sicnot

Perfil

Economia

Pescadores alertam que quota da sardinha pode levar ao fim do setor em 2016

A Federação dos Sindicatos do Setor da Pesca aprovou hoje uma resolução que defende o alargamento de quota da sardinha e a criação de apoios, alertando que a manter-se a atual situação o setor pode acabar em 2016.

© Antara Photo Agency / Reuters

"Chegamos a 2016 e podemos não ter setor", alertou, na Leirosa, Figueira da Foz, o coordenador da Federação dos Sindicatos do Setor da Pesca, Frederico Pereira, considerando a atual quota de sardinha atribuída até ao final do ano como "insuficiente".

Segundo o sindicalista, a quota de nove mil toneladas de sardinha pode acabar "em setembro ou antes", sendo que uma atividade "não se aguenta trabalhando três ou quatro meses por ano".

A haver imposições, estas devem ser seguidas de compensações financeiras face às remunerações "que os pescadores perdem", disse à agência Lusa Frederico Pereira.

A definição de quotas, na sua ótica, não pode ser efetuada apenas "para Portugal, mas para todo o espaço ibérico", frisando que Marrocos, Espanha e França já se transformaram "nos primeiros fornecedores da indústria de conservas nacional", afirmou o dirigente sindical à margem da Tribuna Pública Nacional, promovida pela federação e que decorreu hoje na Leirosa, Figueira da Foz.

"Há uns largos anos chegámos a pescar cerca de 100 mil ou 150 mil toneladas. A quota hoje é insuficiente para a frota que temos e até para o abastecimento de pescado ao público e à indústria conserveira", frisou, referindo que "ninguém quer vir para a pesca com estas condições".

A resolução aprovada na tribuna aponta também para a necessidade de "promoção de apoio para a renovação da frota" e a valorização do pescado "na primeira venda", havendo uma grande diferença de preço "entre a produção e o consumo", afirmou.

O documento exige, ainda, uma audiência com o Ministério da Agricultura e do Mar, sendo que, até agora, o Governo "não deu ouvidos" aos pescadores, que não foram "tidos em conta" aquando da definição de quotas, salientou Frederico Pereira.







Lusa
  • Famílias das vítimas de Pedrógão criam associação para apurar responsabilidades
    2:13
  • Polícias ameaçam com protestos no arranque do campeonato
    1:24

    País

    Os agentes da PSP ameaçam boicotar a presença nos jogos do campeonato da Primeira e Segunda ligas que começam em 15 dias. Os agentes colocam em causa o atual modelo de policiamento no futebol, que faz com que muitos dos profissionais da PSP trabalhem sem remuneração em dia de folga.

  • 700 milhões para armamento e equipamento militar
    1:16

    País

    Portugal vai investir nos próximos anos 700 milhões de euros em armas e equipamento militar. Segundo a imprensa de hoje, o objetivo é colocar algumas áreas das Forças Armadas a um nível similar ao dos outros aliados da NATO. É o maior volume de programas de aquisição dos últimos anos e parte das verbas vão beneficiar a indústria portuguesa que fabrica aviões, navios-patrulha, rádios e sistemas de comando e controlo.

  • Princesa Diana morreu há 20 anos. Filhos falam pela 1ª vez da intimidade
    1:15