sicnot

Perfil

Economia

Câmara de Lisboa quer arrecadar mais de 135 milhões com antigos terrenos da Feira Popular

A Câmara de Lisboa discute na quarta-feira a colocação em hasta pública dos terrenos da antiga Feira Popular, por um valor base de 135,7 milhões de euros, esperando que o montante seja potenciado.

SIC/Arquivo

SIC/Arquivo

SIC

Para chegar a este valor, que contempla 944,24 euros por metro quadrado, a autarquia (de maioria socialista) considerou a média aritmética das três avaliações externas com valor mais elevado, descartando outras duas de valores inferiores, segundo a proposta assinada pelo vereador do Urbanismo da capital, Manuel Salgado, a que a agência Lusa teve hoje acesso.

As cinco avaliações imobiliárias foram efetuadas em março deste ano, "sempre de acordo com o estudo e informação urbanística emitida pelo Departamento do Planeamento Urbanístico", lê-se.

O valor em causa é o "mínimo a que [...] qualquer candidato terá de obedecer para participar na licitação, deixando margem para que a concorrência efetivamente funcione em hasta pública e, por essa via, se potencie o valor final de venda", frisa o município, sem apontar uma data para a alienação.

Por ter um valor acima de 505 mil euros, a venda terá de ser depois aprovada pela Assembleia Municipal de Lisboa.

O terreno da antiga Feira Popular, que abrange as avenidas das Forças Armadas, da República e 05 de Outubro, em Entrecampos, foi colocado em pré-anúncio de venda na Internet em março passado, no 'site' cidadedeoportunidades.cm-lisboa.pt.

Em causa está uma área de construção superior a 143 mil metros quadrados, enquanto a parcela de terreno correspondente à antiga Feira Popular se situa nos 42.610 metros quadrados.

Na proposta, a autarquia salienta que este terreno se traduz numa "importante reserva de solo edificável com forte potencial para constituir a alavanca para a requalificação de toda esta zona da cidade", devido à sua dimensão e localização.

Em março, foram apresentados como possíveis usos a habitação, o comércio, os serviços e a hotelaria.

A Câmara refere agora que o terreno deve ter "usos mistos".

Segundo informações recolhidas junto do mercado por parte da autarquia e expressas na proposta, existe procura para se instalarem na zona "novos escritórios, [...] grandes espaços comerciais e ainda novas formas de alojamento turístico".

Com o objetivo de garantir "qualidade da solução urbanística", a autarquia determina, contudo, que "a área mínima de utilização coletiva à superfície não seja inferior a 50% da área total do terreno e que a área verde permeável em solo vivo vegetal não seja inferior a 30%" do total, tendo em conta o Plano Diretor Municipal (PDM).

Em março de 2014, a Assembleia Municipal de Lisboa autorizou a Câmara a pagar cerca de 101 milhões de euros à empresa Bragaparques para a aquisição dos terrenos da antiga Feira Popular e do Parque Mayer.

A este valor acrescem juros sobre o montante em dívida, que, de acordo com o documento assinado por Manuel Salgado, deverá ser pago em 16 prestações semestrais entre junho de 2016 e outubro de 2023.

Na origem do processo está a permuta, há uma década, de parte dos terrenos da antiga Feira Popular (então propriedade municipal) pelos do Parque Mayer (que pertenciam à Bragaparques).

A Feira Popular abriu para a sua última temporada a 28 de março de 2003.

Lusa
  • SIC faz-se à estrada para ouvir eleitores
    2:13
  • Furacão Maria ameaça Ilhas Virgens e Porto Rico

    Mundo

    O furacão Maria "potencialmente catastrófico" está a ameaçar as Ilhas Virgens e o Porto Rico, depois de esta terça-feira ter semeado a destruição na Dominica e provocado um morto e dois desaparecidos na ilha francesa de Guadalupe.

  • Pistolas Nerf podem causar graves lesões nos olhos

    Mundo

    As balas das pistolas Nerf, quando atingem os olhos, podem causar graves lesões. O aviso é de um grupo de médicos de Londres, que recomenda a utilização de óculos protetores e o aumento da idade mínima para a utilização dos brinquedos.

    SIC

  • Investigadores descobrem como transformar gordura "má" em gordura "boa"

    Mundo

    Uma equipa de investigadores da Universidade de Washington, Estados Unidos, descobriu como converter a gordura corporal "má" em gordura "boa", permitindo queimar mais calorias e atrasar o aumento de peso, num estudo conduzido em ratos. Estes resultados abrem caminho para a possibilidade de desenvolver tratamentos mais eficazes para a obesidade e para a diabetes associada ao aumento de peso em pessoas, segundo os autores.

  • Escola na Croácia usa imagem de Melania Trump para chamar alunos

    Mundo

    "Imagine até onde pode ir com um pouco de inglês", foi com estas palavras que uma escola de inglês da Croácia decidiu promover as suas aulas, juntando ainda a fotografia de Melania Trump ao placard do anúncio. Agora, a primeira-dama norte-americana ameaça levar o Instituo Americki a tribunal. Entretanto, o placard já foi retirado do local.

    SIC