sicnot

Perfil

Economia

Avanza vence subconcessão da Carris e Metro de Lisboa

O grupo Avanza venceu a subconcessão da Carris e Metro de Lisboa. 

(Arquivo)

(Arquivo)

© Jose Manuel Ribeiro / Reuters

A proposta representa para os cofres do Estado uma poupança superior a 25 milhões de euros por ano - ou seja, 215 milhões durante os oito anos da concessão.

A Avanza é grupo espanhol detido pelo gigante mexicano ADO.

Além da Avanza, apresentaram também uma proposta conjunta a transportadora parisiense RATP (Régie Autonome des Transports Parisiens) e a britânica National Express.

Na Carris estavam interessados ainda a Barraqueiro - que faz parte do consórcio que recentemente venceu o concurso para a privaeização da TAP - em conjunto a TCC (Transports Ciutat Comtal), que integra o consórcio que venceu o concurso público para a subconcessão da STCP, transportes públicos do Porto.

Para a gestão do Metro de Lisboa tinha-se candidatado ainda a francesa Transdev.



Com Lusa
  • Turistas chegam a esperar 2 horas no controlo de passaporte do Aeroporto de Lisboa
    2:35

    País

    Chegar ao Aeroporto de Lisboa pode ser uma dor de cabeça para centenas de passageiros. A espera para o controlo de passaporte chegou a ultrapassar as duas horas nos meses de fevereiro e março. Manuela Niza, do Sindicato dos Funcionários do Serviços de Estrangeiros e Fronteiras, diz que têm sido contratados inspetores que depois são desviados para outros serviços.

  • Hasta pública de madeira ardida rendeu 2,85 milhões de euros

    País

    Mais de meia centena de lotes de madeira ardida proveniente de matas nacionais e perímetros florestais geridos pelo Instituto da Conservação da Natureza e das Florestas (ICNF) foram esta quinta-feira vendidos por 2,85 milhões de euros, numa hasta pública em Viseu.

  • "Dinheiro gasto em contentores dava para construir outro hospital" no Porto
    1:40

    País

    A bastonária dos Enfermeiros pede uma investigação aos contratos de contentores no Hospital de São João, no Porto. Ana Rita Cavaco diz que os "milhares de euros" já gastos na contratação e manutenção dos contentores da Pediatria e outros serviços do centro Hospitalar de São João davam para construir um novo hospital. E levanta ainda a suspeita sobre a empresa contratada.