a Hungria (3,4%), a Espanha (2,9%) e a Croácia (2,7%) a registarem as maiores subidas na taxa de emprego, que estabilizou em França, Chipre, Letónia e Finlândia.

Em Portugal, a taxa de emprego aumentou 1,4% no primeiro trimestre de 2015 face ao mesmo período de 2014.

Segundo as estimativas do Eurostat, 228,1 milhões de homens e mulheres tinham emprego na UE  entre janeiro e março, 150,3 milhões dos quais na zona euros, números corrigidos das variações sazonais.

A taxa de emprego corresponde ao número de pessoas empregadas em percentagem da população do mesmo grupo etário.



  • Mação volta a enfrentar dias de pânico
    3:33
  • Fogo obrigou à evacuação de 6 aldeias do concelho do Sardoal
    1:56

    País

    O incêndio que chegou ao Sardoal obrigou à evacuação de seis aldeias. As pessoas foram encaminhadas para as instalações da Santa Casa da Misericórdia e vão regressando ao longo do dia de hoje. A A23 foi reaberta de madrugada, depois de ter estado várias horas cortada nos dois sentidos .

  • Ministra admite que a maioria dos incêndios começaram por mão humana
    1:57

    País

    A Ministra da Administração Interna admitiu esta quarta-feira que a maioria dos incêndios deste ano começaram por mão humana, mas Constança Urbano de Sousa entende que é cedo para tirar outras conclusões. Já o vice-presidente da Liga dos Bombeiros Portugueses, Adelino Gomes, diz que não há duvidas e fala em terrorismo organizado. 

  • Sismo na região de Lisboa sentido num raio de 150km
    3:19