sicnot

Perfil

Economia

Deputado do PSD diz que Syriza é a "cirrose da Europa"

O deputado do PSD João Figueiredo disse esta quarta-feira que o partido grego Syriza é a "cirrose da Europa", comparando propostas do Bloco de Esquerda (BE) na área social a "parte do programa" do atual Governo de Atenas.

O ministro das Finanças e o primeiro-ministro gregos, Yannis Varoufakis e Alexis Tsipras (E-D).

O ministro das Finanças e o primeiro-ministro gregos, Yannis Varoufakis e Alexis Tsipras (E-D).

© Alkis Konstantinidis / Reuter

Num debate potestativo no Parlamento convocado para hoje pelo BE, e dedicado à emergência social, o deputado social-democrata João Figueiredo dirigiu-se à porta-voz do Bloco, Catarina Martins, para a questionar sobre a sua presença na campanha do Syriza na Grécia.

"É ou não uma parte do programa do Syriza?", interrogou o parlamentar, questionando a bloquista sobre se alguns dos temas hoje trazidos a debate foram também levados a discussão em Atenas.

E prosseguiu: "E foi ou não implementado [o programa do Syriza na área social]? Sabemos que não. E sabemos porquê". 

A austeridade, prosseguiu o deputado do PSD, "não foi uma opção deste Governo", antes uma "inevitabilidade em função da herança desgraçada" do PS.

"Onde vão buscar o dinheiro?", perguntou ainda a Catarina Martins, declarando depois que o Syriza é a "cirrose da Europa" e a "desgraça dos gregos intoxicou" o projeto europeu.

Na resposta, a porta-voz do BE diz ter no Syriza um "exemplo de quem na Europa está a tentar defender um país".

Entre o povo helénico "há três milhões de pessoas sem acesso à saúde", e por essas pessoas "lá está" o Syriza "a lutar", vincou a parlamentar bloquista, que arrancou o debate esta tarde pelas 15:00.

"Peça desculpa por aquilo que os seus amigos fizeram na Grécia", disse a bloquista ao deputado do PSD, referindo-se a anteriores executivos helénicos.

A Grécia atravessa atualmente um período conturbado ao nível das contas públicas, não tendo ainda chegado a acordo com os credores internacionais mesmo com cerca de quatro meses de negociações já volvidos com o Governo do Syriza liderado por Alexis Tsipras.

Para o BE, "nenhuma história acaba bem se as pessoas ficarem para trás", e o partido quer respostas às pessoas "em nome da dignidade e dos direitos humanos".

"O desafio que o BE aqui vos faz é responder agora a quem perdeu tudo. O compromisso é não desistir do país. Não desistir das pessoas. Não permitir a terraplanagem dos mais básicos direitos e condições de vida. Esse é o compromisso que o país precisa", sublinhou Catarina Martins.

A lei proposta pelo BE pretende criar, por exemplo, um Observatório Permanente da Pobreza, institui o aumento do salário mínimo nacional, altera os valores de IVA de alguns bens e suspende as atualizações de renda ao abrigo do regime da renda apoiada.

O projeto de lei propõe também, por exemplo, a diminuição do prazo de garantia para poder aceder ao subsídio de desemprego - de 365 dias para 180 dias - e ao subsídio social de desemprego - de 180 dias para 90 dias.

O acesso à luz, eletricidade ou gás natural nunca devem ser cortados por "questões de carência económica", defende ainda o Bloco.
Lusa
  • Portas diz que Portugal é um país de moderados e não há Syriza nem Podemos
    1:18

    Economia

    O vice-primeiro-ministro diz que Portugal precisa de crescer acima dos 2% e dar o salto em termos de inovação depois de consolidada a subida no ranking da competitividade. Na conferência promovida pela CIP e pelo Comité Económico e Social Europeu, Paulo Portas deixou ainda um recado a quem acredita que os partidos radicais podem ganhar terreno nas próximas eleições, como aconteceu na Grécia, em França ou em Espanha.

  • PM grego acusa credores de quererem derrubar Governo e pilharem o país
    1:32

    Crise na Grécia

    Cresce a tensão na Grécia depois de um fim de semana de negociações falhadas entre o Governo de Atenas e os credores internacionais. Em entrevista ao jornal alemão Bild, o ministro das Finanças da Grécia, Yanis Varoufakis, voltou a afirmar que a Grécia não vai apresentar uma nova lista de reformas ao Eurogrupo. Numa declaração escrita, Tsipras, o primeiro -ministro grego, acusou os credores de quererem derrubar o Governo do Syriza. O Eurogrupo reúne-se na quinta-feira para voltar a tentar um acordo.

  • Deputados pedem medidas urgentes para travar exploração de urânio junto à fronteira
    3:06

    País

    Um projeto de exploração de urânio no município de Retortilho em Salamanca, a cerca de 40 quilómetros da fronteira portuguesa, está a causar preocupação nos dois países. Portugueses e espanhóis temem o risco de contaminação por via aérea e fluvial. Deputados portugueses visitaram o local, onde pediram medidas firmas e urgentes ao Governo para travar o projeto. As autoridades de Espanha não acionaram o mecanismo de avaliação ambiental partilhada.

  • Mulher enterrada viva no Brasil
    1:13

    Mundo

    Uma mulher de 37 anos terá sido enterrada viva no oeste da Bahia, no Brasil. A certidão de óbito aponta um choque séptico como a causa da morte, mas os ferimentos com que foi encontrada no interior do caixão indicam um possível erro. Os moradores de casas vizinhas do cemitério municipal onde Rosângela dos Santos foi enterrada ouviram gritos vindos do túmulo.

  • "Os Estados Unidos são uma sociedade de pistoleiros"
    3:47
  • Trump desafia Oprah a candidatar-se para ser derrotada

    Mundo

    Apesar de Oprah Winfrey ter excluído uma eventual candidatura às eleições presidenciais dos Estados Unidos da América, Donald Trump ainda não se esqueceu dos rumores e desafiou a apresentadora a candidatar-se em 2020. Através do Twitter, o Presidente norte-americano disse ainda que assim poderia ser "exposta e derrotada como todos os outros".

    SIC